Páginas

Onde está, na Bíblia Sagrada, a aprovação ao divórcio e ao recasamento de divorciados? (Parte 2)

 “Todavia, aos casados, mando não eu, mas o Senhor, que a mulher não se separe do seu marido” (1 Coríntios 7:10).



O apóstolo Paulo foi um dos que mais escreveram sobre casamento e relacionamentos em geral. Não é de nos espantar, pois as igrejas, que ele liderava, estavam como as dos dias de hoje, repletas de pessoas com sérios problemas conjugais. Se muitos grupos cristãos, espalhados em diversas partes, enfrentavam tais problemas, os situados em Corinto, certamente, eram os mais problemáticos de todos.

Paulo já havia ido ali e ensinado pessoalmente o que é ser cristão e todo o conjunto doutrinário do Nosso Senhor JESUS CRISTO para que eles vivessem em novidade de vida. Os cristãos, em Corinto, ouviram do próprio apóstolo “in loco” os conselhos de JESUS para uma vida de santidade. Os firmes fundamentos haviam sido lançados sobre eles. E as relações conjugais não ficaram de fora. Em Carta escrita aos cristãos em Roma, Paulo já havia dito que somente a morte poderia desfazer um casamento: “Por exemplo, a mulher que está sujeita ao marido, enquanto ele viver, está ligada a ele pela lei (do casamento), mas morto o marido, está livre da lei do marido. De sorte que, vivendo o marido, será chamada adúltera se unir-se a outro homem. Mas, morto o marido, está livre da lei, e assim não será chamada adúltera, se for de outro marido” (Romanos 7:2-3) (grifo meu).

A igreja instalada em Éfeso também teve o privilégio de ser ensinada pelo apóstolo de CRISTO no tema do casamento: “Vós, mulheres, submetei-vos a vossos maridos, como ao Senhor. Pois o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo Ele próprio o salvador do corpo. De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos (é um dever cristão). Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível. Assim devem os maridos (é dever cristão) amar as suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo. Porque nunca ninguém odiou a sua própria carne; antes a alimenta e sustenta, como também o Senhor à igreja; porque somos membros do seu corpo, da sua carne e dos seus ossos. Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher; e serão dois numa só carne. Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de Cristo e da igreja. Assim também vós, cada um em particular, ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher reverencie o marido” (Efésios 5:22-33) (grifos meus).

Paulo ensina que o marido, que repudia a família, além de pecar gravemente contra DEUS por desobediência, atesta que odeia a si mesmo, a própria carne. É uma pessoa morta espiritualmente. Assim como uma esposa que é insubmissa, que tem voz de autoridade sobre o marido, comete a mesma abominação contra o SENHOR.

Embora tais advertências tenham sido escritas às igrejas, ou seja, composição de pessoas que haviam experimentado o novo nascimento em CRISTO JESUS, os conselhos matrimoniais fundamentados em CRISTO serviriam também aos ímpios, pois eles, embora vivam na ignorância e não queiram obedecer a CRISTO, serão julgados pela mesma Palavra. Não haverá uma segunda via de julgamento para os ímpios e ignorantes! JESUS quando escreveu em Marcos e em Lucas, referiu-se à humanidade em geral: “Qualquer um que repudiar a sua esposa e se casar com outra comete adultério, e o que casar com a repudiada pelo marido, adultera também” (Lucas 16:18).

O ponto básico ensinado por JESUS e confirmado pelos apóstolos é de que o casamento é válido até o último respirar do marido ou da esposa; e que, quem repudiar, se separar, tentar fazer dois o que DEUS havia feito um, e se unir sexualmente a uma nova pessoa, estará cometendo adultério, lançado fora do Corpo de CRISTO e, automaticamente, do reino de DEUS. Voltando à Carta de Paulo aos irmãos em Corinto, ele bem atestou essa verdade: “Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas (os que praticam sodomia, sexo anal), nem os ladrões, nem os avarentos (os que são apegados ao dinheiro), nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus. E é o que alguns de vós têm sido (…)” (1 Coríntios 6:9-11) (grifos meus). Portanto, toda pessoa que se enquadra nessa lista de pecados, organizada por Paulo, não tem o Espírito de DEUS e anda sem a salvação da alma. Faz-se necessário arrependimento e abandono do pecado.

Os crentes em Corinto viviam mesmo incomodados por aquilo que Paulo havia ensinado para eles quando lá esteve. Não era possível que pessoas que um dia haviam conhecido e experimentado a luz do SENHOR, quisessem voltar às práticas da velha vida, no tempo em que eram separados de DEUS. Mas era exatamente essa a realidade que estava acontecendo no meio deles. A prova é que alguns deles voltaram a interrogar o apóstolo, por Carta, novamente sobre essas questões. Daí, Paulo, ao iniciar o capítulo 7, começa respondendo essas questões: “Ora, quanto às coisas que me escrevestes, bom seria que o homem não tocasse em mulher” (vers. 1). Paulo inicia o conjunto de respostas afirmando que o ideal, o bom, o agradável, era que homem nenhum tocasse em mulher, ou seja, que não mantivesse relação sexual ilícita antes do casamento. Claro que o apóstolo não estava levantando a bandeira de que todos deveriam viver na solteirice e não gerassem filhos. Mas a advertência aqui é para que homens e mulheres solteiras preservem o corpo virgem, no temor ao SENHOR e só se entreguem, sejam uma só carne, após o casamento. No versículo seguinte, ele explica o porquê da afirmação anterior: “Mas, por causa da fornicação (do grego pornéia), cada um tenha a sua própria mulher, e cada uma tenha o seu próprio marido” (vers. 2) (grifo meu). Paulo está orientando para o seguinte: “solteiros, fujam da fornicação! Porém, quem não consegue se controlar, procurem ter a sua própria esposa e marido”.  Observe: o seu próprio marido e a sua própria esposa. Paulo toca mais uma vez no ponto crucial: casamento para DEUS apenas se for o primeiro de ambos, ou o segundo em caso de viuvez.

Nos três próximos versículos, o apóstolo de JESUS e grande líder das igrejas cristãs alerta sobre o valor da relação sexual para se obter um casamento forte e abençoado. O sexo lícito é o que sustenta o casamento e traz a bênção de DEUS sobre o casal e a família: “O marido pague à mulher a devida benevolência, e da mesma sorte a mulher ao marido. A mulher não tem poder sobre o próprio corpo, mas tem-no o marido; e também da mesma maneira o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no a mulher. Não vos priveis um ao outro, senão por consentimento mútuo por algum tempo, para vos aplicardes ao jejum e à oração; e depois ajuntai-vos outra vez para que satanás não vos tente pela vossa incontinência” (versículos 3 a 5). Maridos e esposas, licitamente casados por DEUS, pessoas que, quando solteiras, largaram pai e mãe para se darem em casamento, devem pagar um ao outro que é devido, ou seja, o preenchimento da necessidade sexual que um e outro terão no casamento. Pagar! Não dever sexo ao cônjuge para não oprimi-lo por satanás nessa área. A palavra benevolência quer dizer disposição favorável em relação a alguém, demonstrar tolerância, complacência, cordialidade etc. Se a esposa precisar e quiser sexo, o marido não deve criar resistência, pois quem passou a exercer domínio sobre o corpo dele, após o casamento, é a esposa. Assim a esposa deve agir em relação ao marido. Exceto, claro, em casos de doenças, fadiga, algo que realmente impossibilite à prática sexual prazerosa. Nesses casos, o cônjuge deve contar com a compreensão do outro. O versículo 5, Paulo começa com uma advertência muito séria: NÃO VOS PRIVEIS UM AO OUTRO, ou seja, NÃO DEIXEM DE ESTAR EM CONVIVÊNCIA ÍNTIMA, NÃO VOS ABSTENHAM DO SEXO. Se assim fizerem, que seja por consentimento mútuo, na concordância de ambos, por pouco tempo apenas, para orarem e jejuarem; mas, após isso, voltem outra vez a terem sexo, a serem uma só carne, PARA QUE satanás NÃO VOS TENTE, NÃO OPRIMA O CASAL, NÃO CONTAMINE O CORAÇÃO DE AMBOS, PARA QUE O CASAL NÃO DÊ ESPAÇO ALGUM PARA O PECADO DO ADULTÉRIO.

Essa é a brecha que o diabo tanto almeja e que muitos casais cristãos estão dando a ele. O problema sexual nos casais casados é, hoje, uma triste realidade nas igrejas. Irmãos sofrendo com isso dentro de casa, sem apoio dos líderes, que, muitas vezes, mantêm um distanciamento das ovelhas, não dando a cobertura e orientação necessárias. Os templos se tornaram gigantescos e os líderes perderam o controle sobre todos. Passar uma semana sem sexo não é normal para o casal cristão. Passar 15 dias também, não. Muito menos passar 1, 2, 3 meses, 1 ano. Estou escrevendo para pessoas cristãs, tementes a DEUS. A abstinência sexual as levará ao pecado do adultério, à morte espiritual.

O versículo 6, Paulo afirma que se casar não é um mandamento, mas uma permissão, uma escolha deixada por DEUS. E ele explica no versículo seguinte: “Porque quereria que todos os homens fossem como eu mesmo (Paulo era solteiro e tinha uma vida dedicada ao SENHOR); mas cada um tem de Deus o seu próprio dom, um de uma maneira e outro de outra” (versículo 7). Não há de negar que o casamento não é uma obrigação, um mandamento deixado por DEUS para a humanidade. Mesmo na igreja primitiva, muitos líderes eram casados e isso não os impediam de servir ao SENHOR. Veja o que Paulo escreveu a Timóteo: “Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma só mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar, não dado ao vinho, não espancador, não cobiçoso de torpe ganância, mas moderado, não contencioso, não avarento (essa é uma triste realidade de muitos líderes atuais); que governe bem a sua casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia (porque, se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da igreja de Deus?); não neófito (que não seja novo convertido), para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação do diabo. Convém também que tenha um bom testemunho dos que estão de fora, para que não caia em afronta e no laço do diabo” (1 Timóteo 3:2-7) (grifos meus). Os versículos 8 e 9, da primeira Carta de Paulo aos Coríntios, estão reservados aos solteiros e às viúvas (pois estão na mesma situação para DEUS): “Digo, porém, aos solteiros e às viúvas, que lhes é bom se ficarem como eu. Mas, se não podem conter-se, casem-se. Porque é melhor casar do que abrasar-se”. Esses versículos reafirmam tudo o que Paulo dissera anteriormente e demonstram a importância de ser fiel a DEUS, não só na alma, como também no corpo, abstendo-se da relação sexual ilícita. Se perceberem que não vão conseguir, antes de cair no laço do diabo, casem-se!

Os versículos seguintes são dirigidos por Paulo aos casados em primeiro casamento, não mais como um conselho apostólico, fundamentado na Palavra de DEUS, mas como uma ordem, um mandamento do próprio DEUS: “Todavia, aos casados, mando, não eu mas o Senhor (é DEUS quem manda, quem ordena) que a mulher não se separe do seu marido. Se, porém, se apartar (se, porém, ocorrer a separação), QUE FIQUE SEM CASAR ou que se reconcilie com o marido; e que o marido não deixe a mulher (versículos 10 e 11) (grifos meus). Já explicamos que esses versículos não se tratam de conselho ou de permissão apostólica, mas de mandamento da parte de DEUS. A vontade de DEUS é que marido e esposa não se separem, não se deem em repúdio, não se apartem. DEUS odeia quem repudia: “Porque o SENHOR, o DEUS de Israel diz que odeia o repúdio e aquele que encobre a violência a sua roupa, diz o Senhor dos Exércitos; portanto guardai-vos em vosso espírito e não sejais desleais” (Malaquias 2:16). Ao mesmo tempo, DEUS sabe que separações serão possíveis entre pessoas falhas, errantes, que, muitas vezes, se desviarão da vontade DELE. Por isso, inicia o versículo 11, anunciando essa possibilidade de haver separação, com uma ressalva: se, porém, se separarem, não se casem de novo! Ou seja, não pratiquem relação sexual com nenhuma outra pessoa. O corpo do marido foi feito apenas para deleite da esposa e vice-versa. DEUS exige a preservação da santidade tanto da alma como também do corpo. Casais passarão por grandes tribulações no casamento e alguns até se separarão. Porém, muito cuidado: essa separação pode ocasionar grandes danos espirituais aos que repudiaram os seus cônjuges. A separação de corpos juntamente com a necessidade sexual do ser humano levará quem repudiou à escravidão do adultério e às tristes consequências: morte espiritual, filhos afetados, destruição dos bens construídos pelo casal, doenças, futuras crises financeiras etc. A Bíblia diz que um abismo atrai outro abismo. E essa verdade se vê claramente na vida de quem repudiou. Novo casamento não traz alegria para ninguém, mas apenas tristeza.

Logo após a ordem de DEUS para não se casarem de novo, surge a partícula OU: “…OU QUE SE RECONCILIE COM O MARIDO”. DEUS não está dando duas opções, duas alternativas para os separados, como muitos imaginam. ELE não está ordenando a pessoa escolher isso ou aquilo, a ficar sozinha ou a buscar a reconciliação. Não é isso. Não se trata aqui de uma partícula alternativa, mas de uma conjunção explicativa. A partícula OU só é usada com valor de alternância quando exprime duas ideias opostas para se escolher uma: OU CHUVA OU SOL; OU ALEGRIA OU TRISTEZA. A ordem de não se casar não é, linguisticamente, oposta a de se reconciliar. Não são duas ideias de natureza contrária. A conjunção OU presente no versículo exprime explicação e tem o mesmo valor do PORQUE. Assim o versículo deve ser entendido da seguinte maneira: “SE, PORÉM, OCORRER A SEPARAÇÃO, QUE FIQUE SEM CASAR, PORQUE DEVE SE RECONCILIAR COM O MARIDO. E QUE O MARIDO NÃO DEIXE A SUA ESPOSA”. DEUS mostra o quanto é a favor da restauração do casamento que ELE testemunhou, do perdão entre os cônjuges, da reconciliação de marido e esposas. Eles não se casaram para viverem distantes um do outro, com amargura no coração, mas para crescerem juntos em santidade ao SENHOR.

Os três próximos versículos são direcionados a outros tipos de casais: aos que vivem em jugo desigual (onde, um é crente e o outro, descrente) e não desejam a separação. O versículo 12, para o irmão crente que tem uma esposa descrente, ímpia. O 13, para a esposa crente que tem o marido descrente. Um e outro não devem abandonar seus cônjuges pelo simples fato de ainda não serem convertidos ao SENHOR: “Porque o marido descrente é santificado pela mulher; e a mulher descrente é santificada pelo marido; de outra sorte os vossos filhos seriam impuros; mas agora são santos” (vers. 14). Observe o grande cuidado de DEUS e do apóstolo para que os casais casados evitem o repúdio. Analise também como muitas denominações, que se dizem cristãs, estão em um padrão de religiosidade muito distante do padrão de DEUS para a Sua igreja, o Seu povo.

O versículo 15 é o texto áureo mais usado por algumas lideranças divorcistas, contra a família de DEUS: “Mas, se o descrente se apartar, aparte-se; porque neste caso o irmão ou a irmã não está sujeito à servidão; mas Deus chamou-nos para a paz”. Onde DEUS e o apóstolo estimulam o divórcio e o novo casamento nesse versículo? Só uma mente cauterizada pelo diabo pode enxergar tal coisa, além do que, entraria em contradição com tudo o que até aqui foi ensinado por DEUS e ratificado pelo apóstolo. Qual o sentido real desse texto? Diferentemente dos versículos 13 e 14, onde um deles não é crente e não deseja a separação e Paulo os orienta a permanecerem juntos, o versículo 15 apresenta uma situação onde o descrente (seja o marido ou a esposa) queira de toda a maneira a separação. Paulo orienta que o cônjuge cristão aceite essa separação, pois não aceitando estaria correndo o risco de viver debaixo de servidão e chegar a se afastar dos caminhos do SENHOR. Aceitar uma separação é respeitar a vontade do outro. Aceitar uma separação proposta por um descrente não significa, pela Palavra de DEUS, que o repudiado está liberado para se casar novamente. Se assim fosse, Paulo estaria contradizendo JESUS, aquilo que ELE afirmou em Lucas 16:18: “…e o que casa com a repudiada pelo marido comente adultério também”. Paulo, assim como todos os outros apóstolos, sempre andou alinhado com os pensamentos de CRISTO. Forçar uma situação interpretativa apenas para agradar A ou B é uma atitude maligna que será, mais tarde, julgada e condenada por DEUS. A verdade tem que ser pregada para que o trigo e o joio se manifestem. Quem é de JESUS, ainda que tenha ouvido o que não gostaria de ouvir, será confortado (a) pelo Espírito Santo e será muito abençoado (a) por ter renunciado a própria vontade. Os que não são de DEUS ficarão irados, se apartarão, serão entregues pelo próprio DEUS às concupiscências dos seus corações. Quando Paulo encerra o versículo afirmando que DEUS chamou o cônjuge cristão para a paz (CHAMOU-NOS) significa que, forçando uma convivência contra a vontade de uma pessoa opressa, o cristão estará atraindo para si a ira, a revolta, a vingança, o ódio e até a violência do outro. Mas essa separação não significa que o casamento foi desfeito nem que a pessoa repudiada esteja liberada por DEUS para se casar com outra pessoa. Sempre que houver uma separação, todo casal deve se guiar no que está escrito no versículo 11 do mesmo capítulo 7 da primeira Carta aos Coríntios: “NÃO SE CASEM DE NOVO PORQUE DEVEM BUSCAR A RESTAURAÇÃO DA CONVIVÊNCIA”.

Alguém pode me perguntar: “Mas, Pastor Fernando, como buscar a restauração familiar, quando um dos cônjuges, usado pelo diabo, diz que não querer mais de jeito nenhum? Estarei condenado (a) a viver sozinho (a) pelo resto da vida, já que não posso me casar de novo?”. Essas respostas serão tema de um dos nossos próximos estudos. Aguarde!

No versículo 16, Paulo escreve, falando agora da salvação da alma dos cônjuges: “Porque, de onde sabes, ó mulher, se salvarás teu marido? Ou, de onde sabes, ó marido, se salvarás tua mulher?”. De fato, nem o marido cristão saberá se a esposa ímpia dele será salva nem a esposa cristã saberá se o marido dela ímpio se será salvo por DEUS. Mas em todos os casos, solteiros, viúvas e casados devem permanecer e andar com aquilo que DEUS deu, repartiu e chamou. O solteiro cuidando das coisas do SENHOR, buscando como em agradar a DEUS (ref. ao vers. 32). Aquele que está ligado à mulher pelo casamento, não busque separar-se dela (ref. ao vers. 27). E, por fim, “a mulher casada está ligada pela lei todo o tempo que o seu marido vive; mas, se falecer o seu marido fica livre para casar com quem quiser, contanto que seja no Senhor” (1 Coríntios 7:39). Quem tem ouvidos para ouvir, ouça o que o Espírito diz às igrejas!

Ao fim desse estudo, pergunto: onde DEUS aprova o repúdio, o divórcio e o segundo casamento de divorciados? Isso é doutrina de pessoa que ainda não é convertida ao SENHOR, que anda na contramão daquilo que DEUS ensinou e deixou para os Seus filhos. Como disse no início, Paulo foi um dos que mais escreveram sobre casamento cristão. Se adultério realmente desfizesse casamento, se, de fato, essa fosse uma cláusula de exceção no Evangelho de CRISTO, como o apóstolo iria se esquecer de tão preciosa e indispensável informação para a igreja de CRISTO? Terá dado amnésia no apóstolo? Só na cabeça dos hereges passa uma bobagem dessa…

No próximo estudo, iremos estudar minuciosamente o capítulo 19 de Mateus.


Que DEUS nos abençoe!

ESTUDO ELABORADO PELO  PASTOR  FERNANDO CÉSAR 

6 comentários:

  1. vivemos na graça, ninguém pode ou tem o ddireito de julgar desse jeito!
    Tem tanta coisa sendo feito errado nas igrejas, Deus já teria nos condenado!

    ResponderExcluir
  2. ___ Malaquias 2:16 Deus detesta o divórcio.

    ___ Oséias 4:13 explica: (filha solteira ___ prostituição).
    (nora casada ___ adultério).

    Prostituição, é quando um solteiro pratica ato sexual ilícito.

    Adultério, é quando um casado pratica um ato sexual fora do casamento.

    Quando somente podia haver dissolução do laço matrimonial __ por prostituição ou por adultério ? Além da dissolução do casamento, o que acontecia com a jovem que enganava o noivo ? Tinha o moço proteção da lei, caso na noite de núpcias descobria que houve infidelidade do voto e ela não era virgem ?
    Deuteronômio 22:13à21

    Sob que única circunstância pode o casamento ser dissolvido? Quando,
    Então, unicamente, tem alguém o direito de ter novo matrimônio?
    S.Mateus 5:32 ___ S.Mateus 19:9
    ___ Eu, porém, vos digo que qualquer que repudiar sua mulher, a não ser por causa de prostituição, faz que ela cometa adultério, e qualquer que casar com a repudiada comete adultério. (Bíblia Sagrada; Edição Revista e Corrigida).

    Viúva ___ 1Corintios 7:39 ___ Romanos 7:1 a 3
    A mulher casada está ligada pela lei todo o tempo que o seu marido vive, mas, se falecer o seu marido, fica livre para casar com quem quiser, contanto que seja no Senhor.

    Casais separados ___ 1Corintios 7:10-11
    Todavia, aos casados, mando, não eu, mas o Senhor, que a mulher não se aparte do marido. Se porém, se apartar, que fique sem casar ou que se reconcilie com o marido; e que o marido não deixe a mulher.

    Eunucos ___ S.Mateus 19:12 Porque há eunucos que assim nasceram do ventre da mãe; e há eunucos que foram castrados pelos homens; e há eunucos que se castraram a si mesmos POR CAUSA DO REINO DOS CÉUS. Quem pode receber isto, recebe-o.

    Qual o conforto para aqueles que estão impedidos de casarem-se de novo, e tem que se fazerem de eunucos? S.Mateus 19:10 a 12 ___ (5:4 a 8) ___ 1 Corintios 7:6 a 11.

    Não sabeis vós, irmãos (pois que falo aos que sabem a lei), que a lei tem domínio sobre o homem por todo o tempo que vive?
    Porque a mulher que está sujeita ao marido, enquanto ele viver, está-lhe ligada pela lei; mas, morto o marido, está livre da lei do marido.
    De sorte que, vivendo o marido, será chamada adúltera se for de outro marido; mas, morto o marido, livre está da lei, e assim não será adúltera, se for de outro marido.
    Romanos 7:1-3

    ___ 1Corintios 7:10-11
    Todavia, aos casados, mando, não eu, mas o Senhor, que a mulher não se aparte do marido. Se porém, se apartar, que fique sem casar ou que se reconcilie com o marido; e que o marido não deixe a mulher.

    Quando estava em casa novamente, os discípulos interrogaram Jesus sobre o mesmo assunto.
    Ele respondeu: "Todo aquele que se divorciar de sua mulher e se casar com outra mulher, estará cometendo adultério contra ela.
    E, se ela se divorciar de seu marido e se casar com outro homem, estará cometendo adultério". S.Marcos 10: 10-11-12.

    1Coríntios 7:10,11,39,40 Bíblia Sagrada traduzida por João Ferreira de Almeida (Revista e Atualizada).

    10 Ora, aos casados, ordeno, não eu, mas o Senhor, que a mulher não se separe do marido
    11 (se, porém, ela vier a separar-se, que não se case ou que se reconcilie com seu marido); e que o marido não se aparte de sua mulher.
    39 A mulher está ligada enquanto vive o marido; contudo, se falecer o marido, fica livre para casar com quem quiser, mas somente no Senhor.
    40 Todavia, será mais feliz se permanecer viúva, segundo a minha opinião; e penso que também eu tenho o Espírito de Deus.

    ResponderExcluir
  3. O Lar Adventista
    Entre os judeus era permitido ao homem repudiar sua mulher pelas mais triviais ofensas, e a mulher se achava então em liberdade de casar outra vez. Este costume levava a grande infelicidade e pecado. No Sermão do Monte, Jesus declarou plenamente que não podia haver dissolução do laço matrimonial, a não ser por infidelidade do voto conjugal. "Qualquer", disse Ele, "que repudiar sua mulher, a não ser por causa de prostituição, faz que ela cometa adultério; e qualquer que casar com a repudiada comete adultério." Mat. 5:32.
    Pag. 340

    O Senhor há de eliminar do seu pacto de amor todo aquele que fizer isso, seja ele sacerdote ou homem comum!
    Mas apesar disso, vocês cobrem de lágrimas o altar, porque o Senhor não dá mais atenção às suas ofertas e porque vocês não recebem mais as suas bênçãos.
    Por que foi que Deus nos abandonou?" Vocês perguntam chorando. Eu vou dizer. É porque o Senhor viu a traição que vocês cometeram, abandonando suas esposas, que foram fiéis por tanto tempo. Aquelas companheiras a quem prometeram o cuidado e sustento.
    Ninguém com um pouco de juízo faria isso. Mas, quem fez um patriarca? Dirão vocês. Bem, ele procurava uma descendência prometida por Deus, num propósito espiritual. Portanto, tenham cuidado com suas paixões e ninguém seja infiel à sua esposa!
    Pois o Senhor, o Deus de Israel, diz que odeia o divórcio e os homens violentos. Então, tenham cuidado com seus sentimentos e não se divorciem de suas mulheres!
    Vocês cansaram o Senhor com suas reclamações e ainda perguntam, com falsa surpresa: "Cansado, o Senhor? Como é que O cansamos?" Afirmando que o mal é bem, que isso agrada ao Senhor! Ou dizendo que Deus nunca os castigará, que Ele não se importa.
    Malaquias 2:12 a 17 (Bíblia Viva).

    "Esses votos ligam os destinos de duas pessoas com laços que coisa alguma senão a mão da morte deve desatar. 1 TSM 576."

    “O casamento, união vitalícia, é símbolo da união entre Cristo e a igreja.” - Testemunhos para a Igreja, vol. 7, pág. 46.

    “O casamento é um passo que se dá por toda a vida. Tanto o homem como a mulher devem considerar cuidadosamente se podem viver um ao lado do outro através de todas as dificuldades da vida enquanto ambos viverem.” - Lar Adventista pág. 340.

    “O voto matrimonial que une o marido à sua esposa deve permanecer intacto...”. - Testemunhos sobre Conduta Sexual Adultério e Divórcio, pág. 78.

    Marcos 10:2-12
    2 Alguns fariseus aproximaram-se dele para pô-lo à prova, perguntando: "É permitido ao homem divorciar-se de sua mulher?"
    3 "O que Moisés ordenou a vocês?", perguntou ele.
    4 Eles disseram: "Moisés permitiu que o homem lhe desse uma certidão de divórcio e a mandasse embora".
    5 Respondeu Jesus: "Moisés escreveu essa lei por causa da dureza de coração de vocês.
    6 Mas no princípio da criação Deus 'os fez homem e mulher'.
    7 'Por esta razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher,
    8 e os dois se tornarão uma só carne'. Assim, eles já não são dois, mas sim uma só carne.
    9 Portanto, o que Deus uniu, ninguém o separe".
    10 Quando estava em casa novamente, os discípulos interrogaram Jesus sobre o mesmo assunto.
    11 Ele respondeu: "Todo aquele que se divorciar de sua mulher e se casar com outra mulher, estará cometendo adultério contra ela.
    12 E, se ela se divorciar de seu marido e se casar com outro homem, estará cometendo adultério".

    ResponderExcluir
  4. Casamento, divórcio, prostituição, adultério e fornicação.
    Princípios de Deus:
    Gênesis 2:18,21,22,23,24
    Malaquias 2:14à16
    Romanos 7:1à3
    1 Coríntios 7:39,40
    1 Coríntios 7:10,11
    S.Marcos 10:2à12
    S.Lucas 16:17,18
    Que disse Jesus quanto ao juramento e o voto matrimonial ?
    Malaquias 2:13à17; S.Mateus 5:33à37; S.Marcos 10:6à9
    Quem foi testemunha entre ti e a mulher da tua mocidade ?
    Malaquias 2:14,15
    Que diz Deus a respeito do divórcio ?
    Malaquias 2:16; Isaías 50:1à3
    O que disse Jesus à mulher samaritana que teve 5 maridos ?
    S.João 4:16,17,18
    O que causou a prisão e morte do profeta João Batista ?
    Romanos 7:1à3; 1 Coríntios 7:39; 1Coríntios 7:10,11
    __ João Batista estava familiarizado com o fato de que Herodes estava prestes a casar-se com a mulher de seu irmão, estando o marido ainda vivo, e fielmente declarou a Herodes que isto não era lícito S.Marcos 6:18 Primeiros Escritos página 154, 155 (Ellen G. White).
    Até quando os laços matrimoniais persistem ?
    Romanos 7:2; 1 Coríntios 7:39
    Como será considerada, se, vivendo ainda o marido, a mulher unir-se com outro ?
    Romanos 7:3
    __ Eu, porém, vos digo que qualquer que repudiar sua mulher, a não ser por causa de PROSTITUIÇÃO, faz que ela cometa adultério, e qualquer que casar com a repudiada comete adultério. __ S.Mateus 5:32. __( Bíblia Sagrada, João Ferreira de Almeida, Edição Revista e Corrigida ).
    __ Mateus 5:32 diz: por causa de infidelidade do voto conjugal (à prostituição).
    __ Mateus 19:9 diz: por causa de prostituição.
    __ Oséias 4:13 prostituição, é quando um solteiro pratica ato sexual ilícito.
    __ Deuteronômio 22:20,21 diz: não se achou virgindade na moça, ela fez loucura prostituindo-se na casa de seu pai.
    __ Mateus 5:31 diz: nesse caso pode dar carta de desquite.
    Quando um solteiro pratica ato sexual ilícito o que constitui
    __ prostituição ou adultério ?
    Deuteronômio 22:20,21
    Quando um casado pratica um ato sexual fora do casamento o que constitui
    __ prostituição ou adultério ?
    Oséias 4:13; Provérbios 6:26; Romanos 7:3; Marcos 10:11
    Quando somente um dos cônjuges está livre para casar de novo ? Como será considerada, se, vivendo ainda o marido, a mulher unir-se com outro ?
    Malaquias 2:14à16; 1 Coríntios 7:39; Romanos 7:1à3
    Quando somente podia haver dissolução do laço matrimonial __ por prostituição ou por adultério ? Além da dissolução do casamento, o que acontecia com a jovem que enganava o noivo ? Tinha o moço proteção da lei, caso na noite de núpcias descobria que houve infidelidade do voto e ela não era virgem ?
    Deuteronômio 22:13à21
    __ Entre os Judeus era permitido ao homem repudiar sua mulher pelas mais triviais ofensas, e a mulher se achava então em liberdade de casar outra vez. Este costume levava a grande infelicidade e pecado. No Sermão do Monte, Jesus declarou plenamente que não podia haver dissolução do laço matrimonial, a não ser por infidelidade do voto conjugal. “Qualquer,” disse Ele, “que repudiar sua mulher, a não ser por causa de prostituição, faz que ela cometa adultério, e qualquer que casar com a repudiada comete adultério.”
    __ Quando, posteriormente, os fariseus O interrogaram acerca da legalidade do divórcio, Jesus apontou a Seus ouvintes a antiga instituição do matrimônio, segundo foi ordenada na criação. “Moisés,” disse Ele, “por causa da dureza dos vossos corações vos permitiu repudiar vossas mulheres; mas no princípio não foi assim.” Mateus 19:8. Ele lhes chamou a atenção para os abençoados dias do Éden, quando Deus declarou tudo “muito bom.” Então tiveram origem o matrimônio e o sábado, instituições gêmeas para a glória de Deus no benefício da humanidade __MDC. 58-59

    ResponderExcluir
  5. Esta é a frase principal que se diz no altar na hora do casamento:

    O noivo diz:
    Eu (nome do noivo), recebo-te por minha esposa
    a ti (nome da noiva), e prometo ser-te fiel,
    amar-te e respeitar-te,
    na alegria e na tristeza,
    na saúde e na doença,
    todos os dias da nossa vida.
    A noiva diz:
    Eu (nome da noiva), recebo-te por meu esposo
    a ti (nome do noivo), e prometo ser-te fiel,
    amar-te e respeitar-te,
    na alegria e na tristeza,
    na saúde e na doença,
    todos os dias da nossa vida.
    Até que a morte nos separe.

    O Pastor pergunta: (nome do noivo) você promete, diante de Deus e destas testemunhas, receber (nome da noiva), como sua legítima esposa para viver com ela, conforme o que foi ordenado por Deus, na santa instituição do casamento? Promete amá-la, honrá-la, consolá-la e protegê-la na enfermidade ou na saúde, na prosperidade ou na adversidade, e manter-se fiel a ela enquanto os dois viverem?". Noivo: “sim, prometo”.O Pastor pergunta: “(nome da noiva) você promete, diante de Deus e destas testemunhas, receber (nome do noivo) como seu legítimo esposo, para viver com ele, conforme o que foi ordenado por Deus, na santa instituição do casamento? Promete amá-lo, honrá-lo, respeitá-lo, ajudá-lo e cuidar dele na enfermidade ou na saúde, na prosperidade ou na adversidade, e manter-se fiel a ele enquanto os dois viverem?". Noiva: “sim”.

    Reflita quem são as testemunhas que se fazem presente: Deus e os Anjos. ___ Malaquias 2:14 Porque o Senhor foi testemunha entre ti e a mulher da tua mocidade,,, a mulher do teu concerto.

    ResponderExcluir
  6. "Suspensão dos adúlteros da igreja — Aqueles que transgridem o sétimo mandamento devem ser suspensos da igreja, não devendo desfrutar da comunhão da mesma nem dos privilégios da casa de Deus. Disse o anjo: “Isto não é um pecado por ignorância. Trata-se de um pecado consciente e que receberá a terrível visitação de Deus, seja o seu praticante idoso ou jovem.” – {TCS 248.4}"
    "Pecado deliberado, arrogante — Nunca dantes foi este pecado considerado tão excessivamente pecaminoso por Deus como no tempo presente. Por quê? Porque Deus está purificando “para Si mesmo, um povo exclusivamente Seu, zeloso de boas obras”. Tito 2:14. "
    "pecam arbitrariamente, dando margem a todas as devassas paixões do coração carnal, satisfazendo suas propensões sensuais, desonrando a causa de Deus e então confessando que pecaram e que se sentem tristes! – {TCS 249.1}
    "E a igreja os recebe e diz “amém” a suas orações e exortações, as quais representam um mau cheiro às narinas de Deus e fazem com que Sua ira se manifeste sobre o acampamento. Ele não permanecerá em suas assembléias. "
    "Aqueles que, em tempos antigos, cometiam tais pecados eram arrastados para fora do acampamento e apedrejados. Sua sorte era a morte temporal e eterna; e porque a penalidade de apedrejamento foi abolida, condescende-se com este pecado, além da medida, como se tratasse de uma pequena ofensa. — Manuscrito 3, 1854. – {TCS 249.3}"
    um caso terrível e mui especifico: "Nenhuma ajuda para este homem [*]Os depositários de Ellen White não possuem documentação segura quanto à natureza da transgressão de E, mas Arthur White lembra-se de haver ouvido seu pai, W. C. White, referir-se à situação como um caso particularmente revoltante de incesto. — É impossível para o irmão E associar-se à igreja de Deus. Ele se colocou onde não pode ser ajudado pela igreja, nem ter com ela nenhuma comunhão ou vínculo. Ele se uniu ao povo por causa da luz e da verdade, mas escolheu obstinadamente o próprio caminho e recusou ouvir a reprovação. Seguiu as inclinações do coração corrompido, violou a santa lei de Deus e desgraçou a causa da verdade presente. Se ele arrepender-se sinceramente, a igreja não deve interferir em seu caso. Se for para o Céu, deverá ir sozinho, sem a comunhão da igreja. Uma permanente censura da parte de Deus e da igreja deve estar sobre ele, para que o padrão de moralidade não seja rebaixado ao pó. — Testemunhos para a Igreja 1:215. – {TCS 249.4}"
    "A pessoa em adultério e sua filiação à igreja
    Declaração antiga de Ellen White — O Senhor nos concedeu opressão de espírito no último domingo [5 de Fevereiro de 1854], e enquanto estávamos empenhados em sincera oração, fui tomada em visão e contemplei o estado de alguns dentre o professo Israel de Deus"
    "Disse o anjo: “O machado não foi posto à raiz da árvore.” Aqueles que manifestaram condescendência com as más paixões do coração devem ser desligados da igreja".
    "Um pecado enorme — Vi que o sétimo mandamento tem sido violado por alguns que agora se encontram na comunhão da igreja. Isso tem trazido sobre eles o desagrado de Deus. Este pecado é assustador nestes últimos dias, mas a igreja [os membros] tem causado o desagrado de Deus e acarretado maldição sobre si própria ao considerar tão levianamente o pecado. Vi que se trata de um pecado enorme, e não têm sido empreendidos esforços tão vigilantes quanto deveriam ser, no sentido de eliminar o desprazer de Deus e remover Seu desagrado ao assumir-se uma conduta estrita e reta para com o ofensor. – {TCS 248.1}"
    "Isso tem exercido uma tremenda e corruptora influência sobre os jovens. Eles observam quão levianamente se considera a transgressão do sétimo mandamento, e aquele que comete este pecado horrível pensa que tudo que tem a fazer é confessar o erro e sentir-se triste, e então voltar a desfrutar de todos os privilégios da casa de Deus e ser mantido na comunhão da igreja. – {TCS 248.2}"

    ResponderExcluir

 

© - 2014. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré