Páginas

Os três recados de Deus para a sua vida na área da restauração familiar

“Ele me disse: Filho do homem, põe-te em pé, e falarei contigo” (Ezequiel 2:1).

No meu deserto espiritual, DEUS falou comigo. Pediu que eu me colocasse de pé, na presença dELE. Eu precisava de algumas respostas da parte do Senhor, palavras que me dariam um novo vigor em minha caminhada. Você deve se encontrar nessa exata situação, buscando respostas para perguntas que insistem dominar a sua mente. Fica-te também de pé, diante de DEUS, porque os três recados que ELE enviou ao meu coração serão agora compartilhados com você.

A PRIMEIRA E AS DEMAIS COISAS

Há pessoas que só se lembram de DEUS na hora da dor, da enfermidade. Mas quando recebem a cura, logo se esquecem de agradecê-LO, do que ELE fez e voltam a viver a vida em desobediência. São pessoas que só desejam DEUS em seus momentos de desespero, que O buscam por aquilo que ELE pode fazer ou oferecer. Assim também existem muitas igrejas que se auto-intitulam cristãs, cujos líderes só ensinam os seus seguidores a buscar o que DEUS tem para lhes oferecer, as bênçãos, os milagres. Pessoas com fé para conquistar algo, mas sem vida com CRISTO. São muito abençoadas materialmente, mas não são salvas nem são santas, separadas. Vida com CRISTO é vida de renúncia. Quem renuncia a própria vontade para se submeter a vontade de DEUS, além de ser salvo, separado, também é muito abençoado.

A Bíblia Sagrada nos apresenta um versículo muito conhecido de todos nós: “Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas as outras coisas vos serão acrescentadas” (Mateus 6:33). A Palavra de JESUS é bem categórica: BUSCAI EM PRIMEIRO LUGAR A DEUS! Buscai a DEUS por aquilo que ELE é, a Sua essência. Buscai isso primeiramente, imediatamente, em sinceridade, pureza, sem interesse algum. Nada pode vir antes disso.

Quando agimos assim, recebemos de DEUS uma grande promessa: TUDO TEREMOS EM ACRÉSCIMO! Sabe o que isso significa? Que iremos receber muito além do que pedimos ou pensamos. A Palavra “acrescentada” quer dizer ter em acréscimo, em abundância, muito mais do que a nossa mente limitada alcança ou deseja.

Com essa reflexão e de posse dessa verdade, entendo que o restaurar famílias e casamentos vem depois da restauração de vidas. DEUS, antes de restaurar famílias, quer restaurar vidas. Vida com CRISTO é o mesmo que obedecê-LO, viver na dependência dELE, esvaziar-se da natureza humana; é entender os seus desígnios.

Restaurar famílias é desejo também de DEUS, mas faz parte do acrescentadas; não vem em primeiro lugar. Afinal do que adianta ter uma família aparentemente feliz e próspera sem salvação? DEUS deseja salvar e restaurar a sua vida e a vida do seu cônjuge, de maneira total, completa, com ELE. Vida com CRISTO: esse é o segredo da sua vitória!

NO FUNDO DO POÇO: A GLÓRIA DE DEUS!

A fé é um não enxergar com os olhos naturais.
Quantas pessoas se desesperam quando olham a sua volta, ao seu redor e veem tudo distante e sem solução? Muitas até me perguntam: “pastor, por que quanto mais eu oro, consagro-me e obedeço a DEUS, mais as coisas parecem distantes?”

Eu glorifico a DEUS quando isso acontece.
DEUS age no invisível, em um espaço onde os nossos olhos naturais não podem chegar. ELE não nos permite que vejamos como está trabalhando, pelo simples fato de que, se víssemos, seríamos o mais incrédulo dos seres humanos. Não podemos ver o que DEUS está fazendo, mas devemos crer. Quem acredita sem ver, marcha rumo às bênçãos. Certa vez JESUS respondeu a Tomé: “Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram” (João 20:29). Por outro lado, satanás age no invisível, através das vidas que são opressas por ele. As ações malignas são claras: em palavras e em atitudes. O que satanás faz é bem visível, aos nossos olhos naturais. É por isso que ouvimos do cônjuge que não nos deseja mais, que o casamento não tem mais jeito, que não existe amor, que somos isso ou aquilo (agressões morais). Está explicado porque olhamos as circunstâncias e vemos o cônjuge adulterar ou com o coração duro e irredutível; e até demonstrar que está feliz e próspero.
Como DEUS liberta uma vida assim, incrédula, difícil e impiedosa?
DEUS usa essa aparente felicidade e prosperidade para que o outro chegue ao fundo do poço. É através das riquezas da glória humana, das suas ambições egoístas que o homem será abatido em sua soberba. Quanto maior a exaltação humana, maior a queda. O fundo do poço, lugar de humilhação, da destruição dos ídolos, é onde o ser humano recebe a glória de DEUS. Na humilhação, ele é exaltado. O fundo do poço é um lugar sem saídas, onde o homem não consegue mais escapar nem fugir. Com o rosto no pó, DEUS o sustentará com as Suas mãos poderosas. Mas enquanto houver mais descida, houver mais profundidade,

DEUS permitirá que o cônjuge sucumba mais e mais. É nesse estado em que a natureza humana, rebelde em sua essência, inclinada à desobediência, consegue ouvir a voz do Senhor, obedecê-LO e clamar o Seu santo Nome. É no fundo do poço, esgoto espiritual, envergonhado e humilhado, que o coração de pedra é destruído e clama “Aba Pai!”. É no lixo da humilhação, que o antes coração soberbo e impiedoso vê a glória de DEUS.

É preciso que desçamos ao fundo do poço de nossas misérias individuais para conhecermos e compreendermos o que DEUS tem para as nossas vidas.
Por isso, orar, jejuar, santificar-se dia-a-dia, ser sábio (a) e obediente na caminhada são atitudes fundamentais para quem deseja ter vitória no mundo espiritual.

DEUS trabalha no invisível para que possamos ter fé. Satanás, no mundo visível, para nos atingir. Entre um e outro, está você, revestindo-se das armaduras de DEUS, não se preocupando com o que satanás faz, mas acreditando na vitória em CRISTO JESUS!

O BOTÃO DA MUDANÇA

Você já conseguiu enxergar o grande amor de DEUS pela sua vida? Não?
Se você olhar para a sua realidade hoje de outro ângulo, você ficará maravilhada (o) e constrangida (o) por tão grande amor.

Você se lembra quantas vezes, no passado (quando você achava que sua vida era boa, servindo ao mundo, andando conforme os dias da ignorância, ou mesmo coxeando entre dois pensamentos), DEUS tentou falar com você em amor? ELE enviou um servo para falar contigo, entregar uma literatura cristã, fez com que hinos e uma palavra chegassem aos seus ouvidos, mas você não quis aceitar a voz dELE. Você se lembra de quantas vezes O desobedeceu e entristeceu o Santo Espírito? Se continuasse daquele jeito, com aquela vida que considerava boa, você iria viver dias de sorrisos aqui na terra, mas ao morrer, seu espírito não iria entrar no Reino de DEUS. A Bíblia diz que “há caminhos que parecem bons ao homem, mas que o fim deles são caminhos de morte” (Provérbios 14:12). Você andava em um desses caminhos…

E o que DEUS fez por você?

ELE, por amar tanto a sua vida, decidiu apertar um botão em você, que ELE considerou primordial para você ouvir a voz DELE. Bastou apenas um toque para a dureza do teu coração se quebrar, tornar-se mansa e humilde. Um toque em um botão de sua vida para você se desmanchar na presença DELE. DEUS tocou em seu casamento. Poderia ter tocado em sua saúde ou em seu bolso, mas ELE preferiu o seu casamento, naquilo que era o seu deus.
DEUS fez isso porque a (o) ama muito e não quis perder a sua vida por nada. ELE a comprou a um preço muito alto, um preço de morte e morte de cruz. DEUS apertou o botão, tocou em sua vida, permitiu a separação, mas a (o) colocou em Seu colo sagrado. Sim, você agora está no colo de DEUS, sendo cuidado por ELE nos mínimos detalhes. Desde esse dia, DEUS nunca a (o) desamparou, nunca deixou faltar o pão em sua mesa, nunca deixou de enxugar as suas lágrimas, quando você chora muito e se esquece de agradecê-LO. Cada lágrima derramada dos seus olhos é gesto de ingratidão. ELE também chora por você. Na verdade, DEUS quer que você chore de alegria, de gratidão, de reconhecimento por tudo o que ELE está fazendo em sua vida. DEUS, até o dia de hoje e fará sempre, está cuidando de você, como um oleiro cuida de um vaso e uma mãe cuida do recém-nascido. Você está como uma criança nos braços do seu PAI.

E agora, consegue enxergar o grande amor de DEUS por você?

Mas, ELE não parou aqui, ainda não fez a obra completa. Tem mais e muito mais. DEUS não faz a obra incompleta. Não é como o homem que planeja, investe dinheiro, mas deixa a obra pela metade. O que DEUS começa vai até o fim, porque ELE é fiel!

DEUS está te moldando, tirando as impurezas da sua vida, mudando o teu caráter. Por isso, ELE apertou um botão em você. Quando você estiver totalmente preparada (o), um vaso pronto, transformado, DEUS IRÁ APERTAR O BOTÃO NA VIDA DO TEU CÔNJUGE TAMBÉM, destruir o que o impede de ouvir a Sua voz e obedecê-LO. Teu cônjuge se desmanchará na presença do SENHOR como uma casa construída com a areia da praia, depois que uma forte onda a sobrevém.

Mas DEUS ainda não terminou, não parou aqui. ELE também trará o teu cônjuge de volta, manso, humilde, com outro caráter e outro coração. Na verdade, não adiantava você ter uma família aparentemente feliz e essa família se perder para o caminho do inferno. DEUS te ama tanto, que ELE te colocou no deserto para cuidar de você, salvar a tua vida e o teu casamento.

Se DEUS não quisesse restaurar e fazer novas todas as coisas na tua família, em teu casamento que ELE abençoou e foi fiel testemunha, DEUS simplesmente não tocaria você, não apertaria o botão, ignoraria, não se preocuparia com a sua vida. Deixaria você vivendo pelo seu próprio deleite e vontade. DEUS está consertando a sua vida, irá salvar a vida do seu cônjuge para, logo em seguida, restaurar o seu casamento. Creia: DEUS não faz nada pela metade!

E agora: consegue enxergar o grande amor de DEUS por você? Se a resposta foi positiva, pare de murmurar e agora mesmo, daqui em diante, faça da sua vida um cântico de gratidão a ELE. Pois, DEUS te ama e grandes coisas ainda fará em teu favor! Você crê?

Por que Deus vai trazer de volta o teu cônjuge e restaurar o teu casamento?

“Os resgatados do Senhor voltarão. Entrarão em Sião com júbilo, perpétua alegria coroará as suas cabeças. Gozo e alegria alcançarão, e tristeza e gemido fugirão” (Isaías 51:11).

Estava eu orando de joelhos ao SENHOR DOS EXÉRCITOS, o Grande EU SOU, por todas as pessoas que estão passando por um grande deserto em seu casamento. E o Espírito Santo de DEUS me incomodou para escrever esta Palavra. Não consegui me conter. Fui tomado de um incômodo santo tremendo, irresistível. DEUS já tem contemplado as lágrimas de todas as esposas e maridos que foram abandonados, que hoje choram e clamam dia e noite pela restauração do casamento, para que seu cônjuge volte para casa. Muitas dessas pessoas estão prestes a ficar frente a frente com o divórcio. Quase todas estão com o marido em adultério. Mas há também maridos que estão sofrendo devido à infidelidade conjugal de suas esposas. Para todas essas pessoas DEUS está dizendo: “EU SOU O QUE SOU” (Êxodo 3:14)“ANTES QUE HOUVESSE DIA, EU SOU. NINGUÉM HÁ QUE POSSA ESCAPAR DAS MINHAS MÃOS. AGINDO EU, QUEM IMPEDIRÁ?” (Isaías 43:13).

É possível crermos que o cônjuge vai voltar ainda que aos olhos humanos tudo pareça impossível. DEUS tem mostrado na Bíblia Sagrada e também em nossos dias o quanto ELE é Poderoso para fazer o impossível se tornar possível realização. Vou citar alguns casos de impossíveis que se tornaram possíveis:

1)  O MAR REVOLTO“Ora, levantou-se grande temporal de vento, e as ondas se arremessavam contra o barco, de modo que já estava a encher-se. Jesus estava na popa, dormindo sobre uma almofada. Os discípulos o despertaram dizendo: Mestre não se te dá que perecemos? Ele despertando, repreendeu o vento, e disse ao mar: cala-te! Aquieta-te! Então o vento se aquietou, e houve grande bonança” (Marcos 4:37-39).

2)  A FIGUEIRA INFRUTÍFERA: “De manhã, ao voltar para a cidade, teve fome. Avistando uma figueira à beira do caminho, dirigiu-se a ela, mas não achou nela senão folhas. E disse-lhe: nunca mais nasça fruto de ti. E a figueira secou imediatamente” (Mateus 21:19).

3)  O MILAGRE DA RESSURREIÇÃO: “Quando Jesus chegou, já fazia quatro dias que Lázaro havia sido enterrado. Betânia distava cerca de quinze estádios de Jerusalém, e muitos judeus tinham vindo visitar Marta e Maria, para consolá-las acerca de seu irmão. (…) Jesus, comovendo-se profundamente outra vez, dirigiu-se ao sepulcro. Era uma gruta, com uma pedra posta sobre ela. Disse Jesus: tirai a pedra. Disse Marta, irmã do morto: Senhor, já cheira mal, pois é o quarto dia. Então Jesus lhe disse: não te disse que se creres verás a glória de Deus? Tiraram, então, a pedra. E Jesus, levantando os olhos para o céu, disse: Pai, graças te dou porque me ouviste. Eu sei que sempre me ouves, mas eu disse isso por causa da multidão que me rodeia, para que creiam que tu me enviaste. Tendo dito isso, Jesus chamou em alta voz: Lázaro, vem para fora! O morto saiu, tendo as mãos e os pés enfaixados, e o rosto envolto no lenço. Disse Jesus: desatai-o e deixa-o ir” (João 11:17-19 e 38-44).

4)  TRANSFORMAÇÃO DA ÁGUA EM VINHO: “Jesus e seus discípulos também haviam sido convidados para o casamento. Tendo acabado o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: não tem mais vinho. Respondeu-lhe Jesus: mulher, que tenho eu contigo? Ainda não chegou a minha hora. Sua mãe disse aos serventes: fazei tudo o que ele vos disser. Estavam ali seis talhas de pedras que os judeus usavam para as purificações, e cada uma levava duas ou três metretas. Disse-lhes Jesus: enchei de água essas talhas. E encheram-nas até em cima. Então lhes disse: tirai agora, e levai ao mestre-sala. Eles o fizeram, e logo que o mestre-sala provou a água transformada em vinho, não sabendo de onde viera, se bem que sabiam os serventes que tinham tirado a água, chamou o noivo, e disse: todos põem primeiro o vinho bom e, quando já beberam fartamente, então o inferior, mas tu guardaste até agora o bom vinho” (João 2:2-10).

Muitas vezes, durante a nossa caminhada cristã, enfrentamos fortes tempestades e nos esquecemos do milagre que JESUS fez ao dar uma ordem aos ventos e às ondas do mar. Tudo se fez bonança. Pensamos que DEUS está dormindo, que não tem contemplado as nossas lágrimas, que tudo vai afundar e que nada tem mais jeito. Às vezes também vimos o nosso cônjuge como uma figueira infrutífera, ou aquela árvore que só dá frutos ruins, e achamos também que não há solução para a vida dele. JESUS pode e vai determinar uma palavra contrária a que ELE disse àquela figueira. Nosso SENHOR e SALVADOR vai determinar àquele marido rebelde ou àquela esposa desobediente, que só dão frutos apodrecidos aos olhos de DEUS: “que a partir de hoje apenas nasçam frutos saudáveis de ti!” DEUS pode e vai transformar o nosso cônjuge numa árvore frondosa, que dá flores e bons frutos. Já chegamos também a sepultar as nossas esperanças, a nossa fé nos milagres, já enterramos os nossos sonhos e os cobrimos com uma pedra enorme. E quando tudo aos nossos olhos não tiver mais jeito, estiver morto, eis que surgirá Aquele especialista em ressuscitar mortos, o grande EU SOU, e dirá: “retire o seu casamento da gruta, pois ele agora vive!” Um casamento que antes era regado somente por água, sem sal, sem alegria, cheio de frustrações e cicatrizes profundas, tornar-se-á um casamento verdadeiro, agradável aos olhos de DEUS. JESUS será o convidado. É ELE quem transformará a água do seu casamento em um bom vinho, onde todas as coisas se tornarão novas e o passado, esse sim, ficará sepultado para sempre.

O mesmo DEUS que fez o mar se acalmar, a figueira secar, o morto ressuscitar e a água ser transformada em vinho, soerguerá também a sua família; trará o seu marido ou a sua esposa de volta para casa. Não duvide disso, pois não há montanha que não estremeça na presença de DEUS e se torne como as areias do mar. Não há coração de pedra que não seja abatido e  transformado em um coração de carne, obediente ao PAI. Ainda que, para isso, o rebelde tenha que passar por situações amargas, difíceis na vida. Mas DEUS traz. DEUS faz. DEUS cumpre. Não por merecimento nosso, mas porque uma família unida, constituída e abençoada por ELE é a garantia e a esperança de salvação do amanhã. DEUS “(…) chama à existência as coisas que não são como se já fossem” (Romanos 4:17). Por isso, ELE encontrou Saulo no caminho de Damasco, um homem perseguidor da igreja cristã, inimigo do evangelho, e fez cair as escamas dos seus olhos, deu-lhe novo nome (passou a se chamar Paulo) e vida nova (foi o maior pregador da igreja primitiva). Esse mesmo DEUS fará o mesmo com o marido ou a esposa que deseja destruir a aliança matrimonial. “Por isso vos digo que tudo o que pedirdes em oração, crede que recebestes, e será vosso” (Marcos 11:24).

DEUS trará de volta o seu cônjuge porque eu sou um exemplo vivo disso. Antes fui adúltero, traidor, infiel à minha esposa e a DEUS. Vivia enlaçado com prostitutas, chegando ao cúmulo de manter sexo com três a quatro por dia. Bebi da lama podre e comi no esgoto espiritual. Minha esposa orava incessantemente por mim. Hoje estou aqui, resgatado pelas mãos poderosas do Nosso DEUS, liberto e, o que é melhor, com um Ministério voltado para a recuperação dos casamentos. Um dia, como Saulo, fui destruidor de vidas e de famílias. Hoje, como Paulo, eu sirvo ao meu SENHOR JESUS, porque tudo ELE pode e “nenhum dos seus planos pode ser impedido” (Jó 42:2). Dessa forma, tão certo como eu vivo, como o ar que respiro, creio na restauração de todos os casamentos. O tempo para isso dependerá da obediência e do saber esperar e crer de cada um. Para uns, o tempo demorará mais. Para outros, chegará mais depressa. Mas o que garanto é que, para todos, o tempo da colheita, onde toda lágrima cessará e dor não existirá mais,  chegará. E quando esse tempo chegar “saberás, pois, que o Senhor, teu Deus, o Deus fiel, que guarda o concerto e a misericórdia até mil gerações aos que o amam e guardam os seus mandamentos” (Deuteronômio 7:9).

Creia e espere. A vitória é certa em Nome de JESUS! Deus nos abençoe!

Filhos adulterinos (Parte 1)

Filhos adulterinos é uma expressão antiga, utilizada no primeiro Código Civil Brasileiro, para se referir aos filhos que nasciam resultado de um relacionamento extraconjugal, ou seja, adúltero.

Face ao grande e incontrolável número de crianças que nasceram nessa condição, algo que foi se tornando, a cada dia, mais comum na sociedade, que a expressão foi entrando em desuso até desaparecer de vez.

Como disse, é muito comum hoje em dia encontrarmos irmãos de pai ou de mãe diferentes. Os filhos tornam-se vítimas da irresponsabilidade dos seus pais, porque nascem e crescem em uma sociedade desajustada de famílias múltiplas e esfaceladas.

DEUS criou a família como resultado de uma união carnal, em primeiro casamento (deixar a casa do pai e da mãe), de um homem e de uma mulher para crescerem juntos dentro de um lar, serem abençoados, prosperarem, enfrentarem juntos todas as dificuldades, gerarem filhos, e os educarem dentro de preceitos morais e espirituais bíblicos. E, assim, esses filhos também crescerem, casarem-se com novas pessoas e difundirem tais valores para futuras gerações.

Mas a realidade que encontramos hoje é bem diferente daquela criada pelo SENHOR: filhos que crescem dentro de um lar adúltero (união resultante do repúdio e/ou do divórcio) ou dentro de uma casa onde inexista cotidianamente a presença do pai ou da mãe.

A Bíblia traz alguns episódios semelhantes ao retrato familiar da geração atual. A trajetória familiar do rei Davi é uma das mais conhecidas. Alguns teólogos atestam que ele nasceu fruto de um relacionamento adúltero do seu pai, Jessé, com uma prostituta, visto que a diferença de idade dele (Davi) para os demais irmãos era enorme, além de, à época de Saul, Jessé já ser de avançada idade (“E Davi era filho de um homem efrateu, de Belém de Judá, cujo nome era Jessé, que tinha oito filhos; e nos dias de Saul era este homem já velho e adiantado em idade entre os homens” – 1 Samuel 17:12). Isso também pode ser comprovado na repulsa com que os primeiros filhos de Jessé o tratavam. Não podemos nem afirmar, com cem por cento de certeza, nem descartar, que os primeiros filhos de Jessé possivelmente também tenham nascido frutos de adultério do seu pai com várias mulheres. Mas podemos assegurar, com toda certeza, que a época em que Davi fora escolhido rei pelo SENHOR, sua mãe (que não é mencionada na Bíblia, mas alguns supõem ter sido uma prostituta) já era morta. Davi admite no Salmo 51 ter nascido fruto do pecado dos seus pais: “Eis que em iniquidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe” (Salmo 51:5). Davi, diferentemente dos seus irmãos, não era convidado para as melhores festas. Quando Samuel esteve em sua casa para escolher, a mando de DEUS, o rei que sucederia a Saul, todos os primeiros filhos foram apresentados, com exceção de Davi, que estava no campo, trabalhando na agricultura e cuidando de ovelhas. Ao findar a apresentação de todos os primeiros filhos, o próprio Jessé se surpreendeu quando Samuel disse, por revelação do Espírito Santo, de que deveria haver outro (“Acabaram-se os moços?...” - 1 Samuel 16:11). Não poderia um filho adulterino, que vivia em trabalho duro no pasto, ser escolhido para rei sobre a nação de Israel. Mas foi. O SENHOR ungiu a Davi, escolheu-o dentro de uma família desajustada, de origem estranha, para, por meio dele, vir toda a linhagem espiritual dos que, um dia, iriam ser alcançados pela Sua Graça e herdar o Seu Reino. DEUS não só conserta o homem como endireita todas as suas veredas. É de autoria de Davi o seguinte clamor: “Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome” (Salmo 23:3). Os pensamentos do SENHOR não são os nossos pensamentos. Nem os critérios de DEUS os nossos critérios. DEUS tem critérios perfeitos, que não cabe ao homem questionar; apenas aceitar. Certamente, se aquela escolha, ocorrida dentro da casa de Jessé, estivesse sob o encargo de qualquer outro ser humano, este jamais escolheria um jovem como Davi para ser rei do seu povo.

Davi nasceu dentre de uma  “gene” familiar desajustada e, mesmo quando foi escolhido para suceder Saul, conviveu, dentro do palácio, com uma esfera espiritual diabólica (de pecados, orgias, idolatria, mentira). Afinal, de quais ventres nasceram alguns dos filhos de Saul, como Merabe, Mical e Jônatas? Seriam da mesma mãe? Pelo caráter prostituído de Saul, podemos deduzir que não. Atente que a família de Saul, em si, já era completamente desajustada: Merabe, que era para ser a primeira esposa de Davi, foi dada a um meolatita. Davi aceitou receber a Mical como sua primeira esposa que, mais tarde, enganou o próprio pai para livrar o marido das mãos dele. Jônatas adiante também fez uma aliança com Davi, ficando do lado oposto do pai.
Davi inicia o seu reinado em Judá já repudiado de Mical e com duas novas mulheres: “E subiu Davi para lá, e também as suas duas mulheres, Ainoã, a jizreelita, e Abigail, a mulher de Nabal, o carmelita” (2 Samuel 2:2). Aos poucos, o próprio Davi foi se contaminando com os pecados sexuais dos que andavam a sua volta. Com Ainoã, nasceu o seu primeiro filho, Amnom. O seu segundo, Quileabe, com Abigail. E ainda muitos outros de mulheres diferentes: Absalão nasceu fruto da relação sexual que Davi teve com Maaca, filha de Talmai, rei de Gesur; Adonias, filho de Davi com Hagite; Sefatias, filho com Abital; e Itreão, filho de sua relação com Eglá. Esses foram os filhos que nasceram em Hebrom. Mas muitos outros ainda iriam nascer com outras mulheres e em outros lugares. Depois que é constituído rei sobre Israel, muitos outros filhos adulterinos seus nasceram em Jerusalém: “E tomou Davi mais concubinas e mulheres de Jerusalém, depois que viera de Hebrom; e nasceram a Davi mais filhos e filhas. E estes são os nomes dos que lhe nasceram em Jerusalém: Samua e Sobabe, e Natã e Salomão, e Ibar, e Elisua, e Nefegue, e Jafia, e Elisama, e Eliada, e Elifelete” (2 Samuel 5:13-16). Davi, por muito tempo, deixou um profundo rastro de tristeza em muitas famílias. Ele foi rei sobre duas nações (Judá e Israel) que haviam se afastado dos mandamentos de DEUS e adulterado com a idolatria e prostituição das nações pagãs. O livro de Jeremias, em todo o capítulo 3, mostra com clareza o véu do adultério espiritual e físico com que se envolveram essas duas nações. Também o casamento simbólico de Oséias testifica o quão estavam apodrecidas essas nações.

Mesmo depois de vencer muitas batalhas contra os inimigos, o ungido de DEUS, Davi, ainda encontrou oportunidade de cometer mais um adultério, este seguido de morte. Em uma tarde, avista do terraço da casa real a uma mulher que estava se lavando, muito formosa à vista. Chamou os seus conservos e perguntou-lhes de quem se tratava. Todos foram unânimes em dizer que aquela mulher era esposa do chefe da guarda dele, Urias: “...Porventura não é esta Bate-Seba, filha de Eliã, mulher de Urias, o heteu?” (2 Samuel 11:3). Ou seja, Davi cometeu o pecado conscientemente. Agora, Davi, no mínimo, causa mal a mais duas famílias: a de Eliã e a de Urias. Em primeiro momento, com Urias ainda vivo, Bate-Seba engravida de Davi. Com sete de dias, a criança morreu. Depois que Urias foi morto, Bate-Seba volta a engravidar, e desta feita, nasce Salomão: “Então consolou Davi a Bate-Seba, sua mulher, e entrou a ela, e se deitou com ela, e ela deu à luz um filho, e deu-lhe o nome de Salomão; e o SENHOR o amou”(2 Samuel 12:24). É curioso afirmar que, dentre todos os filhos de Davi com inúmeras mulheres, Salomão fora o único que recebeu declaradamente o amor do SENHOR. Por que terá sido? Ora, Urias já era morto, portanto, Bate-Seba viúva. Davi também era viúvo do primeiro casamento, com Mical, filha de Saul, que havia sido morta tempos antes sem gerar filhos (2 Samuel 6:23). Todos os outros relacionamentos que Davi tivera entre Mical e Bate-Seba, nenhum foi considerado casamento por DEUS, visto que as mulheres traíram seus maridos e considerando que Mical ainda estava viva. O que o apóstolo Paulo veio a escrever, muitos séculos depois, sobre casamento, foi inspirado nas Escrituras Antigas e na doutrina perfeita do SENHOR e era do conhecimento de Davi: “Porque a mulher que está sujeita ao marido, enquanto ele viver, está-lhe ligada pela lei; mas, morto o marido, está livre da lei do marido. De sorte que, vivendo o marido, será chamada adúltera se for de outro marido; mas, morto o marido, livre está da lei, e assim não será adúltera, se for de outro marido” (Romanos 7:2-3). Davi conhecia bem essa verdade. A diferença entre Paulo e Davi foi o meio onde ambos se estabeleceram como líderes e, sobretudo, homens: Davi, no meio de uma realidade abominável; Paulo, instruído pelo santo Gamaliel e doutrinado diretamente por DEUS em um arrebatamento espiritual. Os da época de Davi se permitiam deliberadamente à prostituição (porque a Lei os conduzia a isso), enquanto que os da geração de Paulo preferiram concluir: “Se essa é a condição do homem relativamente à mulher, não convém casar” (Mateus 19:10).

Embora a história bíblica registre os nomes dos filhos adulterinos de Davi e sua consequente triste trajetória familiar, nenhum deles é lembrado com glamour nem ocupa feitos extraordinários nas páginas das Sagradas Escrituras. Ao contrário, quando são lembrados, é por vingança, morte, traição, incesto e coisas parecidas, como os de Amnom com Tamar, em 2 Samuel, capítulo 13; e a rebelião e morte de Absalão. DEUS havia dito que a espada nunca mais se apartaria de sua casa. E, de fato, cumpriu. Ao contrário, no Novo Testamento não vemos episódios de desestruturação familiar (o máximo que lemos é sobre a enfermidade da sogra de Pedro) nem escândalos parecidos com os de Davi envolverem os apóstolos e líderes das igrejas primitivas, visto que eles tinham o testemunho saído do fôlego do SENHOR JESUS de quanto o casamento é importante para DEUS, assim como a submissão das esposas, o amor do marido por elas e a educação dos filhos no temor do SENHOR.
É muito triste crianças nascerem e crescerem sabendo que os seus pais não podem ser marido e esposa licitamente aos olhos de DEUS, viverem como casados, repito, segundo a doutrina do SENHOR. É igualmente triste elas saberem que possuem outros irmãos em outras casas; irmãos apenas da parte de mãe ou de pai. Isso representa a desestruturação familiar e produz raízes terríveis em uma sociedade desacreditada, sem valores e sem paz.

Os filhos adulterinos precisam ser amados por seus pais, ainda que eles vivam separados. A eles, no tempo do entendimento, será necessário esclarecer toda a Verdade (se os pais, no futuro, tiverem sido verdadeiramente transformados pelo Espírito de DEUS). Porque é bem melhor pegar o que nasceu dentro de uma biografia tortuosa e consertar a tempo do que deixar florescer galhos apodrecidos, sem sustentação alguma, em futuros lares.
Conheço filhos adulterinos que cresceram sob a luz da Verdade. Por isso, tornaram-se cidadãos e cidadãs saudáveis (tanto espiritualmente como emocionalmente) e estão preparados para construírem, no futuro, uma história familiar muito mais digna e exemplar em relação àquela que os seus pais construíram sob a égide do pecado e da desobediência.
Que DEUS nos abençoe!

Pedro, Tiago e João ou Bartolomeu?

Que privilégio teve Bartolomeu! Ele esteve lá. Quem não gostaria de ter estado no lugar dele?
Mas, afinal, quem foi Bartolomeu?

Por incrível que pareça foi um apóstolo obscuro dentro do Ministério de JESUS.
Ninguém o viu. Ninguém sabe da existência ou da importância de Bartolomeu. Apenas que ele recebeu um chamado especial como outros onze: ser apóstolo de JESUS.

O nome Bartolomeu, referindo-se àquele que recebeu o chamado para ser apóstolo, só aparece duas vezes no Novo Testamento: uma, no exato momento do chamado (podemos ler isso em Mateus 10:3, Marcos 3:18, Lucas 6:14) e se preparando para um culto doméstico com os demais: “E, entrando, subiram ao cenáculo, onde habitavam Pedro e Tiago, João e André, Filipe e Tomé, Bartolomeu e Mateus, Tiago, filho de Alfeu, Simão, o Zelote, e Judas, filho de Tiago” (Atos 1:13) (grifo meu). (Lembrando que cenáculo era o salão construído em cima do andar térreo de uma casa).

Aliás, dos doze inicialmente separados, o Novo Testamento dá mais ênfase e destaque apenas para três: Pedro, Tiago e João. Esses, sem dúvida, eram os mais achegados, os que mais apareciam. Olha o que a Bíblia diz da importância deles dentro do Ministério do SENHOR.

Ressurreição da filha de um principal da sinagoga: “E não permitiu que alguém o seguisse, a não ser Pedro, Tiago e João, irmão de Tiago” (Marcos 5:37);

Transfiguração no Monte: “E seis dias Jesus tomou consigo a Pedro, a Tiago e a João, e os levou sós, em particular, a um alto monte; e transfigurou-se diante deles” (Marcos 9:2);

Participaram de um momento de angústia do SENHOR: “E foram a um lugar chamado Getsêmani, e disse aos seus discípulos: Assentai-vos aqui, enquanto eu oro. E tomou consigo a Pedro, a Tiago e a João, e começou a ter pavor e a angustiar-se” (Marcos 14:32-33).

É bem verdade que JESUS nunca fez acepção de pessoas, especialmente, tratando-se dos seus apóstolos. Mas, fora esses três, os outros mais conhecidos se chamam: Judas Iscariotes, porque O traiu; e Tomé, que só creu porque viu. E... só!

Pedro ficou conhecido porque vivera muitas experiências com o SENHOR. Era um apóstolo ativo, atuante, participativo, que não tinha medo de desafios; ousado; e que, por causa disso, estava sujeito a sucessos e a fracassos. Foi necessário que Pedro tivesse passado pelo que passou como uma preparação do que viria a acontecer com ele depois da ressurreição do SENHOR. O homem maduro e estruturado espiritualmente que pregou e 3 mil, e depois 5 mil foram convertidos. Pedro, Tiago e João decidiram conquistar o seu lugar privilegiado junto a JESUS. Decidiram não ser como os outros, coadjuvantes, pouco participativos, obscuros dentro de um Ministério tão maravilhoso e especial como era aquele. Um Ministério de grandes lutas, afrontas, mas também de profundas maravilhas e milagres. Viver intensamente ao lado de JESUS. Dispor-se a profundas experiências. Era isso que esses três propuseram entre si. Hoje não temos mais JESUS homem, materializado em nosso meio. Nem Paulo. Mas temos outros homens ungidos por DEUS, com os quais podemos igualmente amadurecer e crescermos espiritualmente.

Pedro andou sobre as águas e quase naufragou; negou a JESUS em um momento crucial do Seu Ministério; deu brecha ao diabo quando quis evitar o sofrimento do SENHOR; agiu na carne quando extirpou uma orelha de um dos soldados romanos, quando da prisão de JESUS.
João ficou conhecido como o apóstolo mais amado.
Tiago escreveu uma das mais belas páginas do Novo Testamento e deu conselhos seguros à igreja em sua epístola.

Mas, o que fez Bartolomeu?
Infelizmente, atualmente, as pessoas que receberam de DEUS o privilégio de participarem ativamente de um Ministério, não o fazem. A cultura religiosa e maldita dos templos não permite a compreensão verdadeira do que é ser igreja. O que conhecemos hoje como igreja é um amontoado de pessoas que se reúnem passivamente nos templos e não produzem absolutamente nada. São como marionetes. Não se relacionam com a autoridade, os pastores, porque eles próprios se tornam muito inacessíveis a isso. E também muitos não querem se expor, porque é cômodo entrar e sair sempre do mesmo jeito.

Há pessoas, em nosso Ministério, que, infelizmente, são a imagem do inexpressivo Bartolomeu. Muitas das quais próximas a mim, em Brasília, Distrito Federal. Outras, mesmo distante, comportam-se como um Pedro, Tiago e João.

O importante é viver intensamente e dentro de grandes propósitos para amadurecimento pessoal e espiritual, sabendo que as experiências produzirão em nós a renovação da esperança, como escreveu Paulo em Romanos 5:4. Não busco fama alguma, mas desejo ser um dos principais do Reino de DEUS aqui na terra. Não fui chamado apenas para ser mais um, muito menos para esquentar banco de templos. Como pastor, quero viver intensamente. E sei que devo me submeter a experiências boas e amargas também. Todas as coisas cooperarão para o meu bem, porque AMO O SENHOR acima de qualquer coisa.

O melhor que me aconteceu foi me libertar da cultura religiosa de que eu só podia ser cristão se estivesse associado a alguma denominação, se tivesse a carteirinha de membro em dia.
Hoje sou IGREJA e convido a todos a serem. Convido todos a saírem do comodismo de Bartolomeu e a viverem como Pedro, Tiago e João que, com ousadia, souberam criar um espaço tão importante dentro de um Ministério especial.

Quanto mais amadurecimento, mais saímos da mira do diabo e saberemos reagir melhor às investidas do inimigo contra nós.
Igreja, desperte!!
 

© Template Grátis por Cantinho do Blog. Quer um Exclusivo?Clique aqui e Encomende! - 2014. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré