Páginas

“Meu cônjuge virou a cabeça...”

Os casais licitamente casados precisam viver 24 horas sintonizados com DEUS. Porque qualquer brecha, qualquer vacilo, nas ações ou nos pensamentos, o diabo entrará com força no casamento para destruir a família. E os tragará.

Destruir um casamento é a maneira mais fácil que satanás encontrou de levar os cônjuges ao inferno, especialmente aqueles que são apenas religiosos e nunca experimentaram a transformação viva do Espírito Santo.

Destruir um lar, acabar com uma família, são projetos iniciais do inferno. DEUS abençoou o corpo de um homem para ser até a morte de uma só mulher; e vice-versa (Romanos 7:2-3; 1 Coríntios 7:39). Um homem e uma mulher que deixaram a casa do pai e da mãe e se deram em casamento. Casaram-se, formaram uma nova família, testemunhada pelo SENHOR. Vieram filhos. A família é algo singular e maravilhoso aos olhos do CRIADOR. Família: primeiro casamento de ambos e filhos que nasceram de uma relação sexual lícita.

Mas o marido, que não tem temor algum nem vive na presença de DEUS, é instrumento do maligno para trair, enganar, mentir. Até que, um dia, sai de casa enganado e envolvido pelos lábios da mulher adúltera. Uma mulher geralmente mais nova, mais bonita, com um corpo de chamar a atenção. Uma mulher que o seduz pelo olhar para o leito de morte.

E a esposa, que também não teme ao SENHOR nem vive na presença de DEUS, igualmente é instrumento do diabo. Apenas luta para crescer na vida, passar em concursos, ganhar mais dinheiro, ser promovida profissionalmente. Passa a lidar com pessoas de classe social e econômica superior a do marido. Naturalmente, satanás a leva a comparações. Observe: naquela sala ao lado existe um homem, divorciado da mulher, com um filho apenas, um executivo, bem-sucedido financeiramente, elevado culturalmente; infinitamente melhor que o marido, pouco escolarizado e assalariado. Aquele executivo é a pessoa que ela sempre sonhou em ter. O marido, coitado, um mero trabalhador, esforçado; aos olhos dela, sem perspectiva alguma.

O homem quase sempre é levado e atraído por questões físicas, sexuais. A mulher enganada na questão profissional, financeira, cultural. Ela se torna uma gigante; o monstro da insubmissão passa a residir dentro dela. Geralmente abandona a casa e o marido por essa razão. O adultério dela vem em segundo plano; será consequência da altivez e da soberba que tomaram conta do seu coração.

A esposa traída, porém santa, dedicada, procura um conselheiro “cristão”, que ainda a faz se sentir mais culpada ainda: “Mas você não se cuidou, não cuidou da sua beleza, não procurou uma academia; então seu marido a trocou por outra...”. Coitada, sai daquela seção sentindo-se mais culpada ainda...

Quando é o marido repudiado que procura, ouve o seguinte: “Mas você não procurou estudar mais, especializar-se, ganhar mais dinheiro, ser um doutor. Parou no tempo e se acomodou. Daí sua mulher o trocou por outro homem, do mesmo nível que ela...”. E ele sai dali pior do que quando entrou.

Um cônjuge tem a cabeça virada quando o coração dele não está em sintonia com o Reino de DEUS. Um ingrediente principal falta para que consigamos superar toda e qualquer dificuldade: TEMOR AO SENHOR.

Sabe o que é ter temor? É querer fazer algo, mas não faz porque sabe-se que aquilo vai desagradar a DEUS. O temor faz o homem e a mulher recuarem daquilo que gostariam de fazer. Bem, claro que estou me referindo a situações de extrema desobediência, sem propósito algum de DEUS.

Nenhum repúdio passa por algum projeto celestial, propósito divino. DEUS odeia o repúdio! Quem repudia pode se tornar pior do que quem traiu, por exemplo. Vou explicar. A traição pode ser confessada e desfeita quando ambos estão dentro de casa. Ela não é maior nem pior que qualquer outro pecado, que se comete quando ainda se está junto, presente. A separação física cria um grande e profundo abismo para o pedido de perdão e de reconciliação entre o casal. Observe uma pessoa que está separada, há algum tempo, do seu marido, que até já oficializou o adultério com outra. Ela diz “mas, pastor, já nos separamos há muito tempo e ele, inclusive, já tem uma nova família”.
Uma mulher, que traiu o marido e não abandonou o lar, tem grande chance de ser restaurada espiritualmente.
Um homem, que traiu e repudiou sua família, passou a viver aprisionado no adultério continuado. Ainda que se arrependesse adiante, teria que abandonar o adultério, pedir perdão a esposa e fazer o caminho de volta para casa. Se morresse no outro dia, morreria salvo. De nada adiantará, pedir perdão a DEUS, reconhecer que errou no passado, mas não restituir. Não existe perdão nem salvação sem restituição, quando isso é possível de ser feito. A frase “já me arrependi, mas não quero essa restituição” é satânica e de nada serve. Observe como a trajetória para ele se tornou mais complicada do que para ela que não saiu de casa.
Sempre digo: se virou a cabeça algum dia, faça de tudo, mas não abandone o lar. Não seja covarde nem irresponsável com a sua família. A tempestade está grande demais? Busque a DEUS, mas não abandone o barco.
O melhor é fugir do pecado, fechar todas as brechas, vigiar e orar; evitando, assim, que coisas piores aconteçam. Se caiu, logo se arrependa, ainda dentro de casa, antes que o pecado crie raízes fortes e leve o cônjuge a consequências desastrosas...

ESTUDO ELABORADO PELO  PASTOR  FERNANDO CÉSAR 

1 comentários:

  1. Pastor, minha esposa se desviou, e não quer mais o casamento. Ela diz pras pessoas que não se distanciou de Deus, mas todos sabemos que sim, por suas atitudes. Ela, antes de casarmos, tinha histórico de homossexualismo. Ela chegou e disse que se enganou, e que gostaria de mulher. Mas quando estávamos juntos, me sentia muito amado, em todas as áreas. O que faço? Insisto em orar por uma reconciliação ou desisto?

    ResponderExcluir

 

© - 2014. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré