Páginas

Mulheres fáceis: consequências terríveis"

Hoje, pela primeira vez, ouvi o testemunho que o falecido cantor Nelson Ned ministrou em um templo religioso em Boston, Estados Unidos, no ano de 1996. Uma das expressões que ele usou, na ocasião, e que me chamou muito atenção, é a que utilizo como título desse modesto estudo.

Mas, afinal, o que são mulheres fáceis? Como elas se comportam? De onde elas vêm?

Fazendo uma rápida e superficial análise, mulheres fáceis são aquelas que se entregam sexualmente e de maneira rápida a um homem que as flertou e seduziu (ou foram seduzidos por elas). Nem curtiram o tempo para um conhecimento mais profundo nem de um relacionamento consistente e lícito, e logo caíram nas armadilhas das palavras bonitas e das falsas juras de amor eterno.

A Bíblia Sagrada não se esqueceu de abordar a realidade dessas mulheres, porém, com características mais minuciosas e sérias. Elas recebem adjetivações diversas: estranhas, adúlteras, prostitutas, alheias. Elas estão muito além das calçadas mais procuradas por turistas das principais metrópoles e das fontes obscuras e perversas dos que se deitam com os famosos, como acontecera no passado negro do cantor Nelson Ned. Muitas delas estão nas carteiras das universidades, preparando-se para uma carreira profissional; nos hospitais, cuidando da saúde das pessoas; nas escolas, lecionando determinada disciplina científica; nos tribunais, julgando aqueles que a lei tem como criminosos; nas empresas de comunicação; ou mesmo nas casas, desempregadas. Pior: muitas, hoje em dia, se disfarçam de mulheres de família e se escondem por trás das paredes de muitos templos religiosos. Porque as suas facilidades não são medidas por aquilo que conquistaram nem pelos conceitos bons da sociedade que as vê por fora, mas pelo seu caráter errado e desconforme com os ensinamentos de DEUS. As mulheres fáceis, na verdade, estão a cobiçar homens casados, separados ou divorciados de suas verdadeiras esposas. E elas não miram qualquer um: é preciso que haja um interesse maligno por trás que as preencha (ou de beleza; ou de posição social e financeira; ou as duas coisas juntas). Muitas nunca se casaram, mas vivem a cobiçar homens casados (entenda-se por casados também a condição de separados ou divorciados da primeira aliança matrimonial). Outras já se casaram, constituíram família; separaram-se e se divorciaram dos seus maridos. A missão maior é a de envergonhar a instituição casamento, criada pelo SENHOR. Entenda por casamento bíblico, de DEUS, aquele em que o homem e a mulher deixaram a casa dos seus pais e se casaram (pessoas de sexo diferente, solteiras, que nunca se casaram antes; e experimentaram o primeiro casamento). É essa instituição que satanás tenta, a todo tempo, envergonhar. E ele não economiza “suor” para alcançar esse intento. O diabo, como conhecedor da Palavra de DEUS, sabe que toda relação sexual ilícita conduz os envolvidos ao inferno. Assim, usa a mente e os corpos daqueles que nunca se preocuparam em buscar a DEUS e conhecer os Seus conselhos.

As Sagradas Escrituras estão a alertar, em suas páginas valiosas, os filhos de DEUS, a igreja, do perigo dessas mulheres. Salomão escreveu “O bom siso te guardará e a inteligência te conservará, para te afastar do mau caminho, e do homem que fala coisas perversas; dos que deixam as veredas da retidão, para andarem pelos caminhos escusos; que se alegram de fazer mal, e folgam com as perversidades dos maus, cujas veredas são tortuosas e que se desviam nos seus caminhos; para te afastar da mulher estranha que lisonjeia com suas palavras; QUE DEIXA O GUIA DA SUA MOCIDADE E SE ESQUECE DA ALIANÇA DO SEU DEUS; porque a sua casa se inclina para a morte, e as suas veredas para os mortos. Todos os que se dirigem a ela não voltarão e não atinarão com as veredas da vida”(Provérbios 2:11-19) (grifo meu). O texto é muito claro ao afirmar que tais mulheres deixaram o GUIA DA MOCIDADE DELAS, ESQUECENDO-SE DA ALIANÇA TESTEMUNHADA POR DEUS. Ou seja, embora desfrutem de boa reputação social ou religiosa, para DEUS, são mulheres prostitutas, pelo simples fato de terem abandonado a verdadeira família e marido e usarem um corpo de um homem que não lhes pertence (e que chamam de marido sem o ser para DEUS). Na época da formação da igreja cristã primitiva, o apóstolo Paulo também chamou atenção do primeiro casamento de ambos, como meio de fugir da prostituição: “Mas, por causa da prostituição, cada um tenha a sua própria mulher, e cada uma tenha o seu próprio marido” (1 Coríntios 7:2) (grifo meu). Entenda-se por prostituição, nas Sagradas Escrituras, todo tipo de relação sexual ilícita: fornicação entre pessoas solteiras e adultério quando, pelo menos, uma das partes for casada para DEUS. Não importa se essa mulher está oferecendo o seu corpo nas praças e avenidas ou se está se escondendo debaixo dos lençóis discretos da podridão. Considere também isto: ser casada para DEUS; não para os homens nem para as leis civis dos países. Ou seja, uma pessoa pode até ser divorciada pela lei civil de um país, mas, para o SENHOR, o único motivo que poderá encerrar a primeira aliança matrimonial é a morte: “A mulher casada está ligada pela lei todo o tempo que o seu marido vive; mas, se falecer o seu marido fica livre para casar com quem quiser, contanto que seja no Senhor” (1 Coríntios 7:39). As leis dos homens não interferem nem modificam a Lei do SENHOR. A ascensão da lei do divórcio em quase todos os países levou a milhares e milhares a uma vida enganosa, pervertida, destruída, longe do Reino de DEUS.

As consequências na vida das mulheres fáceis e dos que se envolvem com elas são incrivelmente terríveis. Com uma importante diferença: na época de Salomão, o caminho de morte era irreversível (a lei judaica em Levítico 20:10 afirmava que “o homem que adulterar com a mulher do outro, havendo adulterado com a mulher do seu próximo, certamente morrerá o adúltero e a adúltera”). Em CRISTO, a Graça de DEUS, há possibilidade de regeneração e de perdão para uma relação adúltera, desde que o infrator se arrependa e abandone o erro: “(...) Nem eu te condeno; vai-te e não peques mais” (João 8:11) (grifo meu). De nada adiantará pedir perdão a DEUS e permanecer no mesmo erro, ainda que iniciado nos tempos da ignorância. A você, que hoje vive em uma relação adúltera para DEUS, no mínimo, deve parar de ter relação sexual com o seu parceiro; no máximo, sair dessa relação e esperar pela resposta do SENHOR para a sua vida. Nada de colocar remendo velho em roupa nova. É preciso romper com o pecado sexual, deixar de ser a mulher fácil, que sempre foi, e passar a ser uma mulher, instrumento do Espírito Santo de DEUS; uma mulher fiel, honrada, valorizada em seu caráter e em sua condição espiritual.

Não comece um novo ano com velhas práticas. Ore a DEUS, busque a santidade do SENHOR e clame por mudanças. A melhor delas será o lugar de honra, no Céu, que o SENHOR reservará para você. Não queira, como muitas, descer às valas profundas da morte, afastada da vontade do SENHOR; e depois ouvir do SENHOR no Grande Dia: “Nunca vos conheci! Apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade” (Mateus 7:23). Adúlteros não herdarão o Reino de DEUS (1 Coríntios 6:9-10).

Que o Espírito Santo te convença dessa verdade, tenha misericórdia de ti, e mude a sua vida!! “Mulher virtuosa quem a achará? O seu valor muito excede ao de rubis” (Provérbios 31:10). Deseje ser uma mulher assim aos olhos de DEUS...

ESTUDO ELABORADO PELO  PASTOR  FERNANDO CÉSAR 

0 comentários:

Postar um comentário

 

© - 2014. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré