Páginas

A PAZ QUE NÃO ME SERVE

“Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá (...)” (João 14:27).

No Evangelho escrito por João, JESUS CRISTO falou de dois tipos de PAZ. Citou a Paz entregue por ELE à alma de todo aquele que O servisse; como também a paz que o mundo oferece.

Quero, pelo Espírito de DEUS, fazer com que você reflita bastante nesses dois tipos de PAZ destacados pelo nosso SENHOR e SALVADOR; e veja em qual deles você se encontra.

A PAZ DE JESUS é a presença de DEUS na vida do Seu povo; é garantia de vitória sobre todas as lutas e batalhas espirituais.

A Paz de JESUS é reconhecida: No Evangelho de Mateus, JESUS ensinou: “E quando entrardes em alguma casa, saudai-a. Se a casa for digna, desça sobre ela a vossa paz; mas, se não for digna, torne para vós a vossa paz. E se ninguém vos receber, nem escutar as vossas palavras, saindo daquela casa ou cidade, sacudi o pó dos vossos pés. Em verdade vos digo que, no dia do Juízo, haverá menos rigor para o país de Sodoma e Gomorra do que para aquela cidade ” (Mateus 10:12-15). O sentido da palavra casa aqui pode ser extensivo para templo humano, corpo, vida. JESUS está dizendo: ao encontrar alguém, saudai-o com a Paz que está em você. Se essa pessoa reconhecer a minha presença em sua vida, essa Paz descerá sobre a vida dela. Caso contrário, retire-se dali com a consciência em Paz. O rigor, no dia do Juízo, será muito maior para essa pessoa do que para os moradores das cidades antigas de Sodoma e Gomorra. O termo DIGNIDADE quer dizer reconhecimento. Os fariseus e os escribas não reconheciam o Filho de DEUS como o Messias enviado para salvar, por isso, eram pessoas religiosas e sem a PAZ DE JESUS.

A Paz de JESUS faz inimigos: Nesse mesmo capítulo de Mateus, há uma outra passagem bem intrigante aos nossos olhos. JESUS ensinou: “Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens; eu o confessarei diante do meu Pai, que está nos céus. Mas qualquer que me negar diante dos homens, eu o negarei também diante do meu Pai, que está nos céus. Não cuideis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer paz, mas espada. Porque em vim pôr em dissensão o homem contra o seu pai, e a filha contra a sua mãe, e a nora contra a sua sogra; e assim os inimigos dos homens serão os seus familiares” (Mateus 10:32-36). Você deve se lembrar de quantas pessoas passaram a criticá-lo (a), depois que você nasceu de novo, que entregou definitivamente a sua vida aos cuidados do SENHOR. Pessoas que antes eram suas amigas e viviam aplaudindo o que você fazia no mundo. Depois passaram a criticar e se afastaram de você. E isso não ocorreu apenas na esfera da amizade, não. Mesmo dentro de casa, no meio dos familiares, isso ocorreu de forma até mais intensa. O mundo passou a te ver com maus olhos porque DEUS te fez igreja DELE. O fato de você ter reconhecido a PAZ DE JESUS, fez com que muitos inimigos seus fossem criados ou revelados. E esse reconhecimento causou uma ruptura nessa amizade, uma dissensão. É por isso que JESUS afirmou que a presença DELE na vida de alguém causaria dissensão, racha, quebra, espada. Enquanto você servia ao mundo, não conseguia enxergar os infinitos demônios que o estão dominando, pois sua visão espiritual era apagada, cega, morta, fechada. Hoje, que sua uma visão é aberta, você consegue enxergar a ira, os demônios que estão aprisionando as pessoas que se revoltam contra sua vida.

A Paz de JESUS precisa ser promovida: Só transmite a PAZ DE CRISTO quem a possui. Essa PAZ não pode ser egoísta nem guardada no baú do nosso coração. Ela precisa ser compartilhada, divulgada, expandida, para que outros venham a tê-la também. Quem um dia reconheceu essa PAZ e não a divulgou, tornou-se o pior dos fariseus porque, além de perdê-la, vai viver uma vida de religiosidade hipócrita, sem amor e misericórdia pelo próximo; e sem armado para julgá-los. “Bem-aventurados os que promovem a paz, porque eles serão chamados filhos de Deus” (Mateus 5:9)“Bom é o sal; mas se o sal se tornar insípido, com que o temperareis? Tende sal em vós mesmos, e paz uns com os outros” (Marcos 9:50); “Se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens” (Romanos 12:18). Precisamos demonstrar a PAZ que reina em nós, fugindo das fofocas, das intrigas, das confusões e dos bate-bocas; que para nada servem. Não force a PAZ em quem não quer tê-la. Ela deve ser a expressão da boa-vontade, de um espírito voluntário e preparado para reconhecê-la. Deixe que o Espírito Santo prepare o terreno no coração do homem para aceitá-la. “Ora, o fruto da justiça semeia-se na paz, para os que exercitam a paz” (Tiago 3:18).

A Paz de JESUS não é ausência de vitupérios: Pretendo agora mostrar a grande diferença entre a PAZ DE CRISTO e o sossego na alma. Viver sossegado (a) é não ter conflitos, ou fugir deles; é ter uma vida ausente de lutas e grandes embates espirituais. Há pessoas que pensam que, o fato de terem fugido das lutas espirituais e hoje viverem em sossego, a PAZ DE JESUS residem nelas. Engano! TER A PAZ DE JESUS SIGNIFICA SOFRER POR AMOR AO EVANGELHO. Em algum momento na Bíblia você deve ter lido a palavra vitupério ou uma derivação. Sabe o que ela significa? Capacidade de ofender e de injuriar alguém. Agora, observemos o que diz a Palavra de DEUS: “Amados, não estranheis a ardente prova que vem sobre vós para vos tentar, como se coisa estranha vos acontecesse. Mas alegrai-vos no fato de serdes participantes das aflições de Cristo, para que também na revelação da sua glória vos regozijeis e alegreis. Se pelo nome de Cristo sois vituperados, bem-aventurados sois, porque sobre vós repousa o Espírito da glória e de Deus (...)” (1 Pedro 4:12-14) (grifo meu). Tem muita gente com espírito de covadia, fugindo da batalha, e procurando uma vida de sossego espiritual nos templos, como se enganassem a DEUS. Uma vez o apóstolo Paulo escreveu aos Gálatas: “Desde agora, ninguém me inquiete, porque trago no meu corpo as marcas do Senhor Jesus” (Gálatas 6:17). Em outra Carta escreveu: “Porque, como as aflições de Cristo são abundantes em nós, assim também a nossa consolação sobeja por meio de Cristo” (2 Coríntios 1:5). Aos Romanos, ele afirmou: “Por amor de ti, somos entregues à morte todo dia; fomos reputados como ovelhas para o matadouro” (Romanos 8:36). JESUS nos alertara bem antes: “Tenho-vos dito isso, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo” (João 16:33). Não sei que evangelho é esse que ensinam por aí: um evangelho desprovido de afrontas, de combates, de perseguições; mas um evangelho da busca pela felicidade pessoal e grande prosperidade material. Esse, certamente, não é o evangelho das Sagradas Escrituras. Eu já ouvi muito nos templos: “DEUS quer te abençoar e que você seja feliz”. Essa seria uma verdade bíblica, se essas coisas viessem como consequência de uma vida de renúncia, que lutou e luta dentro de uma guerra espiritual; e não como presentes que caem do céu decorrentes de uma vida sossegada. Cuidado: o sossego que hoje você está sentindo pode não ser exatamente a PAZ DE JESUS em sua vida.

Agora, vamos abordar um pouco sobre a paz que o mundo oferece.

É uma paz ausente de conflitos, relacionada ao bem-estar do indivíduo. Você já percebeu como muitas pessoas mundanas estão felizes? A cada dia você enxerga uma conquista diferente na vida delas. Ou seja, essas pessoas andam na mão do mundo, naquilo que ele tem a oferecer. Os homens que buscam o sucesso, a prosperidade e a felicidade pessoal no mundo, quando encontram, abrem um sorriso no rosto para toda a sociedade. Esse é um exemplo da paz que o mundo oferece. Uma paz em que você vale o que tem; e não o que você é.

É uma paz baseada nos interesses humanos. Essa é uma paz materializada no interesse espúrio dos seres humanos. Quando algo dá errado, eles logo se desesperam, perdem o controle e a orientação de viver. A paz do mundo anda em conformidade aos interesses pessoais de cada um. Ela, portanto, é temporária. Muitos maridos e esposas abandonaram seus lares, sua família, porque quiseram fugir dos conflitos surgidos no casamento. Eles e elas já não aguentavam aquilo e não queriam mais essa “vida infernal” que estavam vivendo. Daí, muitos terem voltado para a casa dos pais ou terem ido viver com novos companheiros. Há um estágio em que essas pessoas demonstram muita felicidade e bem-estar no pecado do adultério em que estão escravizados. Porque quando as coisas caminham de acordo como se planeja, suscita uma sensação de paz aparente, de bem-estar. Mas todos estão mortos para DEUS. Observe o conselho que há para a igreja: “Não te indignes por causa dos malfeitores, nem tenhas inveja dos que praticam iniquidade. Porque cedo serão ceifados como a erva, e murcharão como a verdura” (Salmo 37:1-2); “Quanto a mim, os meus pés quase se desviaram; pouco faltou para que escorregassem os meus passos. Pois eu tinha inveja dos néscios, quando via a prosperidade dos ímpios. Porque não há apertos na sua morte, mas firme está a sua força. Não se acham em trabalhos como outros homens, nem são afligidos como outros homens. Por isso a soberba os cerca como um colar; vestem-se de violência como de adorno. Os olhos deles estão inchados de gordura; eles têm mais do que o coração podia desejar. São corrompidos e tratam maliciosamente de opressão; falam arrogantemente. Põe as suas bocas contra os céus, e as suas línguas andam sobre a terra. (...) Eis que são ímpios e prosperam no mundo, aumentam em riquezas” (Salmo 73:2-9 e 12). Veja agora o que escreveu o profeta Isaías a respeito dessas pessoas que têm a paz do mundo: “As vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça. (...) Os seus pés correm para o mal, e se apressam para derramarem sangue inocente; os seus pensamentos são pensamentos de iniquidade; destruição e quebrantamento há nas suas estradas. Não conhecem o caminho da Paz, nem há justiça nos seus passos; fizeram para si veredas tortuosas; todo aquele que anda por elas não tem conhecimento da Paz” (Isaías 59:2 e 7-8). Todos os seres humanos que vivem uma vida longe dos conselhos de DEUS sentem paz, sossego, tranquilidade. Eles estão no mesmo patamar de ilusão que aquelas pessoas que se negaram a lutar; a sofrer por amor ao Evangelho. Os dois lados estão separados fisicamente, mas detentores da mesma paz.

A paz do mundo é manjar do diabo. Quem não se recorda da tentação que o nosso SENHOR sofreu no deserto por satanás? Em uma das tentações, o príncipe das trevas disse: “E o diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-Lhe num momento de tempo todos os reinos do mundo. E disse-lhe o diabo: Dar-te-ei todo este poder e a sua glória; porque a mim me foi entregue, e dou-o a quem quero. Portanto, se tu me adorares, tudo será teu” (Lucas 4:5-7). Satanás ofereceu riquezas, tesouro, prosperidade material a JESUS; ofereceu uma vida enganosa, ilusória, cativa a ele. Em outras palavras, o diabo ofereceu a paz do mundo para que CRISTO a reconhecesse. Mas o Filho de DEUS, prontamente, rejeitou: “Vai-te para trás de mim, satanás; porque está escrito: Adorarás o SENHOR teu Deus, e só a Ele servirás” (Lucas 4:8). O diabo queria, a todo instante, tirar JESUS do caminho do sofrimento do Gólgota, da morte da cruz, do derramamento do Seu Sangue. O apóstolo Pedro, certa vez, usado pelo diabo, tentou também livrar o SENHOR de um sofrimento futuro: “Desde então começou Jesus a mostrar aos seus discípulos que convinha ir a Jerusalém, e padecer muitas coisas dos anciãos, e dos principais dos sacerdotes, e dos escribas, e ser morto, e ressuscitar ao terceiro dia. E Pedro, tomando-o de parte, começou a repreendê-Lo, dizendo: Senhor, tem compaixão de ti; de modo nenhum te acontecerá isso. Ele, porém, voltando-se, disse a Pedro: Para trás de mim, satanás, que me serves de escândalo; porque não compreendes as coisas que são de Deus, mas só as que são dos homens” (Mateus 16:21-23). Quantas vezes esse mesmo diabo tentou te tirar do caminho do sofrimento por amor a JESUS por um caminho mais tranquilo, sem lutas, sossegado? Faça como JESUS fez: repreenda-o e não fuja daquilo que lhe está proposto.

A paz do mundo não me serve e não serve para a igreja do SENHOR JESUS aqui na terra. Tudo o que o mundo oferece devemos rejeitar. É melhor estar com DEUS em grandes lutas, batalhas, carregando uma cruz diária, do que com o sossego que o mundo dá. Por isso que o sábio Salomão escreveu: “Melhor é o pouco com o temor do SENHOR, do que um grande tesouro com inquietação” (Provérbios 15:16).

Há também um outro lado. Pessoas que não se posicionam conforme o Evangelho; sem sabedoria alguma, cujo comportamento errado causa profundo desconforto às suas almas. Naturalmente essas pessoas irão sofrer. Não por causa do Evangelho, mas pela cegueira e ignorância que nelas há. Olha o que o apóstolo Pedro escreveu: “Que nenhum de vós padeça como homicida, ou ladrão, ou malfeitor, ou como o que se entremete em negócios alheios; mas se padece como cristão, não se envergonhe, antes glorifique a Deus nesta parte” (1 Pedro 4:15-16).

Receba a PAZ DE CRISTO EM SUA VIDA e não permita que absolutamente nada a roube de você. A PAZ DE JESUS faz parte do Fruto do Espírito que o SENHOR DEUS deu a todos quantos a reconheceram (Gálatas 5:22). Ela está permanentemente dentro de nós, independentemente do que estejamos passando.

Vou concluir esse texto com a mesma saudação com que Paulo saudava as igrejas cristãs primitivas:

“E A PAZ DE DEUS, PARA A QUAL TAMBÉM FOSTES CHAMADOS EM UM SÓ CORPO DOMINE EM VOSSOS CORAÇÕES E SEDE AGRADECIDOS” (Colossenses 3:15).

Amém?

Em CRISTO,

ESTUDO ELABORADO PELO  PASTOR  FERNANDO CÉSAR 

0 comentários:

Postar um comentário

 

© - 2014. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré