Páginas

Restaurando Famílias para Cristo

“Pela fé, Noé, divinamente avisado das coisas que ainda não se viam, temeu e, para salvação da sua família, preparou a arca, pela qual condenou o mundo, e foi feito herdeiro da justiça que é segundo a fé” (Hebreus 11:7) (grifo meu).


Estava me preparando no SENHOR para ministrar uma Palavra de DEUS em Brasília, Distrito Federal. Na verdade, um sentido mais amplo, mais completo, do que, para mim, à luz da Palavra de DEUS, significa a expressão restauração familiar. Não uma pura restauração de uma unidade familiar, encerrada em si mesmo, como muitos a concebem (o retorno para casa de um marido ou de uma esposa, depois de algum tempo separados); mas uma restauração plena, realizada por DEUS, ação exclusiva do Espírito Santo. Daí, o sentido do nome do nosso Ministério que o SENHOR DEUS nos deu: Ministério Restaurando Famílias PARA CRISTO. Talvez as pessoas que descobriram o Ministério pela Internet ainda não tenham atentado para o valor do sentido de finalidade presente ao final do nome: PARA CRISTO. Ele é infinitamente mais importante que o valor da própria família em si. Se eu tivesse colocado apenas “Ministério de Restauração Familiar” ou “Ministério Restaurando Famílias”, isso não diminuiria a quantidade de pessoas que me procurariam, dia-a-dia, para pedir socorro, auxílio, muitas das quais completamente desesperadas, perdidas, desorientadas, ansiosas, a qualquer custo, pela restituição da família, mas ocultaria o objetivo principal pelo qual tanto falamos em restauração. Entre “restaurar famílias” (como um objetivo fechado em si mesmo) e “restaurar famílias PARA CRISTO” há uma profunda diferença. Vejamos a razão a seguir.

Restaurar famílias, pura e simplesmente, pressupõe uma atitude interesseira, egoísta, unilateral, desprovida de qualquer compromisso com o reino de DEUS. É como uma pessoa que procura DEUS interessada apenas em obter algo DELE. Afinal, nos dias atuais, já existem muitos segmentos religiosos, disfarçados de igreja de JESUS, com o propósito único e demarcado de oferecer bênçãos e facilidades às pessoas. Dentro desses templos, qualquer agrupamento de pessoas (homens, mulheres e filhos envolvidos, convivendo juntos há algum tempo), é denominado de família, quando, na verdade, não é. Como também há muitas famílias verdadeiramente constituídas que estão muito distante do perfil de família almejado pelo nosso DEUS. Se eu tivesse algum interesse em obter benefícios financeiros em cima da dor e do sofrimento alheios, teria utilizado apenas a expressão “restaurar famílias”, oferecendo fórmulas prontas, varinhas mágicas, óleos, azeites, sal, correntes das mais variadas, “carnês” de restauração; e tudo para mim estaria bom e perfeito. Como ingredientes finais, usaria o nome de DEUS em vão, leria algumas passagens descontextualizadas da Bíblia, apresentaria alguns testemunhos de restauração (com o objetivo de persuadir os irmãos), e isso seria suficiente para eu ficar rico e famoso. Mas, graças a DEUS, esse não foi o coração nem essa a direção que o SENHOR DEUS me deu. ELE falou claramente ao meu coração: “qualquer restauração só terá valor se for para a minha honra e para a minha glória”.

E quando uma restauração familiar redunda na glória e no louvor do santo Nome do SENHOR?

Para responder a essa pergunta, o SENHOR me mostrou o texto bíblico, que introduz este estudo, transcrito no livro aos Hebreus. Noé fez parte da geração mais antiga da criação de DEUS. A sua breve história está comentada no primeiro livro da Bíblia, logo ao final do capítulo 5 e alguns outros seguintes, e a sua narração começa de uma forma, no mínimo, inusitada: diz que seu pai se chamava Lameque, que já tinha 500 anos quando gerou Sem, Cam e Jafé; mas não faz qualquer referência, no princípio, a mulher que gerou a esses três filhos, ou seja, a sua esposa. Não sabemos como foi a vida de Noé em 499 anos anteriores: o que fez, por onde andou nem com qual trabalho se ocupou. A sua história nos é conhecida com a apresentação dos nomes dos três filhos e acompanhada imediatamente da notícia de que toda a população humana havia se degradado moralmente. As primeiras páginas do livro da biografia de Noé são recheadas das atitudes desgraçadas da raça humana, que se encheu de sangue, de violência, de adultérios, de fornicação, de morticínios e de todo tipo de abominação aos olhos de DEUS. Ao ponto de o SENHOR DEUS ter se arrependido de ter feito o homem: “E viu o SENHOR que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era má continuamente. Então arrependeu-se o SENHOR de haver feito o homem sobre a terra e pesou-lhe em seu coração. E disse o SENHOR: destruirei o homem que criei de sobre a face da terra, desde o homem até o animal, até ao réptil, e até à ave dos céus; porque me arrependo de o haver feito” (Gênesis 6:5-7).

Quando a raça humana entrou em um nível de degradação moral sem controle e sem precedentes, DEUS escolheu a Noé para lhe fazer uma revelação acerca da realidade em que ele vivia, anunciando que destruiria tudo e todos por meio de um dilúvio violento. Em seguida, mandou-lhe construir uma enorme arca, através da qual a família dele escaparia. Podemos afirmar que a família de Noé era, àquela época de esfacelamento moral, a única família que andava de acordo com a vontade DEUS em toda a terra, e que, por isso, seria salva do grande dilúvio que DEUS enviaria para destruir toda a humanidade. Entenda o que é viver como única família santa em meio a centenas de outras totalmente corrompidas pelo pecado. A família de Noé, durante muitos anos, viveu em uma localidade completamente isolada de tudo e de todos. Ela era só. Mas o SENHOR, entre centenas de famílias e pessoas que mergulhavam na podridão do pecado, olhou, separou e salvou a família desse patriarca. Noé, como cabeça do lar, soube resistir e conduzir bem a sua família para os projetos de santidade que o SENHOR tanto desejava. Ele tinha um coração sincero com DEUS: “(…) Noé era homem justo e perfeito em suas gerações; Noé andava com Deus” (Gênesis 6:9). O segredo e a responsabilidade maior dessa condução pesam sobre os ombros masculinos, do homem, do marido, que é a cabeça da esposa, como bem explicitou o apóstolo Paulo, muitos anos mais tarde: “Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor; porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo” (Efésios 5:22-23). Acreditamos, assim, que a esposa de Noé, citada apenas pela primeira vez no versículo 18, do capítulo 6, do livro de Gênesis, era uma esposa submissa a ele em tudo, assim como os seus três filhos. Esse é o segredo para uma família que almeja a salvação em CRISTO JESUS: andar conforme a Palavra de DEUS. Se o marido é a cabeça da esposa, significa que, com ele, está o dever de amá-la incondicionalmente e a responsabilidade de pensar e decidir sobre os destinos da família.

Você pode imaginar o quanto é difícil para as famílias hoje em dia andar conforme a Palavra de DEUS, face a tudo que coopera para a destruição delas: leis humanas, prostituição fácil, corrupção geral, televisão, rádio, internet, religiosidade, dentre outra infinidade de coisas. Mas no tempo de Noé não havia sequer uma igrejinha para fortalecê-la, nem irmãos, nem amparo humano, nem nada. Não havia ninguém. Mesmo assim, ela andava agradando a DEUS, contra tudo e contra todos. A família de Noé olhava para o SENHOR, cria na indissolubilidade do casamento (pois o matrimônio único fora criado por DEUS algum tempo antes no Éden). Ela seguia fielmente a orientação que JESUS deu aos fariseus, quando esteve neste mundo: “abandonem as suas práticas abomináveis de repúdio e voltem a viver o princípio de tudo, exatamente como meu Pai criou” (ref. a Mateus 19:4 e 8). De certa maneira, JESUS nos instiga também a seguirmos o exemplo da família de Noé, que era modelo no princípio de tudo.

Por todos esses motivos, DEUS escolheu Noé para lhe revelar sobre os dias futuros e como ele deveria proceder. Então, pela fé, Noé creu e obedeceu. Apressou-se para os preparativos da construção da arca. Com ela, o mundo foi condenado e Noé foi feito herdeiro da justiça. A sua família foi a única, do gênero humano, a contar oito pessoas (Noé, a esposa, os três filhos e as três esposas), que foi salva:“e não perdoou ao mundo antigo, mas guardou a Noé, pregoeiro da justiça, com mais sete pessoas, ao trazer o dilúvio sobre o mundo dos ímpios” (2 Pedro 2:5).

 A arca para nós, cristãos, reflete a imagem de JESUS CRISTO. ELE é a porta estreita, pela qual apenas os justos, os escolhidos, entrarão: “Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens” (João 10:9); “Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; e porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem” (Mateus 7:13-14). Quem ficar do lado de fora da porta, será destruído, consumido com fogo e enxofre e sofrerá a morte eterna. Só os santos, os separados, os transformados pelo Espírito Santo, entrarão: “Segui a paz e santificação com todos, sem a qual, ninguém verá o Senhor” (Hebreus 12:14).

Quando olhamos para a arca de Noé, vimos, ali, a preocupação de DEUS em salvar uma família obediente a ELE. Todas as demais foram destruídas pelo dilúvio. A vontade do SENHOR DEUS, ainda nos dias atuais, é restaurar famílias, promover a reconciliação de maridos, esposas e filhos, mas, antes e muito acima disso, essa restauração compreende um processo de transformação humana para o SENHOR JESUS. DEUS não quer restaurar a sua família e deixá-la perdida, entregue ao “deus-dará”, sem a salvação da alma do marido, da esposa e dos filhos, pois o SENHOR deseja que todos entrem juntos pela porta da arca da salvação, que é JESUS, porque, como bem escreveu o apóstolo Paulo, o marido vai apresentar a DEUS, diante do Trono glorioso, a sua esposa imaculada, santa, sem mancha alguma, salva: “Vós, maridos, amai as vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, para santificá-la, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, para apresentá-la a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível” (Efésios 5:25-27). Portanto, querer apenas a restauração, a volta para casa do marido ou da esposa, de qualquer jeito, é não querer compromisso com o reino de DEUS, e viver por aí, com o cônjuge e com os filhos ao deleite do mundo e dos pecados.

Enquanto, o dia do dilúvio não chegava, Noé ocupou-se, no deserto, em fazer a obra que DEUS lhe determinara, no caso, a elaboração de uma arca, do meio pelo qual sua família se salvaria. DEUS havia feito uma promessa de salvação a Noé e, por ele ter obedecido, o SENHOR o honrou. Nos anos em que esteve no deserto trabalhando para o SENHOR, Noé não encontrou dias fáceis, tranquilos. Ao contrário, recebeu muitas afrontas daqueles que paravam e lhe perguntavam a razão da construção daquela imensa obra arquitetônica. Todos, acredito eu, zombavam dele, chamavam-no de louco, de alienado, por ele, simplesmente, procurar fazer a vontade do SENHOR DEUS. Quantos dias de lágrimas Noé viveu no período em que construía a arca!! O final, todos nós já conhecemos: o “louco” se salvou, enquanto os “sábios” se perderam. Aquele, que antes sozinho chorava, recebeu grande vitória e galardão. Os que unidos, sorriam no pecado, nem tempo de chorar tiveram, porque as águas revoltas lhes tiraram a vida (esse é o fim dos adúlteros, fornicadores e demais que não querem obedecer a DEUS).

 Se você ainda não experimentou a transformação feita pelo Espírito de DEUS, entregue-se a ELE ainda hoje, permitindo que o SENHOR mude a sua vida completamente. Não adianta restauração familiar sem a salvação da alma dos cônjuges e filhos. No entanto, se assim já fez, veja se, no deserto, você tem produzido frutos dignos para o reino de DEUS (essa é a sua missão maior aqui na terra).

O tempo no deserto é o tempo de olhar e de trabalhar apenas para o SENHOR, de aprender, de amadurecer, de ser transformado pelo Espírito Santo. Lutas sempre virão mesmo para aqueles que trabalham e esperam pelo SENHOR, mas JESUS não os desamparará e cuidará de cada um dos Seus filhos nos mínimos detalhes. Descanse o coração e a alma completamente no SENHOR, pois saiba que ELE está no comando da sua vida, no controle da vida do seu cônjuge, trabalhando em favor da restauração plena (salvação) da sua família. DEUS reservou uma promessa especial para você (que está escrito no livro do profeta Isaías), que, como igreja de CRISTO aqui na terra, já nasceu do Espírito Santo. Gostaria que você meditasse atentamente e, logo em seguida, guardasse em seu coração:

“Por um breve momento te deixei, mas com grandes misericórdias te recolherei. Com um pouco de ira escondi a minha face de ti por um momento, mas com benignidade eterna me compadecerei de ti, diz o SENHOR, o teu Redentor. Porque isto será para mim como as águas de Noé; pois jurei que as águas de Noé não passariam mais sobre a terra; assim jurei que não me irarei mais contra ti, nem te repreenderei. Porque os montes se retirarão, e os outeiros serão abalados; porém a minha benignidade não se apartará de ti, e a aliança da minha paz não mudará, diz o Senhor que se compadece de ti. Tu, oprimida, arrojada com a tormenta e desconsolada, eis que assentarei as tuas pedras com todo o ornamento, e te fundarei sobre as safiras. E farei os teus vitrais de rubis, e as tuas portas de carbúnculos, e todos os teus termos de pedras aprazíveis. E todos os teus filhos serão ensinados do Senhor; e a paz dos teus filhos será abundante. Com justiça serás estabelecida; estarás longe da opressão, porque já não temerás; e também do terror, porque não chegará a ti. Eis que seguramente poderão vir a juntar-se contra ti, mas não será por mim; quem se juntar contra ti cairá por causa de ti. Eis que criei o ferreiro, que assopra as brasas  no fogo, e que produz a ferramenta para a sua obra; também criei o assolador, para destruir. Toda ferramenta preparada contra ti não prosperará, e toda a língua que se levantar contra ti em juízo tu a condenarás; esta é a herança dos servos do SENHOR, e a sua justiça que de mim procede, diz o SENHOR” (Isaías 54:7-17).



Que o SENHOR te abençoe e te fortaleça,

ESTUDO ELABORADO PELO  PASTOR  FERNANDO CÉSAR 

1 comentários:

  1. LOUVADO Seja Deus!Assim quero meu casamento restaurado, não só meu esposo voltar, mas ele ser amigo de cristo e juntos proclamarmos a Palavra do Senhor!

    ResponderExcluir

 

© - 2014. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré