Páginas

Por que os impiedosos prosperam?

“Vale mais o pouco que tem o justo do que as riquezas de muitos ímpios” (Salmos 37:16).

Uma das coisas que mais intrigam a mente de uma pessoa que deseja a restauração familiar é observar os constantes sofrimentos pelos quais ela passa e a felicidade e prosperidade material alcançadas pelo cônjuge oprimido, impiedoso, entregue absolutamente ao pecado do adultério.

Antes, vamos conceituar, à luz da Palavra de DEUS, o que é um justo e um ímpio. Justo é toda pessoa que pratica a justiça de DEUS, que foi transformada pelo Espírito Santo, que se aparta dos maus caminhos e vive uma vida de sanidade, em obediência a DEUS. Ela está muito além de placas denominacionais porque sabe que é membro do corpo de CRISTO, de Sua igreja aqui na terra. Já o ímpio toma uma posição exatamente contrária: busca, a todo custo, a própria felicidade pessoal, transgride a todo tempo os ensinamentos e conselhos de DEUS; é religioso, possui um coração duro, orgulhoso, cheio de soberba e impiedade, ou seja, sem misericórdia e sem capacidade de perdoar. Justos e ímpios vivem em vias diferentes. O justo é um santo, que anda em direção ao reino de DEUS, pois se preocupa com a salvação da alma. O ímpio, nas veredas da injustiça, segundo os conselhos do mundo.

 Refletindo sobre esses dois conceitos distintos, vamos analisar agora o que significa prosperar. Segundo o dicionarista Aurélio, “prosperar é tornar-se próspero, ir em aumento, progredir, desenvolver-se”. A Bíblia afirma que tanto os justos como os ímpios irão prosperar. A prosperidade dos justos vem mediante aquilo que o SENHOR acrescenta em sua vida, por ele (o justo) ter colocado o reino de DEUS como prioridade de vida: “Buscai o reino de Deus e a sua justiça (torne-se justo) e todas as outras coisas vos serão acrescentadas (e se tornará próspero)” (Mateus 6:33) (grifo meu). O fruto que nasce na alma de quem prospera com DEUS é a alegria. A prosperidade dos ímpios surge, unicamente, do seu esforço humano, fruto de suas preocupações com o futuro e com o dia seguinte, da sua força em querer, a qualquer custo, conquistar determinado objetivo. Esse aparente bem é facilitado pela força do mal. O diabo oferece caminhos, oportunidades, sugestões, para que o ímpio torne-se cada vez mais ímpio, cativo dessa sua individualidade, desse seu egoísmo. O resultado que nasce no coração ímpio de quem prospera é a felicidade pessoal. Há uma grande diferença entre ser alegre no SENHOR DEUS e estar feliz no mundo. A alegria como fruto do Espírito Santo é permanente na alma de quem busca a DEUS diariamente. Um justo, por caminhar na contramão do mundo, passa por grandes dificuldades e aflições, mas nem a Paz (quem vem de DEUS) nem a Alegria (que é fruto do Seu Santo Espírito) se apartam da vida do justo, mesmo em meio a grandes lutas. Já a felicidade dos ímpios é algo muito passageiro, temporário, movida por algo que está se vivendo naquele determinado momento. É uma sensação de bem-estar, que aprisiona mais o indivíduo no pecado. O justo prospera para deleite de sua alma e para louvor do Nome de DEUS. O ímpio prospera para a sua satisfação carnal.

Você certamente já assistiu a muitos ímpios prosperarem em seus negócios, tornarem-se ricos, bem posicionados socialmente, felizes, procurando apenas o que apraz a alma deles, e se perguntou: POR QUE ISSO ACONTECE COM ELE E NÃO COMIGO?

 A Palavra de DEUS afirma que “o caminho dos ímpios perecerá” (Salmos 1:6). Afirma também que o SENHOR os colocou em “lugares escorregadios” e que os lançará “em destruição” (Salmos 73:18). Davi escreveu: “O Senhor é conhecido pelo juízo que fez; enlaçado foi o ímpio nas obras de suas mãos. Os ímpios serão lançados no inferno, e todas as nações que se esquecem de Deus” (Salmos 9:16-17).

A maior tristeza é ver um justo com inveja da prosperidade do ímpio, querendo se comparar a ele. Um justo, que sofre por amor à Palavra, mas que inveja um ímpio feliz em seus pecados, começa daí a perder a presença de DEUS na vida dele (do justo). Os justos são verdadeiramente ricos porque recebem todas as riquezas de DEUS: primeiramente espirituais, depois materiais. A prosperidade do justo vem conforme ele vai buscando a DEUS, servindo-O, fazendo a obra para o Seu Reino. Nenhum justo verdadeiro busca o SENHOR apenas por aquilo que ELE pode fazer em sua vida, pelas coisas acrescentadas. Isso seria interesse carnal, diabólico. Os justos buscam a DEUS pelo que ELE é, pela salvação da alma, desejosos em ser luz desse mundo e herdeiros da glória de DEUS. Todas as bênçãos surgirão naturalmente. A Bíblia diz que os ímpios trabalharão para fartar os justos em suas casas: “Porque ao homem que é bom diante dEle, Deus dá sabedoria, conhecimento e alegria; mas ao pecador dá trabalho, para que ele ajunte, e amontoe, para dá-lo ao que é bom perante Deus (…)” (Eclesiastes 2:26). Paulo conhecia bem quem O abençoava: “O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus” (Filipenses 4:19).

Não tenha inveja da prosperidade de nenhum ímpio. Ter inveja do ímpio é querer estar no lugar dele (caminhos de morte): “há caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são caminhos de morte” (Provérbios 14:12; 16:25). Davi aconselhou: “Não te indignes por causa dos malfeitores, nem tenhas inveja dos que praticam a iniquidade. Porque cedo serão ceifados como a erva, e murcharão como a verdura. Confia no SENHOR e faze o bem; habitarás na terra, e verdadeiramente serás alimentado. Deleita-te também no SENHOR, e te concederá os desejos do teu coração” (Salmos 37:1-4). Quanto aos ímpios, sobre eles “fará chover laços, fogo, enxofre e vento tempestuoso; eis a porção do seu copo” (Salmos 11:6). Davi clamou ao SENHOR: “não me arremesses com os ímpios e com os que praticam a iniquidade; que falam de paz ao seu próximo, mas têm o mal no coração” (Salmos 28:3). Esse texto me fez lembrar de uma mulher no interior da Paraíba, que se dizia cristã e a todos na rua cumprimentava com a “Paz do SENHOR”, mas quando entrava em sua casa, tratava mal os filhos, chamava nomes sujos e feios e ouvia músicas do mundo. Assim há ímpios que pensam ser justos, vivem dentro da congregação, mas com a vida presa ao adultério e outros tipos de pecado. Querem ser corpo de CRISTO e escravos das concupiscências ao mesmo tempo. Davi nos alertou que esses também vão nos desejar a paz. No Salmo 73, Asaph diz que quase os seus pés se desviaram do caminho da salvação, “pois eu tinha inveja dos soberbos, ao ver a prosperidade dos ímpios. (…) Eis que estes ímpios, e prosperam no mundo; aumentam em riquezas. Na verdade que em vão tenho purificado o meu coração; e lavei as minhas mãos na inocência. Pois todo o dia tenho sido afligido, e castigado cada manhã.” (versículos 3,12-14). Ao final ele conclui: “A minha carne e o meu coração desfalecem; mas Deus é a fortaleza do meu coração, e a minha porção para sempre. Pois eis que os que se alongam de ti, perecerão; tu tens destruído todos aqueles que se desviam de ti. Mas, para mim, bom é aproximar-me de Deus; pus a minha confiança no Senhor Deus, para anunciar todas as tuas obras” (Salmo 73:26-28).

O fim dos justos e dos impiedosos já está descrito em toda a Palavra de DEUS: promessa de salvação e bênçãos para os Seus filhos, os que perseveraram até o fim; destruição e morte para os ímpios. “Pois os braços dos ímpios se quebrarão, mas o SENHOR sustém os justos. (…) Mas os ímpios perecerão, e os inimigos do SENHOR serão como a gordura dos cordeiros; desaparecerão e em fumaça se desfarão. (…) O SENHOR ama o juízo e não desampara os seus santos; eles são preservados para sempre, mas a descendência dos ímpios será desarraigada” (Salmos 37:17, 20 e 28). Salomão atestou: “Porque o desvio dos simples os matará, e a prosperidade dos loucos os destruirá” (Provérbios 1:32). Ele também escreveu: “melhor é o pobre que anda na sua sinceridade do que o de caminhos perversos, ainda que seja rico” (Provérbios 28:6). O autor aos Hebreus diz que DEUS é o galardoador dos que NELE buscam.

Nosso DEUS é DEUS de justiça e ELE nunca desamparará nem a mim nem a você, que temos procurado agradá-LO com a vida que ELE nos deu. Por isso, aconselho sempre ao justo se desvincular totalmente do cônjuge ímpio; apenas apresentá-lo em suas orações e esperar pacientemente pela resposta final do SENHOR. Nós, que somos justificados pelo Sangue de JESUS e que andamos em santidade e obediência à Palavra, somos como “a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperar” (Salmos 1:3).

Portanto, não tenha inveja da prosperidade do ímpio em seu caminho de morte. Os ímpios é que devem ter inveja de nós, que somos salvos. O apóstolo Paulo nos aconselhou: “sede unânimes entre vós; não ambicioneis coisas altas, mas acomodai-vos às humildes; e não sejais sábios em vós mesmos” (Romanos 12:16). Olhe para JESUS, seja apaixonado por ELE, confie nas Suas promessas, faça a obra, espere e receba a vitória da parte do PAI. Todos os dias, o SENHOR escreve uma linda e perfeita história em sua vida com a tinta do Espírito Santo e tudo o que te prometeu, ELE cumprirá. Já os ímpios perecerão naturalmente pelos frutos de sua impiedade e prosperidade. Que

ESTUDO ELABORADO PELO  PASTOR  FERNANDO CÉSAR 

0 comentários:

Postar um comentário

 

© - 2014. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré