Páginas

Sua família NÃO é um caso perdido ou difícil demais para Deus: Ele quer e vai restaurar o seu casamento

Restauração Familiar
(Gênesis 37:4-11, 47:1-4 e 12-13; Atos 16:31)


A promessa do Senhor é que a benção que está sobre nós se estenderá sobre as nossas famílias. A obra iniciada em nós se estenderá sobre os nossos amados, e a restauração completa se estabelecerá sobre os nossos lares. O plano original de Deus para o homem era uma família, pois não era bom que ele estivesse só.

Um detalhe interessante na criação é que Deus só descansou após ter criado Eva e completado a visão de família. O intento do diabo desde o início é roubar e distorcer a verdade de Deus para as nossas vidas. Por isso temos vivido um tempo onde grandes ataques têm se levantando contra a família. Casamentos destruídos, violência, abusos, vícios, adultério, são algumas situações que infelizmente tem se tornado comum em nossos dias, mas o Senhor colocará sobre nós a unção que despedaçará todo o jugo de destruição familiar.

A vida de José foi marcada por oposições e traições. Ele enfrentou uma série de dificuldades, pois Deus tinha um plano de salvação para sua família e para sua descendência. Debaixo de uma conduta irrepreensível, a despeito dos lugares e das circunstâncias, ele permaneceu firme até que Deus o restaurasse e o colocasse em honra, numa posição que foi fundamental para que os seus amados fossem livres da fome que assolava Canaã.

Seguindo o exemplo de conduta de José, nós também seremos uma grande benção para as nossas famílias e para todos os que estão a nossa volta.

O EXEMPLO DE JOSÉ
1. Enfrentar a oposição familiar sabendo que a nossa luta não é contra a carne "E viram-no de longe e, antes que chegasse a eles, conspiraram contra ele para o matarem. E disseram um ao outro: Eis lá vem o sonhador-mor! Vinde, pois, agora, e matemo-lo, e lancemo-lo numa destas covas, e diremos: Uma fera o comeu; e veremos que será dos seus sonhos." – Gn 37:18 a 20

José enfrentou uma oposição dentro do seu lar que quase o levou a morte. Seus irmãos não aceitavam aquilo que os seus sonhos declaravam, ou seja, que eles um dia viriam a se curvar diante dele. Muitos de nós temos passado por grandes perseguições dentro dos nossos lares, seja pelos nossos pais, irmãos, esposos ou esposas. O próprio Jesus já havia previsto isto: "Não penseis que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espada. Pois vim causar divisão entre o homem e seu pai; entre a filha e sua mãe, e entre a nora e sua sogra. Assim os inimigos do homem serão os da sua própria casa." – Mt 10:34-36.

Eles ainda não compreendem que os sonhos que temos para o nosso lar não são para nossa exaltação, mas que Deus quer nos usar como instrumentos de salvação e benção para nossa família. Nossa luta não é contra a carne. Não adianta tentarmos vencer com palavras ou discussões. Mesmo diante das perseguições devemos perseverar crendo, pois no tempo do Senhor aqueles que nos perseguiam e queriam matar os nossos sonhos, serão aqueles que receberão o livramento através de nossas vidas, assim como foi com José.

2. Enfrentar o tempo de servidão crendo que é temporário, e que serve de habilitação para o resgate de nossa casa Gn 39:1-5 - "E José foi levado ao Egito, e Potifar, oficial de Faraó, capitão da guarda, homem egípcio, comprou-o da mão dos ismaelitas que o tinham levado lá. E o Senhor estava com José, e foi homem próspero; e estava na casa de seu Senhor egípcio. Vendo, pois, o seu Senhor que o Senhor estava com ele, e tudo o que fazia o Senhor prosperava em sua mão, José achou graça em seus olhos, e servia-o; e ele o pôs sobre a sua casa, e entregou na sua mão tudo o que tinha. E aconteceu que, desde que o pusera sobre a sua casa e sobre tudo o que tinha, o Senhor abençoou a casa do egípcio por amor de José; e a bênção do Senhor foi sobre tudo o que tinha, na casa e no campo."

Logo após ser traído por seus irmãos, José foi vendido como escravo. Ali começava um tempo muito difícil em sua vida: o tempo da servidão. Aqueles que o vissem nessa condição, sabendo dos sonhos que ele havia tido, poderiam dizer: "E agora? Será que os teus pais e irmãos se curvarão diante de um escravo? Será que você será instrumento de salvação para tua casa? Veja a condição em que você se encontra: escravo em uma terra estranha". Talvez seja isso que temos ouvido dentro dos nossos lares:"Você agora virou crente, mas continua desempregado?"; "Você precisa ajudar em casa senão vai ter que se virar sozinho"; "Você só pensa nessa história de igreja, e tua vida profissional? E teus estudos?". Talvez nossa condição atual seja totalmente incoerente com o que temos sonhado, mas a Palavra do Senhor não volta vazia e não volta atrás, pois Ele tem um grande livramento para tua vida. Batalhe e trabalhe muito mais do que antes, honre teu patrão, busque se aperfeiçoar e crescer, e saiba que assim como José você vai ser próspero mesmo em meio a servidão, e teus familiares e todos os que te cercam serão abençoados através da tua vida.

3. Enfrentar as injustiças e calúnias, pois a despeito das prisões de hoje, Deus tem o restabelecer da nossa honra – Gn 39:7-23 José passou por mais um momento muito difícil em sua vida, sendo acusado de tentar violentar a esposa de seu Senhor. É muito difícil ser injustiçado, pois sermos acusados de algo que não fizemos gera em nós um sentimento de revolta. Quando dizem algo de nós que não corresponde a verdade há um anseio natural por esclarecer a situação o mais rápido possível. O que vemos na vida de José é que em primeiro lugar ele fugiu do pecado, pois sabia que aquela brecha poderia ser fatal para o seu futuro e o de seus familiares. Assim também temos que fugir das tentações para que possamos ser um bom testemunho para aqueles que nos cercam. Em segundo lugar ele se manteve fiel ao Senhor, sem revolta, mas em paz, pois mesmo na prisão ele prosperou.

Uma das armas do inimigo é a acusação, e é muito comum que ouçamos acusações de nossos familiares, de nossos amigos que não conhecem a Jesus: Você é cristão, mas ainda faz isso? Você vai a igreja todo o dia e tem essa reação? É muito comum que estas pessoas esperem exatamente uma falha nossa para justificar a sua rejeição a Palavra. Por isso é tempo de buscarmos do Senhor a libertação para todas as áreas que ainda nos prendem e termos uma conduta irrepreensível, para que sejamos sal e luz em nossos lares.

O PROCESSO DE RESTAURAÇÃO

O Senhor tinha algo muito especial preparado para José. Temos nele um exemplo de fidelidade e esperança, pois mesmo em meio a tamanhas dificuldades, ele não se deixou abater, mas permaneceu firme, sabendo que quem lhe havia feito a promessa é fiel. Depois de um tempo de aflições, aproximadamente 13 anos, finalmente inicia-se em sua vida um maravilhoso processo de Deus:

1. Viver a restauração plena dos relacionamentos – Gn. 41:14,38-44
O nosso Deus é um Deus de restauração. Para tudo aquilo que o inimigo imaginava ter tirado ou destruído na vida de José, o Senhor já havia preparado uma grande reconstrução, pois um lugar de honra estava preparado para ele. Assim também Ele vai te levantar de uma forma nova, restaurado, e vai te colocar num lugar de honra, numa posição que vai te habilitar para que você seja instrumento de libertação e salvação para os teus amados.

2. Viver a liberação total dos sentimentos familiares através do perdão, esquecendo as mágoas do passado – Gn. 50:15-21
Apesar de todo o mal que seus irmãos intentaram contra ele, José os perdoou e os abençoou. Da mesma forma, temos que entender que aqueles que têm nos afrontado e perseguido virão a nossa presença para nos pedirem perdão. As pessoas podem até falar mal, nos caluniar e intentar o mal contra nós, mas na hora da aflição elas virão nos procurar. Temos que ter em nossos corações o mesmo sentimento de José, para não deixarmos que nenhuma mágoa permaneça em nossos corações, pois devemos entender a fraqueza daqueles que nos tem afrontado, pois estes não entendem as coisas espirituais e agem ainda segundo os padrões naturais.

3. Viver a benção de Abraão e contemplar a salvação dos nossos familiares – Gn. 45:5-11; 46:2-4
Deus tinha um grande e maravilhoso plano para o povo de Israel. As promessas feitas a Abraão seriam cumpridas a despeito de tudo. Por isso Ele na sua infinita sabedoria preparou a ida de José ao Egito, para que toda a família de Jacó e seus servos fossem salvos da fome que assolava a terra. Da mesma maneira seremos instrumentos de salvação, de provisão e libertação para todos aqueles que nos cercam nos posicionando como José, permanecendo firmados nas promessas, pois a palavra de At. 16:31 se cumprirá em nossas vida

ESTUDO ELABORADO PELO  PASTOR  FERNANDO CÉSAR 

2 comentários:

  1. Amados orem em meu favor... meu esposo pediu pela segunda vez o divórcio...
    meu nome é Kelly e o dele Juliano.
    Por favor, estou em desespero...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Kelly, se esta nesta situação e quiser ajuda o meu email é vasodopaiamado@hotmail.com De alguem que esteve no mesmo lugar!!!

      Excluir

 

© - 2014. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré