Páginas

Impressões de uma geração perdida

Nascemos e vivemos em uma geração morta espiritualmente. Fomos educados de acordo com a tradição religiosa de nossos pais, dentro dos princípios, dogmas, de determinado sistema religioso (na maioria, ou catolicismo romano ou protestantismo).
Crescemos aprendendo a adorar a DEUS dentro de um templo erguido pela mão de homens.
Se crescemos presos à doutrinação católica romana, em meio a imagens de esculturas, rezas a Maria e diversos santos; com um tempo, passamos a ser alcançados pela doutrinação protestante. E o processo dessa mudança de religião chamamos de novo nascimento. Vivemos em uma geração onde ser nascido de novo é carregar o título de protestante.
O conjunto de ensinamentos do sistema religioso protestante é um dos mais confusos que existem, espalhados em infinitas denominações que não se entendem quanto à interpretação bíblica da sã doutrina.
Há aquelas denominações que aceitam o batismo de crianças recém-nascidas (como a religião católica romana faz). Outras que só batizam com um pouco de água sobre a cabeça.
Há aquelas cujos líderes creem que o divórcio desfaz o casamento da pessoa e, assim, ela está livre para se casar de novo.
Há as denominações que são favoráveis a postulação da mulher ao cargo de pastoras, bispas, apóstolas etc.
Há aqueles pastores que passam a maior parte do tempo pedindo dinheiro aos fiéis. São homens avarentos, que usam a Palavra de DEUS para enriquecimento próprio.
A grande maioria não guarda todos os Mandamentos de DEUS (principalmente a santificação do sábado, com exceção dos adventistas), porque creem que JESUS anulou todos os Mandamentos criados por ELE mesmo, depois que veio ao mundo como homem. Assim os dias de cultos são domingo; e não sábado. Ah, se o povo deixasse de ser ignorante e pesquisasse quem promoveu tal mudança maligna...
Fazemos parte de uma geração religiosa que não tem compromisso algum com o Reino de DEUS. Uma geração que não lê, não examina as Sagradas Escrituras, não ora, não jejua; mas que busca a DEUS por aquilo que pode receber DELE como bênçãos para suas vidas.
Fazemos parte de uma geração onde um templo erguido por homens é chamado de Casa de DEUS; e quem está fora dele, consequentemente, estará perdido, longe da presença do PAI.
Somos de uma geração onde quem quiser ter um pastor tem que ser frequentador assíduo do templo. Os pastores, quase sempre, não cuidam das ovelhas como devem cuidar; não se relacionam com elas (alguns sem sabem o nome da esposa nem do marido). Na verdade, os frequentadores de templo têm pastores apenas de fachada porque ninguém se sujeita a nenhuma autoridade como a Bíblia orienta.
A Palavra diz que o justo vive pela fé. Mas o pastor, que diz ter recebido o chamado de DEUS, precisa trabalhar no secular, dividir o seu tempo entre o secularismo e a vida no templo, porque ele tem uma família para sustentar. Não há nenhum apóstolo que tenha continuado com o trabalho secular, depois de ter sido chamado por DEUS para fazer discípulo.
Somos de uma geração onde as esposas não se sujeitam a tudo aos seus maridos; e os maridos não amam a suas esposas como CRISTO amou a igreja. Fazemos parte de uma geração onde os filhos não respeitam mais os pais e, na verdade, são mais educados pelo mundo do que pelos pais que passam quase todo o tempo longe do lar.
Vivemos em uma geração onde é muito comum filhos de pais separados e maridos e esposas em segundo, terceiro e quarto casamento. E olha que nem estou me referindo às pessoas do mundo, mas àquelas que se dizem filhas de DEUS e são frequentadoras de algum templo religioso.
Somos de uma geração onde ser crente é um rótulo, um modismo, uma mania boa.
Corações rasgados, sinceros, espíritos quebrantados quase não se veem mais.
Fazemos parte de uma geração que não ama, não perdoa, não busca a restituição no SENHOR, mas julga e atira pedras no próximo quando percebe que ele está caído.


Ah, se ao menos fôssemos como Davi, sinceros, sem vergonha de ser e de se assumir.
Ah, se não colocássemos tantas desculpas e justificativas humanas para a vida miseravelmente espiritual em que vivemos.
Ah, se tivéssemos o coração rasgado diante de DEUS dia-a-dia.
Mas, infelizmente, a realidade não é assim.
Fingimos ser crentes e os pastores fingem ser super-heróis.

Precisamos urgentemente largar a nossa religiosidade hipócrita e mentirosa e passarmos a ser igreja do SENHOR.
Precisamos, assim como o nosso DEUS, ser radicais com a doutrina bíblica.
Larguemos as negociatas e o mau costume que nos aprisionam, que nos fazem enganados, iludidos.
DEUS nos resgata para sermos luz do mundo e sal da terra. Deveríamos ser completamente diferentes dos religiosos e das pessoas do mundo; mas, infelizmente, somos iguais a eles.
O SENHOR JESUS está muito perto de voltar para buscar a Sua igreja. Igreja são pessoas que guardam todos os Mandamentos de DEUS, de JESUS e os preceitos bíblicos. Igreja são vidas que perseveram na Verdade e que estabeleceram um compromisso inquebrável com o Reino de DEUS.

Pensemos nisso. Ainda há tempo e esperança! Mudemos para não sermos surpreendidos no Grande Dia.

Que o SENHOR tenha misericórdia de nós!

ESTUDO ELABORADO PELO  PASTOR  FERNANDO CÉSAR 

0 comentários:

Postar um comentário

 

© - 2014. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré