Páginas

MEU MARIDO É UM VICIADO SEXUAL. O QUE FAZER?

Um marido escravizado pelo vício da prostituição.
Acessa sites pornográficos. Alimenta-se de pornografia, enche o coração de podridão; sacia a concupiscência  carnal.
Masturba-se o tempo inteiro vendo atores e atrizes se deleitando com os manjares do inferno.

Ele faz tudo às escondidas, procura ser perfeito. Sua esposa nada vê, nada percebe. Apenas uma frieza da parte dele na procura sexual. Mas ela imagina que seja por causa de algum problema que ele esteja passando no trabalho. É coisa de momento. Logo irá passar. Mas não passa. Os dias vão correndo. E o marido cada vez mais cativo nas algemas da podridão, do pecado, da pornografia.

Ele até sabe que DEUS tudo vê, mas, por não ter nenhum temor, prossegue com as investidas pecaminosas.
Certo dia, sua esposa passa perto do computador e ouve uma voz falar claramente ao seu coração: “seu marido está viciado em pornografia na Internet”.
Não! Ela não acredita. Só pode ser criação da sua mente, fruto da imaginação. Por isso não toma nenhuma atitude, pois também não deseja criar problema para a relação nem para o casamento. Prefere deixar tudo como está.

E o monstro da pornografia, do pecado sexual, agiganta-se cada vez mais dentro dele.
Pela segunda vez, a esposa ouve novamente a mesma voz, como uma advertência: “seu marido está escravizado em pornografia na Internet”. Os sinais de alerta agora estão ligados.

Uma hora qualquer liga o computador para pesquisar sobre uma coisa qualquer: uma receita de bolo, uma pesquisa científica; ou mesmo para ler alguma notícia. Mas a notícia que lhe aparece em tela é uma lista de sites pornográficos, registrados no histórico de informações acessadas recentemente pelo seu marido. Mas ele havia deletado tudo, excluído tudo. Como essa lista pôde aparecer ali?
A única resposta: É DEUS.

Só assim ela sabe que aquela voz não era fruto de sua imaginação.
Era o Espírito Santo a advertindo, revelando.
Corre para o quarto desesperada. Chora copiosamente. Sente-se um verdadeiro lixo humano. Um verme. Um corpo rejeitado, traído, um trapo de imundície. Porque é assim que as mulheres traídas e rejeitadas se sentem. Esforçam-se para serem boas donas de casa, excelentes mulheres na cama (muitas vezes até desagradam a DEUS para satisfazer algum sonho erótico do marido). Depois de muito chorar e de tomar alguns remédios, não tem para quem se abrir. Se contar para familiares, vai ouvir conselhos errados, até ser criticada. Se contar para o pastor ou para a igreja (leia-se templos denominacionais), também não terá bons resultados. O máximo que o pastor poderá lhe dizer é: “Já que ele te traiu, você agora está livre para pedir o divórcio e se casar com outra pessoa de DEUS...”.

Parece que essa esposa está num beco sem saída. Força para orar e ler a Bíblia lhe falta. O jeito mesmo é conversar com o marido.
Nessa noite, um dá às costas para o outro (como se estivessem muito cansados) e dormem. No outro dia, depois que os filhos vão para a escola, é a hora da conversa.
“Amor, você anda me traindo?”, pergunta ela.

“Jamais faria isso com você”, responde ele meio sem jeito, mas também transmitindo um pouco de irritação.
Ela para a conversa por aí.
Crê que tudo isso logo irá passar.
Mas não passa.

Como ele está escravizado, espera pelo “melhor” momento para saciar pela milésima vez o seu pecado defronte à máquina.
O monstro, que já era gigante, cresce ainda mais.
Vez em quando se faz presente no sexo com a esposa e lhe diz algumas palavras de carinho. Tudo para disfarçar.

Pela terceira e última vez, a esposa passa perto do computador e ouve a sublime voz: “Seu marido permanece viciado em pornografia na Internet”.
Era tudo o que ela não esperava ouvir.
Ela se desconstrói como um prédio que rui em frações de segundo. Agora nenhuma força. Nada mais de pé. Nenhuma resistência física, mental.
Nada mais nessa vida tem mais sentido. Deseja morrer.
Seus dias são fonte de tristeza.
“Ah, se DEUS me levasse agora...”

Esse é uma pequena e real descrição do sofrimento de uma esposa, que tem o marido escravizado em pornografias e vídeos eróticos.

É preciso sabedoria para entender o que se passa com o seu marido e o momento delicado do seu casamento.
É preciso frieza para saber enfrentar um problema tão sério.
É preciso DEUS (muito temor) para não perder a esperança de restauração.

Um coração e uma alma só são libertos quando estão quebrantados, reconhecem as falhas e clamam por socorro e por ajuda.
Enquanto o coração disser “não é verdade”, “não sou assim”, “não faço isso” não haverá libertação alguma; e a escravidão permanecerá.
É fácil perceber quando um marido ainda está cativo nas algemas do pecado, da prostituição, do sexo ilícito.

Ele não encontra forças para orar, ler a Palavra de DEUS e buscá-LO sempre.
Pode até ir ao templo, assistir aos cultos, como uma forma de enganar aos outros e a si mesmo. Mas vida com DEUS, ele não tem.
Quando o pecado se aloja no coração de um marido: há frieza sexual em relação à esposa; começa a inventar desculpas, justificativas para o seu comportamento diferente.

Se um dia ele teve vida com DEUS, deixa imediatamente de ter. Sem o Espírito Santo dentro dele, não consegue mais ter comunhão alguma com o PAI.
Há maridos que vão até o limite de seus orgulhos e soberbas para afirmarem que não estão envolvidos com nada de errado; que isso é “coisa da cabeça” da mulher. Muitos até chegam a sair de casa, afirmando não terem culpa de nada.
Quanto mais hipócritas e mentirosos, mais escravos se tornarão dos seus pecados.

A única atitude que liberta uma vida e a torna com esperança de salvação é a sinceridade, o admitir, o pedir ajuda; não ter vergonha de confidenciar. Primeiro com DEUS, depois com a sua família. É necessário se abrir, vomitar. E isso é feito com humilhação e lágrimas.
O processo de libertação começa por aí.
Leiam o Salmos 51 e descubram como um homem tão sujo e imundo como Davi, tornou-se em um homem de coração igual ao de DEUS.
Só a sinceridade cura, liberta e restaura.
Um coração puro é aquele que vomita (coloca para fora) todos esgotos espirituais.
Repito: NÃO HAVERÁ LIBERTAÇÃO ENQUANTO O HOMEM NÃO ADMITIR O QUE É E O QUE FAZ DIANTE DE DEUS E DA SUA FAMÍLIA!!!
É preciso ter coragem, humildade, para se revelar tal qual é.
DEUS AMA UM HOMEM QUE FALA A VERDADE, QUE NÃO TOMA A MENTIRA POR VERDADE.
Espírito quebrantado, coração sincero, humildade. É por essas virtudes celestiais que você, esposa, deve orar em relação ao seu marido. Sua oração deve ser a seguinte: “SENHOR, LEVA O MEU MARIDO AO ARREPENDIMENTO, À HUMILHAÇÃO. FAZE-O RECONHECER QUEM ELE REALMENTE É DIANTE DE TI”.

É por esse caminho de perseverança que uma esposa deve seguir, ao descobrir que o seu marido é um viciado sexual. Jamais abandoná-lo nem cobrar dele o que ele não tem condições de oferecer, nem pressioná-lo. O exercício pleno do verdadeiro AMOR começa quando fechamos o nosso coração para a possibilidade de repúdio e de abandono. Quando decidimos investir em uma vida em oração, jejum e perseverança; uma vida que de nós nem de DEUS merece nada. Mas fazemos porque o AMOR DE DEUS está instalado em nosso coração.

Assim, começa o processo de restauração familiar e a manifestação da glória de DEUS no meio da família: PELO AMOR.
Amar um ser humano cativo é uma decisão. Decida por amar a sua família!! Não se esquecendo: “DEUS AMOU O MUNDO DE TAL MANEIRA QUE DEU O SEU ÚNICO FILHO PARA QUE TODO AQUELE QUE NELE CRÊ NÃO PEREÇA, MAS TENHA A VIDA ETERNA” (JOÃO 3:16). Eu e você não merecíamos nada, andávamos no mundo, mas mesmo assim o SENHOR DEUS PREFERIU NOS AMAR.
DEUS abençoe e cubra com o Sangue de JESUS a todas as famílias!!

Em CRISTO,

ESTUDO ELABORADO PELO  PASTOR  FERNANDO CÉSAR 

1 comentários:

 

© - 2014. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré