Páginas

O Espírito Santo e a interpretação da palavra

Deus revelou as Escrituras Sagradas do Velho e do Novo Testamentos para a edificação dos verdadeiros crentes. As Escrituras foram escritas de tal forma que apenas os crentes que fossem assistidos pelo Espírito Santo pudessem entendê-las plenamente. “Porque lhes falas por parábolas?” foi a pergunta dos discípulos em uma certa ocasião. A resposta do Senhor Jesus revela claramente que ele não pretendia que aqueles que resistiam ao Evangelho entendessem sua pregação (Mat. 13:11-13). Em outra oportunidade, podemos ver o próprio Jesus revelando aos Seus discípulos tudo o que estava escrito sobre Ele em “Moisés e os profetas” (Luc. 24:27). Sem a direta assistência de Jesus eles não seriam capazes de compreender a significado integral e profundo daquelas Escrituras.

Dessas passagens depreendemos que o conhecimento histórico e gramatical não são suficientes para nos capacitar a compreender o significado exato de muitos textos das Escrituras e para receber com precisão os ensinos que o Senhor deseja nos transmitir por meio deles. Em lugar disso, nós precisamos é de “revelação” ou iluminação, ou, em outras palavras, da assistência do Espírito Santo. Caso contrário, estaremos limitados por nossa própria interpretação particular de muitas passagens das Escrituras, as quais, em muitos casos, não estarão em harmonia com a interpretação de Deus das mesmas passagens (I Cor. 2:9-13). Ou ainda, perderemos a profundidade e a riqueza que a Palavra de Deus pode nos transmitir (II Cor. 3:6).

É por essa razão que se deve buscar a assistência do Espírito Santo quando se medita na Bíblia. Pela mesma razão o próprio Senhor levanta no Corpo de Cristo alguns para serem “mestres” (Efe. 4:11). Esses são homens ungidos pelo Espírito Santo para servirem a Igreja no ministério da Palavra. Isso é inteiramente diferente de pessoas que obtiveram os títulos de Mestre ou Doutor em teologia e, por essa razão, crêem que são capazes de entender o sentido completo das Escrituras. Ao dizer isso, não negamos a necessidade de um bom conhecimento do contexto histórico, geográfico e cultural das Escrituras, nem de uma boa compreensão gramatical a fim de extrair as doutrinas corretas da Bíblia.

Devemos interpretar a Bíblia da mesma forma que os escritores bíblicos, inclusive o Apóstolo Paulo. Consideremos, a título de exemplo, a forma pela qual o Apóstolo interpretou a passagem do Velho Testamento referida em I Coríntios 10:1-11. Paulo afirma que a travessia do Mar Vermelho representava o batismo, que o maná representava o alimento espiritual (a Palavra de Deus: “Eu sou o pão da vida”), a rocha da qual eles beberam falava de Jesus, a Rocha espiritual, e assim por diante. Ele identifica, portanto, símbolos e tipos em muitas passagens do Velho Testamento. Em I Cor. 9:9-10, Paulo diz que a passagem do Velho Testamento que fala sobre bois é uma lição para nós sobre os obreiros cristãos (também em I Tim. 5:17-18). No entanto, se alguém ler o Velho Testamento sem a revelação (a assistência) do Espírito Santo que Paulo recebeu, não compreenderá esse texto da mesma forma. Na mesma linha de raciocínio, em Gálatas 4:22-31 Paulo afirma que as vidas das esposas de Abraão eram simbólicas (verso 24) ou, em outras versões, uma alegoria.

Como o Senhor Jesus interpretou certos fatos da história de Israel? Em Deuteronômio 8:3 é claramente mostrado que, através do maná, Deus queria que compreendêssemos que o homem não deveria viver apenas do pão material, mas de toda a palavra que provém da boca de Deus. O maná representa, portanto, a Palavra de Deus. Em outra ocasião, o Senhor Jesus afirmou que Ele mesmo era o verdadeiro mana, o pão que desce do céu (João 6:32-35). Em outras palavras, Ele é a Palavra de Deus (Apo. 19:11-13, 16).

Todo o livro de Hebreus demonstra que o Tabernáculo e seus sacrifícios falam de Jesus como o Cordeiro de Deus, o Sumo Sacerdote, etc. Trata-se de um livro repleto de interpretações dos tipos, símbolos e figuras do Velho Testamento que só puderam ser plenamente compreendidas por revelação. E, não menos importante, as parábolas de Jesus não podem ser inteiramente compreendidas sem revelação do Espírito Santo. Se alguém tentar ler, suponhamos, três comentários do Novo Testamento, perceberá que cada um deles contraria os demais ao interpretar as parábolas, ainda que, em muitos casos, tenham sido escritos por servos de Deus.

No entanto, ao buscar o significado profundo das Escrituras, podemos cometer dois erros. Primeiramente, não aceitar o sentido literal, o significado direto; ao fazer isso poderíamos perder o primeiro ensino que aquela passagem transmite. Em segundo lugar, “encontrar” doutrinas que não encontram apoio nas partes doutrinárias do Novo Testamento. Tentar encontrar uma nova doutrina – doutrina que não está revelada claramente nas passagens do Novo Testamento – através do uso de alegorias ou da interpretação de tipos ou símbolos seria um caso de utilização errónea da Bíblia.

Pode-se, contudo, usar tipos e símbolos como ilustrações de verdades claramente reveladas no Novo Testamento por que eles alimentam nossa alma. Onde quer que o Senhor fale pela Bíblia utilizando tipos e símbolos, deve-se tentar compreendê-los com a assistência do Espírito Santo para que possamos receber a edificação que o Senhor deseja nos transmitir através dessas passagens. Esses tipos e símbolos são lindas ilustrações de verdades que o Senhor revelou em outras Escrituras claras, especialmente nos Evangelhos e nas Epístolas do Novo Testamento.

Para entendermos melhor esse assunto, convém lembrar que o Novo Testamento encontra-se escondido no Velho Testamento, e que o Velho Testamento é revelado no Novo Testamento. Para não cometer erros nesta área da interpretação das Escrituras, não se pode esquecer jamais que passagens do Velho Testamento são sombra de realidades que seriam reveladas no Novo Testamento (Col. 2:17; Heb. 10:1). Ficará claro, por exemplo, que Jesus é o sábado (descanso do crente), o cordeiro (sacrifício pelos pecados do crente), o templo (o crente adora em comunhão com Ele), o maná (o pão da vida), etc.

Se não pedíssemos a assistência do Espírito Santo para compreender, por exemplo, o significado do livro de Ester, do livro de Cântico dos Cânticos, das parábolas de Jesus, de algumas partes do livro de Daniel e uma grande porção do livro do Apocalipse, então perderíamos um benefício espiritual significativo que é transmitido por essas partes da Bíblia. Por outro lado, estaríamos correndo o risco de aceitar qualquer interpretação humana daquelas Escrituras, ao invés de uma interpretação dada por Deus.


Regozijamo-nos, portanto, quando percebemos que o Senhor nos quer capacitar, pelo Seu Espírito, para compreender toda a Bíblia antes da volta de Jesus e para pregar todas as porções das Escrituras, por que acreditamos que toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, a exortação e a correção (II Tim. 3:16).

Igreja e mundo: inimigos ao extremo

Chegamos ao tempo da facilidade extrema para se divorciar. Se não houver filhos e se os bens forem repartidos consensualmente, bastam alguns minutos em um Cartório, e o casal logo estará de posse do documento que oficializa a quebra da aliança matrimonial aos olhos da sociedade.

Chegamos igualmente ao tempo em que duas pessoas do mesmo sexo podem ser reconhecidas, aos olhos do mundo, como pessoas legalmente casadas.

É o tempo em que os antigos jamais imaginariam que chegasse. Não que essas conquistas sociais representem avanço, especialmente no campo do Direito da Família. Antes, pela minha opinião e fé, significam um profundo retrocesso e uma afronta escandalosa à Palavra de DEUS. Aliás, essa inerrante Palavra atesta que “(...) o mundo jaz no maligno” (1 João 5:19).

O mundo jaz no maligno porque ele é regido pelo príncipe das trevas e seus demônios. Quem aprova tais conquistas sociais, torna-se inimigo (a) de DEUS.

A igreja, para se tornar parecida cada vez mais com DEUS, precisa abominar e ignorar os anseios e as conquistas seculares e mundanas. Esse é um requisito fundamental. Igreja e mundo não podem andar de mãos dadas, mas precisam assumir uma postura de inimigos extremos, sem a necessidade de agressão nem qualquer tipo de violência. E essa não é somente uma questão essencialmente de respeito à fé cristã, mas de posicionamento de um caráter irrepreensível. O mundo precisa odiar cada vez mais a igreja de JESUS, enquanto esta deve ter repugnância pelas coisas que o mundo cria. Em João 15: 18-19, JESUS advertiu a igreja: “Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós, me odiou a mim. Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso que o mundo vos odeia”.

Divórcio, recasamento de pessoa divorciada (em nenhuma circunstância ou motivo), união civil entre pessoas do mesmo sexo, qualquer tipo de idolatria e outras manifestações parecidas pertencem ao mundo. A igreja, nascida do coração do DEUS Santo, precisa, repito, repudiar tais coisas. Não existe igreja em amizade com o mundo.

Mesmo o mundo se perdendo no maligno, JESUS não quis nem impediu que a igreja vivesse fora dele. Mas deu-lhe a incumbência de anunciar o Evangelho da salvação aos perdidos e de ser luz no meio deles. Pois, quem é do mundo anda na escuridão das trevas e não possui discernimento espiritual algum.

Quem é do mundo vive conforme os conselhos do mundo. Assim, casa-se no mundo, com uma pessoa do mundo, e quando não dá mais certo, separa-se, divorcia-se e contrai nova união. Tudo isso acontece porque o mundo tem essas coisas como certas, naturais, corretas; e a ignorância aos conselhos de DEUS é notória em sua mente e em seu coração.

Daí, em algum momento, essa pessoa tem um encontro com JESUS. O Espírito Santo a visita. O véu da ignorância cai totalmente quando lhe é revelada toda a Verdade de DEUS acerca da sua vida. O desmanche do véu da ignorância não ocorre quando essa pessoa, por algum motivo, mudou de religião. Sistema religioso algum representa o Reino de DEUS aqui na terra (nem católico romano, nem protestantismo, nem qualquer outro). Infelizmente, uma cultura alienante e diabólica nos fez acreditar que sistemas religiosos, cada qual com a sua doutrina, fossem a representação do Reino de DEUS aqui na terra. Quanto ao Protestantismo, eu costumo enxergá-lo de duas maneiras: 1) como um movimento histórico-religioso cujos precursores mais conhecidos foram Lutero e Calvino (tiveram uma atitude importantíssima quando romperam com os dogmas do Catolicismo romano); 2) adiante, como um sistema religioso amparado em templos denominacionais e doutrinas estabelecidas por homens.

O tempo passou, as denominações cresceram e se multiplicaram e introduziram em nossa mente a ideia de que, para ser do Reino, a pessoa precisaria frequentar uma dessas instituições. Isso também é uma afronta à Palavra de DEUS. Essas denominações, com o tempo, passaram a ser uma espécie disfarçada de representação do mundo; nunca de DEUS. As pessoas chegam do mundo com a vida totalmente destruída, passam a frequentar esses lugares; e a vida não muda radicalmente, da água para o vinho. Muitas permanecem no adultério continuado (segundo casamento de pessoa divorciada aos olhos de DEUS), como se isso fosse normal e não interferisse na salvação delas. Muitos líderes não doutrinam conforme os pensamentos de JESUS, não exortam, não disciplinam; antes contribuem para a morte espiritual de muitos seguidores. Os templos denominacionais se tornaram um cemitério de “vivos-mortos”, que proclamam o Nome do SENHOR, louvam com os lábios; mas não têm a vida transformada ainda pelo SENHOR.

O mundo tornou-se amigo das denominações religiosas; mas nunca da igreja verdadeira. Esta, que é templo e morada do Espírito Santo, até o seu último respirar aqui na terra, vai repudiar as obras do mundo. Na oração sacerdotal, JESUS afirmou que a igreja não é do mundo, como ele também não é (João 17:16).

“O Espírito da verdade. O mundo não pode recebê-lo, porque não o vê nem o conhece. Mas vocês (a igreja) o conhecem, pois ele vive com vocês e estará em vocês (João 14:17)” (grifo meu).

“Esta é a condenação: a luz veio ao mundo, mas os homens amaram as trevas, e não a luz, porque as suas obras eram más (João 3:19)”.

“Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não são do Pai, mas do mundo (1 João 2:15-16)”.

Se o divórcio e o recasamento de pessoa divorciada são do mundo e abomináveis aos olhos de DEUS, como pode uma igreja aceitar tais coisas, sendo ela representação de um Reino santo aqui nesta terra? A ordem estabelecida por DEUS é: o que é do mundo, de um lado; e o que é de DEUS, do outro, completamente oposto.

Que o SENHOR nos abençoe!


FERNANDO CÉSAR – Escritor, autor dos livros “Não Mude de religião: mude de vida!”, “Pódio da Graça”; “Antes que a Luz do Sol escureça” e da coleção “Destrua o divórcio antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua o adultério antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua a insubmissão antes que ela destrua seu casamento”. Também é pastor e líder do Ministério Restaurando Famílias para Cristo.

Como administrar separações conjugais no meio da igreja?

Nos dias difíceis em que vivemos, é natural que existam muitas separações de casais casados em primeiro casamento no meio da igreja. De repente, um pastor olhará ao seu redor e verá quantas famílias estão enfrentando o veneno da destruição do lar.

Fora isso, outras dezenas de pessoas, que estão chegando para ser igreja, já separadas há muito tempo dos seus primeiros cônjuges e até em segunda e terceira união. Os líderes precisam ficar muito atentos a essa triste realidade para não serem coniventes com tais situações, mesmo que não tenham essa intenção.

O DEUS da criação é o mesmo DEUS a que servimos nos dias de hoje. A extrema santidade do SENHOR, tanto em Sua pessoa como na Sua doutrina, sempre permanecerá, independentemente da época. Por isso, precisamos sempre enxergar o DEUS inadaptável a nada que se processa no mundo exterior.

É uma tarefa gratificante apascentar (guiar, conduzir) e aproximar as ovelhas à santidade do SENHOR. Aliás, essa é a missão maior de todos os que receberam o chamado de DEUS para apascentar ovelhas aqui na terra. O Nome do SENHOR e a Sua doutrina estão blindados de qualquer interferência, modismo, realidade exterior, secular. E embora, DEUS se lembre de que somos pó e imperfeitos (referência ao Salmo 103:14), quer que andemos cada vez mais próximos a ELE, em santidade, em verdade, em justiça e em amor: “Sede santos porque eu sou santo” (1 Pedro 1:16).

Os pastores precisam blindar as pessoas, ao máximo, daquilo que é normal, comum, daquilo que acontece fora da santidade de DEUS. Se nos envolvermos com o caráter natural do mundo e desejarmos servir a DEUS nesse estado, seremos o pior dos fariseus modernos e hipócritas religiosos. E seremos reprovados no Grande DIA.

É claro que como seres humanos imperfeitos, pecadores, viventes nesse mundo difícil, iremos sentir fome, sede, dores; e até sermos vítimas de possíveis separações conjugais. O sol e a chuva estão para todos, justos e injustos. A questão maior não é essa; mas sabermos reagir face às circunstâncias adversas que nos são apresentadas, mesmo quando não as esperamos.

Um marido, de repente, resolve, com o coração contaminado pelo pecado, abandonar a sua esposa cristã; abandonar a casa, os filhos, enfim, toda a família. O diabo já colocou em seu coração que não existe mais prazer, amor; que o casamento acabou e que ele precisa recomeçar a jornada com uma nova pessoa. São situações que o cristão não tem como evitar. Mas, ele pode, a partir da boa e perfeita orientação, segundo o parâmetro da santidade doutrinária do SENHOR, alcançar o estágio de uma vida abundante em CRISTO, mesmo estando em sua situação adversa em termos de família. Depende de quem o orienta e como orienta. Um líder puramente carnal, religioso, vai orientá-lo pela desistência e de um novo relacionamento. Um pastor comprometido com a santidade do Reino vai ter a disposição de cuidar de sua ovelha, sem contaminá-la com nada que seja contrário à vontade de DEUS.

Após uma oração, esse pastor precisa mostrar, na Palavra, que o repúdio, a separação e um novo “casamento” nunca fizeram parte dos conselhos do SENHOR para a santidade do Seu povo. Embora a Bíblia mostre e aponte muitos casos de separação e de adultério, especialmente no Antigo Testamento, envolvendo grandes homens de DEUS; isso não significa que o SENHOR os tenha aprovado, mudado o Seu pensamento ou se tornado conivente. Também é preciso observar que nenhum grande homem de DEUS morrera na prática do adultério (nem mesmo Davi, que cometera coisas abomináveis aos olhos de DEUS na área sexual). O Salmo 51 é uma declaração de arrependimento e de abandono do pecado do Rei e o seu novo começo. No Novo Testamento, JESUS tornou a questão mais estreita ainda. Em Lucas, o Filho de DEUS afirmou: “Qualquer que deixa a sua mulher, e casa com outra, adultera; e aquele que casa com a repudiada pelo marido, adultera também” (16:18). O apóstolo Paulo escreveu que “a mulher casada está ligada pela lei todo o tempo que o seu marido vive; mas, se falecer o marido fica livre para casar com quem quiser, contanto que seja no Senhor” (1 Coríntios 7:39). Essa é uma questão definida e indiscutível para os salvos em CRISTO JESUS, inclusive, na compreensão do que está em Mateus 5:32 e 19:9 como uma adulteração feita por tradutores das bíblias atuais (sugiro a leitura desses textos em uma Bíblia cuja linguagem seja Fiel ao Texto Original). A palavra grega correta presente na suposta cláusula de exceção nesses dois versículos é FORNICAÇÃO. A igreja precisa ter a mente de CRISTO e o caráter do nosso DEUS para não se deixar enganar: uma mente e um caráter santos, incontamináveis.

A partir de uma boa orientação doutrinária; é preciso mobilizar a igreja, líderes capacitados, para cuidar e acompanhar a pessoa que fora repudiada pelo seu cônjuge. Essa pessoa precisa receber apoio emocional, que a levará a cura; espiritual, humano e como igreja. É momento de a igreja se mobilizar, com cuidado e com carinho, em torno da causa do repudiado e não olhá-lo com olhos estranhos. Os três ou os seis primeiros meses são de fundamental importância. Muita atenção, zelo e cuidado com todos os passos de uma pessoa que acabara de sofrer o repúdio. O isolamento social pode ser a alternativa mais viável a ser encontrado por ela, o que não é nada recomendável. É preciso saber cuidar de uma ovelha doente, ferida emocionalmente e com a família destruída. Além dos recursos bíblicos, espirituais necessários; é preciso amá-la como alguém de dentro de nossa casa, ampará-la, socorrê-la, blindá-la de quaisquer reações que sejam contrárias à Palavra e à Santidade do Nosso DEUS. É claro que uma igreja só conseguirá tal feito se tiver experiência, maturidade, familiaridade com o assunto em questão.

Nenhuma decisão deve ser fruto de achismo, da carne, de precipitação humana, mesmo quando as circunstâncias pareçam muito difíceis e impossíveis aos olhos humanos (a oficialização do divórcio e até um novo casamento civil do marido da irmã com outra mulher). O pastor não pode estabelecer limites para o seu cuidado e para o cuidado da igreja. Se ela serve a um DEUS do impossível, que essa FÉ seja colocada em prática, especialmente nos momentos mais difíceis e espinhosos. A FÉ EM JESUS NOS MOSTRA QUE, QUANTO MAIS DIFICULDADE E IMPOSSIBILIDADE, MAIS FÉ TEREMOS; E ELA ABRIRÁ AS PORTAS DA VITÓRIA PARA O POVO DE DEUS.

A maior prova de AMOR é quando a igreja, de joelhos, clama pela vida de um marido ou de uma esposa, que está perdido (a) no pecado do adultério. O AMOR de CRISTO vai crescendo e se desenvolvendo em cada coração quando a igreja ora e nunca desiste da vida de ninguém.

A igreja precisa ser um meio precioso e eficaz para uma pessoa atravessar o deserto de sua vida e da sua família; e não um canal de maldição, de pecado e de desistência sobre a vida do outro.

Felizmente, DEUS não se deixará enganar pelas justificativas de ninguém no Grande DIA, tipo: “O Senhor soube de tudo...”; “O Senhor viu que tentei o máximo e que aguentei até quando pude...”. O SENHOR SOUBE E O SENHOR VIU serão meramente redundâncias, que em nada mudarão a forma de DEUS realmente ver e julgar as pessoas, conforme a Sua sã doutrina.

No mundo, as separações, os divórcios e os adultérios (recasamento de pessoa divorciada) se tornarão cada dia mais frequentes e normais. Mas a igreja verdadeira, mesmo quando for vitimada por esses males, precisa saber se posicionar de acordo com a santidade do nosso SENHOR. Esse é o nosso diferencial...

Que DEUS nos abençoe!!


FERNANDO CÉSAR – Escritor, autor dos livros “Não Mude de religião: mude de vida!”, “Pódio da Graça”; “Antes que a Luz do Sol escureça” e da coleção “Destrua o divórcio antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua o adultério antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua a insubmissão antes que ela destrua seu casamento”. Também é pastor e líder do Ministério Restaurando Famílias para Cristo.

A escolha passageira

A beleza física é uma capa com prazo certo para acabar. Bastam alguns invernos e alguns verões para, logo, ela apresentar os primeiros indícios de desgaste.

Quem se guia apenas naquilo que vê corre o sério risco de ser trocada (o) ao longo do tempo.

Um conjunto físico bonito, impecável de se ver: um olhar encantador, um rosto de príncipe (ou de princesa), um corpo de atleta, podem esconder um caráter destruidor. As fases de namoro e de noivado podem ser até inesquecivelmente belas. Assim como a festa do casamento. Os primeiros anos, como narram os livros de contos de fada. Mas se não houver um caráter cristão, todo esse sonho desaba.

Escolhas passageiras nos levam à frustração.

DEUS, a todo instante, quer que nos preocupemos com o que está dentro: coração e caráter. Esse deve ser o nosso maior investimento, que não nos fará gastar um centavo sequer em academias nem em clínicas de estéticas.

Não estou afirmando que as pessoas declaradamente belas em sua aparência física pela sociedade sejam, necessariamente, terríveis em termos de caráter. Nem que as menos vistas e cobiçadas tenham um coração irrepreensível. Muito menos afirmo que ninguém deva deixar de cuidar também da aparência física.

Quero chamar atenção de duas passagens da Bíblia que tratam desse assunto. A primeira está em Provérbios, capítulo 31, versículo 30: “Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao SENHOR, essa, sim, será louvada”. Os filhos de DEUS são lindos porque se parecem com o caráter DELE. A beleza física e a formosura são enganosas e passageiras porque nos levam a ficar presos em algo muito momentâneo. DEUS nos chama atenção para a “mulher que O teme”. O temor é fruto de um caráter voltado à obediência à Palavra e à autoridade terrena que ELE constituiu. Você já experimentou viver uma vida de total obediência a DEUS em Sua Palavra? A honra e o louvor provêm daí.

Lembro-me de certa vez em que cuidei de uma mulher aparentemente muito bonita, de chamar atenção da sociedade. Dizia-se “mulher de DEUS”, mas era rixosa, independente demais, nariz empinado, arrogante, autoritária. A começar do marido, as demais pessoas também começaram a se afastar dela. E tudo começou a ruir em sua vida. Até que nos conhecemos e ela concordou em viver uma vida de plena obediência. No início deu um trabalho enorme. Aos poucos, ela foi se encaixando. O temperamento mudou, a forma de tratar as pessoas, a maneira de conversar com o marido. A mansidão passou a fazer do seu caráter e aquela extrema independência desapareceu. Logo, ela fez retratar na alma aquilo que DEUS quer que sejamos. Essa mulher passou a colecionar uma bênção atrás da outra. Não que ela tenha se tornado “feia” aparentemente, mas que a beleza dela passou a ser algo despercebido pelas pessoas face ao perfume que ela exalava de dentro.

Devemos atrair as pessoas por aquilo que cultivamos interiormente. Que bom seria se a beleza física passasse despercebida todas às vezes que fizéssemos presentes.

A outra passagem nos reporta para a história do sucessor de Saul. O profeta Samuel havia recebido a missão de escolher o novo rei do povo de Israel. E ele viria da casa de Jessé. Ao ser lhe apresentado os filhos, eis que Samuel fixou os olhos para a beleza de Eliabe e afirmou entusiasmado: “Certamente está perante o SENHOR o seu ungido” (1 Samuel 16:6). Mas o SENHOR, na hora H, refreou as intenções do profeta: “Não atentes para a sua aparência, nem para a grandeza da sua estatura, porque o tenho rejeitado; porque o SENHOR não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o SENHOR olha para o coração” (versículo 7).

Quantas mulheres e homens solteiros estão a escolher o (a) namorado (a) por conta de critérios tão mesquinhos? Porque ele (ou ela) é bonito de se ver, chama atenção da sociedade; ou mesmo porque tem um padrão de vida elevado. E a todos, DEUS tem rejeitado. São estes mesmos que, depois de casados, passam a criticar a esposa ou o marido, que não possui a aparência de antes, que não está tão novo (a) mais; e vão em busca de outras pessoas no mundo.

Pessoas com esse perfil escolhem muito, vivem com muitos; e terminam sozinhas, porque um dia até a beleza delas irá desaparecer e elas também serão abandonadas. Pior: abandonadas e doentes, sem uma família para cuidar.

Ensine a seu filho e a sua filha, desde cedo, a aprenderem a escolher corretamente. Mostre a eles onde estão escondidos os verdadeiros valores: no caráter. DEUS OLHA PARA O CORAÇÃO!!

Dessa forma, quem sabe, teremos menos famílias destruídas; menos casamentos frustrados; menos pessoas infelizes e amarguradas. Teremos mais idosos e idosas amando-se no amor puro, naquele que vem de dentro, depois de uma longa história de muitas lutas e privações. Aprendamos a olhar com os olhos de DEUS para fazermos as escolhas corretas e sermos abençoados.

No Amor de DEUS,


FERNANDO CÉSAR – Escritor, autor dos livros “Não Mude de religião: mude de vida!”, “Pódio da Graça”; “Antes que a Luz do Sol escureça” e da coleção “Destrua o divórcio antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua o adultério antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua a insubmissão antes que ela destrua seu casamento”. Também é pastor e líder do Ministério Restaurando Famílias para Cristo.

A grande diferença

Estive pensando em situações que são muito parecidas, mas não são iguais. Guilherme e Henrique nasceram no mesmo dia, na mesma hora, são gêmeos, mas não são iguais. Falar de Guilherme não significa estar falando de Henrique.

É como ir a algum templo religioso. Isso não significa que essa pessoa é templo e morada do Espírito Santo. São situações que podem parecer iguais, mas são completamente diferentes.

Por exemplo: afirmar NÃO DESISTA DO SEU CÔNJUGE não é a mesma coisa que dizer O SEU CASAMENTO SERÁ RESTAURADO. A primeira frase tem respaldo bíblico; a segunda pode não ter. Afirmar, com 100% de certeza, que o casamento de alguém será restaurado, sem que DEUS tivesse dado essa garantia, é uma forma de ludibriar o coração alheio. É muito diferente de exortar alguém dizendo: TENHA FÉ! DEUS É PODEROSO PARA RESTAURAR O SEU CASAMENTO, SEGUNDO A VONTADE DELE.

DEUS pode querer restaurar um casamento, como também ELE poderá ter outra resposta acerca do relacionamento lícito de duas pessoas de sexo diferente. “A vontade de Deus é boa, perfeita e agradável” (Romanos 12:2) e nem sempre ela vai estar em concomitância com a nossa vontade. O importante é que não podemos abrir mão dela. Mas, para se chegar à vontade de DEUS em determinadas situações da vida, é preciso, antes, esperar.

Só digo a alguém que o casamento dessa pessoa será restaurado, se o SENHOR falar comigo de forma clara e inconfundível, assim como ELE já fez em relação a muitas pessoas que estavam e estão debaixo do meu cuidado. Mas se o Espírito Santo até a presente data se manteve em silêncio, eu também me manterei.

É muito perigoso você afirmar algo que DEUS disse sem ELE ter dito; ou usar de estratégias de marketing apenas para atrair multidão, massagear o EGO das pessoas, agradar o próprio e vil interesse, com versículos descontextualizados que não dizem nada da situação em destaque. Trabalhar para o REINO sem sabedoria e responsabilidade é ação de tolo.

Quando o SENHOR me deu o Ministério de restauração familiar pouco se dava importância a esse tema dentro dos templos. Eu era quase como um “patinho feio”, desgarrado; um louco que anunciava uma doutrina até então desconhecida dos líderes religiosos. É de considerar que a FAMÍLIA sempre foi usada como pano de fundo para atrair seguidores, membros; especialmente nessa época em que essa instituição se apresenta tão fragilizada. Mas tratar de restauração sempre foi um obstáculo intransponível no seio das denominações. Pois o conselho mais fácil nos casos em que o cônjuge abandonou a família por causa do adultério sempre esteve muito afiado na língua de quase todas as lideranças: “Deus tem o melhor para a sua vida. Deixe esse homem (ou essa mulher) para lá e busque um novo relacionamento com outra pessoa; afinal você ainda é jovem e bonito (a)”.

Os verdadeiros cristãos, os escolhidos do SENHOR, foram importunados pelo Espírito Santo para que conhecessem, acreditassem e vivessem a verdade do casamento dissolúvel apenas em caso de viuvez. Nosso Ministério foi e é apenas um instrumento da consolidação dessa Verdade na vida dos escolhidos de DEUS. As histórias sempre muito parecidas. Fulano de Tal estava desesperado em casa, depois de sofrer um repúdio por parte da sua esposa; e, humilhado, orou a DEUS para que lhe mostrasse uma solução. Em seguida, foi pesquisar na Internet e logo encontrou o Ministério Restaurando Famílias para Cristo.

Mas nem por isso usei de artifícios mentirosos para sustentar as pessoas sobre uma ilusão. SE FOR DA VONTADE DE DEUS, ELE HÁ DE RESTAURAR A SUA FAMÍLIA. Essa é a frase certa. Você deve crer nela sabendo que haverá casos em que DEUS não quererá restaurar. Conheço esposas, mulheres cristãs, que morreram espiritualmente por conta de uma convivência maldita, maligna, com homens que serviam a satanás com prazer, mesmo diante de um relacionamento lícito aos olhos do SENHOR. A licitude para DEUS não pode ser maior que o aprisionamento espiritual maligno. Assim como a ilicitude não pode conduzir ninguém a Sua presença. Mulheres são pisoteadas e humilhadas, no aspecto físico e moral, como lixo, por esses serviçais do inferno; e isso não é agradável ao SENHOR. Por isso, o melhor mesmo é ESPERAR PELO TEMPO DO SENHOR, posicionar-se corretamente; submeter-se a uma autoridade ungida e capacitada pelo SENHOR para que todas as forças sejam renovadas no deserto e para que haja transformação, mudança, aprendizado, maturidade.

Boa é a salvação estando sozinho (a) do que o inferno ao lado do cônjuge. Boa é paz e a presença de DEUS na vida, ainda que sem o cônjuge, do que estar com ele, ter o sexo quando ele quiser e ser submetida a situações terríveis. Porém, melhor do que todas essas coisas é a salvação da família toda (maridos, esposas e filhos) e é nesse conselho onde a fé tem que estar firmada.

Não há tempo mais de brincarmos de sermos cristão como se o cristianismo fosse uma brincadeira, uma distração. Acabou-se o tempo do Evangelho da “mãozinha na cabeça” e do “melzinho na chupeta”. Evangelho é renúncia total; é sofrimento por amor ao REINO; é cruz; é obediência. Evangelho é esforçar-se por viver a sã doutrina e procurar mortificar a carne todos os dias. A Graça de DEUS nos é suficiente quando estamos em Sua presença. Ela não nos desnaturaliza nem nos isenta de nossas responsabilidades humanas em relação às coisas do Reino. Creio em um DEUS que ressuscita morto, mesmo depois de quatro dias. Mas creio igualmente em um DEUS que manda o homem retirar a pedra e ordena, por exemplo: “Não adulterarás!”.

Acabou-se o tempo do Evangelho mágico. O joio já cresceu em nosso meio. Agora haverá a divisão e cada qual se apropriará de um canto diferente. Os hereges estão aí contaminando a alma de uma multidão, enganando-a, aprisionando-a; construindo templos e se sentindo maior do que Salomão. Só conheço um que foi e é infinitamente maior que Salomão: JESUS CRISTO DO CÉU, ETERNO (porque ELE deixou de ser de Nazaré faz tempo).

DEUS pode te tornar rico, milionário? DEUS pode abrir portas de emprego para você? DEUS pode te curar de uma doença terrível? DEUS pode libertar o seu cônjuge e restaurar o seu casamento? DEUS pode ressuscitar morto nos dias de hoje? Para todas essas perguntas, só há uma resposta: CLARO QUE ELE PODE. Se ELE vai fazer, melhor não entrarmos por esse caminho. Eu não sou nada nem ninguém para dar ordens a DEUS ou desvendar a plenitude de Sua vontade. ELE é quem dá ordens a vida da igreja e manda que ela espere.

Viver na completa dependência DELE é pedir: “Cumpre em mim a tua vontade”. Porque em relação ao casamento, por exemplo, é bíblico que DEUS não quer que os Seus filhos casados vivam em opressão por causa de um jugo desigual; nem que eles desistam dos opressos e se casem outra vez com novas pessoas. A voz do SENHOR diz: ESPERE!

Nada é substituível pela Paz interior. Nada é mais gratificante que estar com DEUS, sofrendo por amor a Sua Palavra. Nada é mais satisfatório que sermos a igreja do SENHOR e atender aos Seus conselhos.

Dessa forma, não pergunte aos irmãos da fé como estão seus maridos ou esposas que os (as) abandonaram (essa pergunta é mera curiosidade ou fofoca), mas em saber como esse irmão está caminhando com JESUS. Como não se deve perguntar de qual igreja (denominação) ele pertence, mas se é igreja do SENHOR JESUS.

Há uma grande diferença nessas questões citadas; e ela faz toda a diferença na vida daqueles que creem e vivem corretamente. Afinal, aprendemos aqui que, embora Guilherme e Henrique sejam perfeitamente iguais em sua forma física, eles são completamente diferentes...

Que DEUS nos conduza a Sua glória!


FERNANDO CÉSAR – Escritor, autor dos livros “Não Mude de religião: mude de vida!”, “Pódio da Graça”; “Antes que a Luz do Sol escureça” e da coleção “Destrua o divórcio antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua o adultério antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua a insubmissão antes que ela destrua seu casamento”. Também é pastor e líder do Ministério Restaurando Famílias para Cristo.

Testemunho de casamento restaurado - EH

Tudo começou no dia 01 de Maio de 2014, quando para afrontar meu marido terreno fiz uma tatuagem pequena próximo a nuca que traduzindo significa "Mudando o que Deve ser Mudado", já que eu estava brava com ele, pois ele em seus dias de folga queria ficar em casa e descansar, já que ele trabalha de madrugada, e eu disse a ele que iria mudar, e que também começaria a dizer não a ele. Nós já vinhamos enfrentando uma crise desde Fevereiro quando o carro quebrou e eu tomei a frente, uma coisa que era pra ele fazer, eu paguei o guincho até em casa, eu queria que meu primo consertasse e até um comprador já estava arrumando. No Dia 04 de maio nos tivemos uma discussão feia, ele estava com muita raiva de mim, dizia que foi o pior erro que ele cometeu se relacionar comigo.

No começo eu não queria aceitar o fim do nosso relacionamento, passei a procura-lo, e implorar para que voltasse comigo mas isso só o deixava com mais raiva de mim e ele se afastava cada vez mais de mim. Passados alguns dias, eu comecei a ler um livro que fala muito sobre o poder da oração, foi quando comecei a orar com mais frequência, e comecei a devorar o livro, porém não estava confiando plenamente em Deus, havia dias em que a carne falava mais alto e o desespero batia.

Então um dia navegando na internet encontrei o livro “Como Deus Pode e Vai Restaurar Seu Casamento”, imediatamente baixei uma versão pdf em meu celular e comecei a ler, toda folga eu o lia. E , imediatamente comecei a colocar os princípios em pratica, comecei a jejuar e Deus começou a me mostrar aonde eu havia errado com meu amado. Eu o havia "difamado" para todos os meus amigos e amigas fazendo com que eles criassem uma visão negativa do meu amado, até que em um sábado estava lendo o Devocional e li um testemunho onde a minha situação era parecida com a da pessoa que estava dando o RL, e quando li que ela pediu perdão para todas as pessoas que ela difamara seu amado, senti uma necessidade em fazer o mesmo. Logo após, me ajoelhei e comecei a clamar a Deus por perdão e pedir a Ele que tocasse no coração do meu amado para que ele me perdoasse também. Após me derramar na presença do Senhor, pedi perdão pro meu amado pelo que havia feito e disse a ele que o Espirito Santo estava me mudando e me transformando em uma pessoa melhor, no começo ele duvidou, mas com o passar dos dias fui surpreendida com uma mensagem dele que dizia que eu estava me tornando uma pessoa melhor (Gloria a Deus por ele ter reconhecido, foi doloroso mas Louvo a Deus por essa prova que enfrentei para que Ele me moldasse em uma mulher sábia).

Durante a minha jornada de Restauração eu aprendi a dar Glória a Deus no meio das provas, das tribulações em tudo eu dava graças ao meu Amado Celestial. Cada vez que o inimigo tentava me fazer desistir do meu amado, eu lia bem alto versículos de agradecimento a Deus e cantava louvores para exaltar o nome Santo do Senhor. Eu coloquei em prática o principio ensinado pela Erin de fazer Dele, meu Marido Celestial e comecei a experimentar uma alegria que não consigo explicar, todos os dias eu acordava alegre e a esperança sempre surgia em cada amanhecer, eu dizia Senhor pode não ter sido hoje, mas o amanhã logo chegará.

Eu comecei a me fortalecer Espiritualmente, comecei a ler a bíblia e me prostrar cada dia mais aos pés do Senhor, e cada dia crescia em sua presença, e cada dia queria mais e mais do Senhor.

Um dos momentos mais difíceis que o Senhor me ajudou a enfrentar foi nosso aniversário.  Também, no começo era difícil estar no mesmo lugar que ele, pois estávamos envolvidos em um evento e tínhamos que trabalhar lado lado. Eu pensei em desistir do evento, e deixar que ele fizesse sozinho, mas aí o Senhor ja estava me transformando, então eu clamei a Ele, e ele me respondeu que eu não deveria fazer isso (Gloria a Deus que eu ouvi a Sua palavra), esse evento começou a nos aproximar, passamos a conversar mais e a nos ver mais para tomarmos decisões juntos referente ao evento, e através dessa situação o Senhor começou a trabalhar em nos dois.

O evento aconteceu no dia 21 de Junho, embora ainda estivéssemos separados, ele me deu um abraço e um beijo no rosto e me desejou boa sorte, e me disse que eu me sairia bem na abertura do evento. Nesse momento meu coração disparou, e eu imaginei que a nossa restauração aconteceria ali, com todos os nossos amigos, familiares e irmãos em Cristo. Porém não aconteceu, pois por um momento eu me esqueci que a nossa restauração deveria acontecer para honra e gloria do Nome Santo do Senhor, e não para minha Gloria.

No dia 08 de Julho eu estava lendo o Testemunho da Erin, aonde ela dizia que havia feito uma lista com os pontos positivos e negativos se a restauração dela acontecesse. Resolvi fazer a mesma lista. E até conversei com o Senhor e disse a Ele, por mais que amo meu marido terreno, estar sem ele ao meu lado tem me dado a oportunidade de estar mais na tua presença, a oportunidade de separar um tempo para estudar a tua palavra, e apos conversar com o Senhor eu orei e fui dormir.

Na manhã seguinte, dia 09 de Julho, por volta das 11:30 da manhã, recebi uma mensagem do meu amado de boa tarde, e ele havia trabalhado naquela noite, então respondi da seguinte maneira, mas já acordado? Esta sem sono? E ele me respondeu, estou pensando na vida, estou confuso! Então eu o questionei sobre a sua confusão, e ele me disse, você se tornou em uma pessoa melhor, a sua mudança está chamativa, não consigo seguir minha vida sem você, mas tenho medo de acontecer tudo aquilo de novo, de você voltar a ser a mesma de antes. Então disse a ele, que ele não deveria confiar em mim, mas confiar plenamente no Senhor e compartilhei o versículo de II Corintios que fiz: " Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é, as coisas velhas já passaram, eis que tudo se faz novo".

E terminei a mensagem dizendo que entendia o sentimento de confusão uma vez que o havia machucado demais, e disse o quanto eu o amava, e que aguardava o tempo de Deus para que todas as feridas fossem curadas para recomeçamos uma nova historia em nosso relacionamento caso ele estivesse disposto. No mesmo instante ele me disse para nos vermos e para conversarmos. Naquele momento enquanto eu estava indo de encontro com ele, eu senti que a nossa restauração estava prestes a acontecer e disse: É hoje Senhor!

Eu apenas tive a oportunidade de ler o livro “Como Deus Pode e Vai Restaurar seu Casamento”, e aconselho a todas lerem, assim como ler todos os dias os devocionais e fazer as lições. Nós ficamos pouco mais de 2 meses separados, mas senti em meu coração que devo continuar lendo os devocionais e voltar para o primeiro curso da jornada de restauração, já que teremos de lutar diariamente contra as armadilhas do inimigo e nada melhor que estar com a armadura do Senhor.

Quero dizer a todas que estão passando pela mesma situação que passei NÃO DESISTAM! Confiem no Senhor de todo o seu coração. Todas as vezes que o inimigo tentar te desanimar, feche os olhos e comece a agradecer a Deus pela sua restauração. Procure na bíblia versículos que falem de agradecimento, leia-os em voz alta, e cantem louvores ao Senhor. Quando o inimigo tentava me desanimar, eu cantava: "te louvarei não importam as circunstâncias, adorarei somente a ti Jesus" e; "eu não vou parar, vou continuar, se com Cristo estou podem dizer o que for,

Não Vou Desistir".

Não quero ser Homossexual

"Sou homossexual desde pequeno, na escola sempre fui excluído pelos meninos e tinha amizade mais com meninas. Cresci me escondendo das pessoas com medo dessa rejeição e até hoje quando me perguntam, tenho vergonha de dizer. Deus irá me condenar por algo que não escolhi ser? Consigo deixar o desejo da carne de lado e viver com Cristo? Será que um dia consigo casar? Alguma mulher se casaria comigo?"

R: Primeiramente, gostaria de parabenizá-lo pela iniciativa de perguntar o que tanta gente não tem coragem. Isso é muito importante! Saiba que você pode sim, viver como homem, sendo homem. Você pode ter uma família com uma esposa que o respeite e te honre, além de ser salvo e viver a eternidade com Jesus.

Conheço homens que foram homossexuais por muito ou pouco tempo (foram, inclusive, garotos de programa), e que hoje são heterossexuais, pais de família. Esses homens perceberam, em determinado tempo, que não eram homossexuais porque simplesmente nasceram assim, e sim porque, por um motivo ou outro, passaram a ter desejos por pessoas do mesmo sexo e serem atraídos por coisas do ‘universo homossexual’.

Se existe em seu coração o desejo de constituir uma família, tenha a certeza de que Deus tem reservado coisas maravilhosas para você, inclusive uma esposa que te dará todo amor, que te olhará como homem, e filhos que terão orgulho de você e seguirão as atitudes que Deus vai te ensinar a ter.

"Quem encontra uma esposa encontra algo excelente, recebeu uma bênção do Senhor" (Provérbios 18:22) / "Os filhos são herança do Senhor, uma recompensa que Ele dá" (Salmos 127:3).

Outra coisa muito importante que você deve fazer é buscar apoio com um amigo cristão que seja referência para você, moral e espiritual. Nos momentos de dúvidas, incertezas e desânimo, esse amigo pode ser um instrumento de Deus para te trazer uma palavra, abrindo espaço para o Espírito Santo agir. A Bíblia diz que quando nos convertemos a Cristo, recebemos também a mente de Cristo. Então não tenha medo ou preocupação se os seus gestos e vocabulário demostram sua homossexualidade. Jesus nos faz novas criaturas, nos dá uma nova vida e o passado não pode nos condenar.

"É melhor ter companhia do que estar sozinho, porque maior é a recompensa do trabalho de duas pessoas. Se um cair, o amigo pode ajudá-lo a levantar-se. Mas pobre do homem que cai e não tem quem o ajude a levantar-se!" (Eclesiastes 4:9,10). 

Outro ponto importante diz respeito a essa rejeição que você sofre desde a infância. Saiba que você não está sozinho e que esse vazio pode ser preenchido com o amor de Deus. Eu e você merecíamos a condenação por causa do nosso pecado, mas Deus nos amou de tal maneira que enviou o Seu filho para morrer em nosso lugar e nos dar a oportunidade de nos reconciliarmos com Ele:

"Dificilmente haverá alguém que morra por um justo; pelo homem bom talvez alguém tenha coragem de morrer. Mas Deus demonstra seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores" (Romanos 5:7,8)

Caso você se sinta culpado por causa de algum pensamento ou atitude promíscuo, simplesmente busque a Deus em oração e confesse o seu erro a Ele:

"Quando você orar, vá para seu quarto, feche a porta e ore a seu Pai, que está no secreto. Então seu Pai, que vê no secreto, o recompensará" (Mateus 6:6). 

"Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça. Se afirmarmos que não temos cometido pecado, fazemos de Deus um mentiroso, e a sua palavra não está em nós" (1 João 1:9,10).

Ainda que você se enxergue sujo, saiba que todos nós somos sujos por causa do pecado e dependemos da misericórdia e graça do Senhor para nos tornarmos limpos. Você não é pior do que ninguém aos olhos do Pai. Entenda que somente Jesus é o seu libertador e salvador, pois Ele te comprou com preço de cruz, lavando o seu pecado com o próprio sangue! Acredite: você é muito amado. E por causa disso você pode ter uma vida vitoriosa, em santidade, pois Ele é quem te capacita. 

A Bíblia fala sobre a homossexualidade:
"Trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram a coisas e seres criados, em lugar do Criador, que é bendito para sempre. Amém. Por causa disso Deus os entregou a paixões vergonhosas. Até suas mulheres trocaram suas relações sexuais naturais por outras, contrárias à natureza. Da mesma forma, os homens também abandonaram as relações naturais com as mulheres e se inflamaram de paixão uns pelos outros. Começaram a cometer atos indecentes, homens com homens, e receberam em si mesmos o castigo merecido pela sua perversão" (Romanos 1:25-27). 
Como vimos, a homossexualidade é condenada pela Bíblia, pois não é o plano de Deus: "...o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne" (Gênesis 2:24) A homossexualidade impede a entrada no Reino de Deus, assim como outros pecados (1 Coríntios 6:9,10), porém, você não precisa continuar escravo de nenhum desejo pecaminoso. Todos nós somos tentados em diferentes áreas, afinal, isso faz parte da natureza humana. Contudo, devemos combater o pecado dia após dia, independentemente de nossa orientação sexual, para que não sejamos vítimas de suas consequências desastrosas.

"Quem semeia para a sua carne, da carne colherá destruição; mas quem semeia para o Espírito, do Espírito colherá a vida eterna" (Gálatas 6:8).

Quando você entrega sua vida a Cristo e se arrepende de seus pecados, o Espírito Santo passa a morar dentro de você, e é Ele quem te ajudará a vencer o pecado. Viver em santidade só é possível com a ajuda do Espírito Santo (1 João 3:9). Por isso, se você ainda não tem certeza da sua salvação, leia: O plano de Deus para sua salvação

Por fim... Talvez você tenha dúvidas se o fato de se considerar homossexual desde a infância impedirá que você, algum dia, sinta desejo por uma mulher e desfrute de uma relação prazerosa com o sexo oposto. A resposta é não, não impedirá! Foi Deus quem criou o sexo dentro do casamento entre homem e mulher. A partir do momento que você for restaurado pelo Espírito Santo, tudo mudará: sua mente e seus desejos... Além disso, a esposa que Deus preparará para você virá com um coração aberto para ser a sua melhor amiga, além de mulher. Ela não julgará o seu passado, mas construirá ao seu lado um futuro abençoado. Então não desanime! Escolha deixar o passado para trás a partir de hoje. Deus te abençoe!

"Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo" (2 Coríntios 5:17).

FONTE - PASTOR  ANTÔNIO JÚNIOR

O plano de DEUS para sua salvação

Muitas pessoas sabem sobre Deus, mas poucos tiveram um encontro com Ele a ponto de mudar suas vidas. Para ter um relacionamento pessoal com o Deus vivo, é preciso entender e aceitar as 5 verdades que explicarei abaixo. Talvez você já as entendeu quando tomou sua decisão um dia, mas caso você tenha alguma dúvida ou se ainda não aceitou Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador, vou esclarecer isso para você. Primeiro, veja se você é capaz de responder essa pergunta dizendo 'SIM'. - "Se você morresse hoje, você sabe onde passará a eternidade?" Se sim, no que você está se baseando para dizer 'Sim'? Se a sua resposta foi 'não', ou se você não tem certeza... hoje é o seu dia de saber!


1) DEUS TE AMA E TEM UM PLANO MARAVILHOSO PARA SUA VIDA


Ao longo de toda a Bíblia existem muitas passagens que falam sobre o quanto Deus nos ama. O maior exemplo disso foi quando Ele enviou Seu Filho ao mundo para morrer por nossos pecados. Mas ainda hoje, Ele cuida de você e tudo o que Ele mais quer é ter um relacionamento contigo.


2) O HOMEM É PECADOR E ESTÁ SEPARADO DE DEUS


É muito comum hoje em dia as pessoas acreditarem que existem vários caminhos para se chegar a Deus. Há muitas religiões e em cada uma delas há pessoas boas, honestas e sinceras. Por isso, pode parecer estranho pensar que essas pessoas boas ou religiões têm um “bloqueio” no céu, porque elas fizeram e fazem muitas coisas maravilhosas. Mas a verdade é que todos nós já estragamos tudo... todos nós cometemos pecados, e somente um pecado já é suficiente para nos separar de Deus, porque Ele é perfeito. Veja:

"Pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus." (Romanos 3:23)
"Porque o salário do pecado é a morte." (Romanos 6:23)

Como você pode imaginar, isso cria um enorme problema, pois através do pecado nós estamos separados de Deus... e por isso não podemos chegar a Deus por conta própria, pois aonde Ele está, não pode haver pecado. Mas quando tudo parecia perdido, a verdade nº 3 resolve o nosso problema:


3) JESUS CRISTO É A ÚNICA PROVISÃO DE DEUS PARA O NOSSO PECADO


Agora eu sei que tudo parece simples, mas ainda precisamos entender que nós não somos Deus. Foi ELE quem escolheu oferecer um "sacrifício" pelos nossos pecados: Seu próprio filho Jesus.

Deus demonstra seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores.” (Romanos 5:8)

Agora aqui está a parte maravilhosa. Foi a morte de Jesus que pagou pelos seus pecados e os meus, todos os que cometemos um dia e também por aqueles que iremos cometer no futuro. A Bíblia diz que era preciso ter um sacrifício de sangue e Jesus voluntariamente deu a sua vida por você você e por mim. Mas o melhor é saber que três dias depois de sua morte, ele ressuscitou dos mortos. Este não é apenas um fato religioso, é um fato histórico. E como ele ressuscitou dos mortos, ele agora está assentado à direita de Deus, intercedendo (levando nossas orações e falando com Deus em nosso nome).
 
Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras, foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras, e apareceu a Pedro e depois aos doze (discípulos). Depois disso apareceu a mais de quinhentos irmãos de uma só vez...” (1 Coríntios 15:3-6)


4) JESUS CRISTO É O ÚNICO CAMINHO PARA DEUS


Essa verdade é a mais difícil das pessoas acreditarem. Não há outros "caminhos" que levam a Deus ou outros meios de ganharmos a salvação. Embora esteja na mente de muitas pessoas o fato de que “muitos caminhos levam a Deus", essa é uma mentira que mantém as pessoas longe da verdade de Jesus Cristo.

Respondeu Jesus: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim.” (João 14:6)

Por isso que é tão importante que você entenda que simplesmente ser uma boa pessoa, acreditar em Deus e fazer o seu melhor para serví-Lo, não é suficiente para ser um ‘cristão’. É impossível ser um seguidor de Deus sem aceitar o Filho dEle. Jesus é o único caminho e a única forma de salvação para a humanidade. Foi Jesus quem morreu na cruz para pagar a dívida por nossos pecados, e é Ele que devemos aceitar e começar um relacionamento. Cristão significa "seguidores de Cristo".


5) VOCÊ PRECISA RECEBER JESUS CRISTO COMO ÚNICO SALVADOR E SENHOR


"A todos os que O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome." (João 1:12)
"Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus, não por obras, para que ninguém se glorie." (Efésios 2:8-9)

Devemos receber individualmente Jesus como Salvador e Senhor, para morarmos no céu com Ele.

Abaixo está uma simples oração de salvação. Se você já fez esta oração e tem certeza de sua salvação, então apenas ore por aqueles que podem estar fazendo esta oração pela primeira vez. Mas se este é o seu momento de salvação, então se ajoelhe exatamente onde você está, e faça esta oração neste momento ao Senhor. Ele está esperando ouvir da sua boca estas palavras. (Apenas ore se você realmente está decidido a seguir a Cristo):

"Querido Jesus, eu preciso do Senhor na minha vida. Eu reconheço que pequei, e eu venho a Ti agora confessá-los e pedir o Seu perdão. Obrigado por morrer na cruz por meus pecados. Eu creio que Tu és o Filho de Deus e que ressuscitou dos mortos e está vivo hoje. Abro a porta do meu coração e te recebo como meu Salvador e Senhor. Obrigado por perdoar meus pecados e me dar a vida eterna. Por favor, tome o controle da minha vida daqui para a frente e faça de mim o tipo de pessoa que o Senhor quer que eu seja. Em nome de Jesus eu oro, amém."

FONTE - PASTOR  ANTÔNIO JÚNIOR

Se DEUS nos escolhe, resta-nos alguma escolha?

Deus nos escolhe ou nós escolhemos a Deus?
Esta pergunta vem sido discutida por séculos, porém devemos entender que a princípio todos estávamos mortos espiritualmente, incapazes de atender ao chamado de Deus e só Ele pode nos dar o dom da vida. Efésios 2:1,2 diz: "Vocês estavam mortos em suas transgressões e pecados, nos quais costumavam viver, quando seguiam a presente ordem deste mundo e o príncipe do poder do ar, o espírito que agora está atuando nos que vivem na desobediência."

Quando o pecado entrou na raça humana, deixou todos incapacitados por isso não podemos ir até Deus sem a sua misericórdia. Não é a consciência de sermos pecadores que nos faz voltar para Deus. Mas Deus, que em sua misericórdia, desperta essa consciência em nós. 

Alguns acreditam que a nossa salvação por meio de Cristo é totalmente limitada à escolha soberana de Deus. Os únicos que crêem em Cristo, segundo eles, são os que Deus destinou à salvação antes do início do mundo. Veja: "Todavia, Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou, deu-nos vida juntamente com Cristo, quando ainda estávamos mortos em transgressões - pela graça vocês são salvos." (Efésios 2:4,5)

Quem crê assim, enfatiza que não existe uma pessoa sequer que busque a Deus por si próprio. Veja: "Como está escrito: “Não há nenhum justo, nem um sequer, não há ninguém que entenda, ninguém que busque a Deus." (Romanos 3:10,11). Porém, Deus em sua misericórdia escolheu salvar alguns. - “Pois ele diz a Moisés: “Terei misericórdia de quem eu quiser ter misericórdia e terei compaixão de quem eu quiser ter compaixão”. (Romanos 9:15) 

Ir a Deus não depende de quem quer ou de quem não quer, mas de Deus usar a sua misericórdia - “Como está escrito: “Amei Jacó, mas rejeitei Esaú”. E então, que diremos? Acaso Deus é injusto? De maneira nenhuma! Pois ele diz a Moisés: “Terei misericórdia de quem eu quiser ter misericórdia e terei compaixão de quem eu quiser ter compaixão”. Portanto, isso não depende do desejo ou do esforço humano, mas da misericórdia de Deus.” (Romanos 9:13-16) 

Outros entendem que Deus dá a cada pessoa a capacidade de escolher - a sua graça e misericórdia estendem-se a todos. Essas pessoas dizem que cada um tem de atender ao chamado, decidindo se quer se arrepender do pecado e voltar para Deus. Elas são da opinião que Deus honra as escolhas das pessoas, seja recusar, seja aceitar o convite de Cristo. Veja: "Jerusalém, Jerusalém, você, que mata os profetas e apedreja os que são enviados a você! Quantas vezes eu quis reunir os seus filhos, como a galinha reúne os seus pintinhos debaixo das suas asas, mas vocês não quiseram!" (Lucas 13:34) 

E você? Em que acredita?

FONTE - PASTOR  ANTÔNIO JÚNIOR

A importância do deserto em nossas vidas

Versículo para memorizar: “Ele está gritando no deserto: Preparem o caminho para o Senhor passar! Abram estradas retas para ele.” (Marcos 1:3) 

Textos complementares: Deuteronômio 8 / Jeremias 29:13; 33:3 


INTRODUÇÃO


O maior de todos os profetas, João Batista, escolheu desenvolver o seu ministério no deserto. Por que? Creio que a escolha foi baseada numa direção divina, que tinha como objetivo fazer com que, tanto João Batista quanto o próprio povo, tivessem experiências significativas com Deus. Sobre as bênçãos decorrentes do deserto é que queremos falar nesta ocasião. 


1) DESERTO - UM LUGAR PARA OUVIR DEUS


O deserto, para João Batista, representava um lugar especial onde ele teria condições de se afastar das distrações desta vida, a fim de poder ouvir as ordens de Deus. Todos nós vivemos num mundo agitado, onde nos vemos, muitas vezes, obrigados a correr para cima e para baixo tentando cumprir nossas agendas diárias; mas nem sempre nos damos conta de que tal agitação pode nos distanciar daquele lugar de comunhão, no qual podemos ouvir a suave voz de Deus. Nessas horas é que percebemos o quanto necessitamos tomar a decisão de procurar o “deserto nosso de cada dia”, para que ali Ele fale de maneira que possamos ouví-Lo, sem as interferências que, naturalmente, nos rodeiam todos os dias. 

O nosso deserto pode significar um quarto fechado para oração, um tempo recolhido a sós com Deus, ou apenas um lugar e um tempo, quando estar em Sua presença é a coisa mais importante para nós. Se deixarmos de ouvir a Deus em nosso caminhar diário, correremos o risco de perder a direção, a visão e o propósito maior para a nossa existência. Por isso, precisamos ouví-Lo. 


2) DESERTO - UM LUGAR DE RENÚNCIA


O texto bíblico mostra que as multidões partiam para o deserto a fim de se encontrar com João Batista e ouvir sua mensagem. Com isso, cada um estava deixando de lado sua casa, seu compromisso, seu conforto, seu trabalho. Tal atitude representava renúncia e despojamento da velha estrutura de vida rotineira, em busca de algo que eles consideravam ser importante para suas vidas. Cada um estava demonstrando esse comportamento, a disposição de renunciar algo de valor para obter o que ainda era precioso. 

Essa experiência nos ensina a não esperar a bênção "em domicílio", mas a valorizá-la, a ponto de seguir em sua busca. Os que não estavam dispostos a deixar tudo e partir para o deserto, também não estariam dispostos a deixar posturas erradas para assumir um compromisso com Deus. Não queremos, com isso, dizer que precisamos “comprar” a bênção de Deus, anulando, assim, a graça que há em Cristo Jesus. É claro que todas as bênçãos nos são concedidas pela graça, e não pelo esforço humano. No entanto, nossas atitudes externas demonstram a intensidade do desejo do nosso coração. 


3) DESERTO - UM LUGAR DESPROVIDO DE RELIGIOSIDADE


Cremos que ao pregar o Evangelho de Deus no deserto, João Batista estava promovendo a ruptura com a hipocrisia dos líderes religiosos de sua época, que davam mais valor às suas vestimentas sacerdotais e objetos sagrados, do que fazer verdadeiramente a vontade de Deus. Muitos queriam impressionar o povo com uma aparência de piedade, mas seus corações estavam vazios de Deus e da sua unção. João Batista chocava a multidão, porque suas vestes não eram semelhantes às de um religioso. Sua comida e sua habitação eram totalmente diferentes do convencional. Mas a sua vida expressava tremendo poder e unção do Alto. 

Com tudo isso, cremos que Deus estava querendo incutir na mente das pessoas, que elas deveriam estar preparadas para receber algo diferente do habitual. O objetivo era o de ajudar o povo a romper com aquela religiosidade infrutífera, para que pudesse receber de Deus a verdadeira mensagem, totalmente desprovida de religiosidade, e que faria toda a diferença em suas vidas. 


CONCLUSÃO


O deserto no ministério de João Batista foi um lugar especial onde ele e o povo puderam separar-se para ouvir a voz de Deus de forma mais clara. Para receberem a mensagem do Altíssimo, as pessoas tiveram de deixar o conforto do lar, demonstrando interesse de renunciar coisas importantes por algo de maior valor: a Palavra de Deus. João Batista vestia-se de forma diferente dos religiosos da época, passando sempre a mensagem de que a verdadeira transformação procede de dentro para fora, e não o contrário, por meio de uma verdadeira atitude de arrependimento.

 
APLICAÇÃO


Separe-se agora um pouco a fim de ouvir a voz de Deus em seu coração. Mesmo durante a semana, escolha lugares de menor movimento para que ali você possa ter condições de discernir em seu coração, o que Ele tem para sua vida. (Pr. Wilson Maia)

FONTE - PASTOR  ANTÔNIO JÚNIOR

Ame o homem... Confie em Deus

"Muitos creram no seu nome; mas o próprio Jesus não se confiava a eles porque ele mesmo sabia o que era a natureza humana." João 2.23-25
Jesus amou as pessoas, especialmente seus discípulos. Ele tinha um grande relacionamentocom eles, viajava e comia com eles, bem como os ensinava. Mas Ele não colocava sua confiança neles, porque conhecia a natureza humana. Isso não significa que Ele não confiava em seu relacionamento com eles; mas simplesmente Ele não se abria a eles da mesma forma que Ele confiava e se abria a seu Pai celestial. É assim que você deve ser. Muitas vezes as pessoas formam relacionamentos íntimos e dependem demais dos seus amigos, em vez de buscar a Deus.

Mas você não precisa fazer isso. Mesmo nos melhores relacionamentos, as pessoas o desapontarão porque as pessoas não são perfeitas. É certo amar e respeitar os outros, mas lembre-se sempre de que o único que nunca falhará com você é Deus. Não permita que a dor lhe tire a alegriaSabemos que todas as coisas cooperam (ajustam-se num plano) para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. ROMANOS 8.28A vida é cheia de situações injustas que podem criar um grande sofrimento para você, especialmente em seus relacionamentos com outras pessoas. Você experimentará algum sofrimento e dor, mas não tem de permitir que essas experiências destruam sua alegria. Você nem sempre pode escolher o que acontece em sua vida, mas pode escolher como vai reagir a isso.

Se você foi ferido, Deus pode tomar as experiências ruins e fazê-las trabalhar para seu bem. Crer nessa verdade é uma decisão positiva que pode ajudar a interromper sua dor.Escolha aprender por meio das experiências dolorosas, em vez de desperdiçar seu sofrimento ao permitir que isso o torne amargo. Uma forma de fazer isso é vencer o mal com o bem ao assegurar-se de que você não está ferido com os outros. É um bom lugar para começar! Espere uma reviravoltaVós, na verdade, intentastes o mal contra mim; porém Deus o tornou em bem, para fazer, como vedes agora, que se conserve muita gente em vida. GÊNESIS 50.20Esse versículo é parte da história sobre como Deus promoveu José a um lugar de autoridadeapós seus irmãos terem-no vendido como escravo. É uma grande demonstração do desejo e da habilidade de Deus para vencer o mal com o bem.

Os irmãos de José pretendiam destruí-lo, mas José tornou-se o segundo no comando do Egito e foi usado por Deus para salvar não somente sua própria família, mas muitos milhares de pessoas. Algumas vezes você se esquece como Deus é grande. Seja o que for que tenha lhe acontecido no passado, você deve compreender que isso não tem de ditar seu futuro. Coloque sua fé e sua confiança em Deus e observecomo Ele transforma as coisas para o seu bem. Alegre- se! Deus tem um bom plano para sua vida. Erga seus olhosPorém tu, Senhor, és o meu escudo, és a minha glória e o que exaltas a minha cabeça.SALMOS 3.3Quando você se sente triste, tudo ao ser redor parece estar desmoronando, e você começa aperder sua força. Sua mente, suas mãos e seu coração começam a definhar. Mesmo seus olhos e sua voz perdem a força. Você se sente abatido porque está olhando para seus problemas, e isso somente faz você se sentir pior. Algumas vezes você é tentado a dizer: “De que adianta continuar”? e pensa apenas em desistir. Mas Deus está esperando que você levante os olhos e olhe para Ele, buscando a ajuda dEle.

A vida sempre apresenta situações desanimadoras, masvocê não tem de deixar que isso o desanime. A despeito das circunstâncias desagradáveis da vida, você pode ser confiante no Senhor, Aquele que levanta sua cabeça. Erga seus olhos, suas mãos, sua cabeça e seu coração e não olhe para seus problemas, mas para Aquele que prometeu levá-lo até a vitória. Sorria... Isso animará seu espírito.

Não desista dos seus sonhos!


Fonte - Devocionais, de Joyce Meyer

Uma reflexão para Eliane

“Ah, meu pastor, hoje me encontro muito desanimada. Os problemas aqui na empresa só aumentam; soube que haverá demissões, tudo está muito difícil. Mas é como o senhor mesmo diz: DEUS está no controle da minha vida”. Foram com essas palavras que iniciei hoje meu contato diário com a minha amada irmã em CRISTO e ovelha do SENHOR JESUS, Eliane. O seu nome quer dizer: “O sol que resplandece”.

Todos os seres vivos precisam do sol para sobreviver. Os vegetais, por exemplo, só conseguem realizar a fotossíntese com a presença da luz. Sol é luz, luz é vida. JESUS é o sol e a luz que alumia permanentemente na vida dos seus discípulos. Mas antes de o sol nascer, há uma tenebrosa escuridão que reina durante toda a noite e madrugada. Depois, vem o sol imponente, majestoso, reinando sobre tudo. Há uma Luz, chamada JESUS, que brilha constantemente em nosso ser, mesmo quando enfrentamos grandes tempestades.

Eliane é daquelas fiéis. Está congregando comigo em Brasília desde a minha chegada na Capital Federal. Tem crescido na doutrina e no conhecimento. Entretanto, há um tempo, vem enfrentando dias muito conturbados, aqueles dias em que pensamos que a luz fugiu de nós, que estamos sozinhos e desamparados. Apenas pensamos e de maneira errada: “(...) E eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém” (Mateus 28:28). Os séculos ainda não se consumaram por inteiro, e eis que ELE continua conosco.

Essa é a vida do crente em CRISTO JESUS. Do crente-igreja, templo do SENHOR, desapegado a templos erguidos por homens e de denominações, cujas lutas, muitas vezes, parecem ruir sobre a sua cabeça. Mas há uma certeza inabalável: DEUS está com Suas mãos poderosas sobre a vida daquele que é fiel a ELE. Não há o que temer.

Certa vez, eu estava em uma lanchonete com a Eliane colocando os assuntos em dia. De repente, vi, um pouco afastado de mim, o marido dela evangelizando a todos que chegavam aquele lugar. Não era bem ele em pessoa ainda, mas uma imagem que o SENHOR me mostrara para dizer a Eliane que, um dia, o marido dela voltaria e que seria mais crente do que ela. A vida dele é muito preciosa para o SENHOR. A promessa foi feita. DEUS é fiel para cumpri-la. Quem vive debaixo da autoridade e submissão, do PAI recebe grandes promessas. Vejo DEUS, mesmo diante de tantas lutas, trabalhando na vida da irmã.  O trabalhar de DEUS é mistério e tem profundos propósitos, que, muitas vezes, não entendemos.

O DEUS da irmã Eliane é o mesmo que, em tempos passados, provou a fé do seu servo Jó com uma das provas mais duras das histórias bíblicas. O livro de Jó começa dizendo que “este era íntegro, reto e temente a Deus e se desviava do mal” (Jó 1:1). O nome Jó significa “voltado sempre para DEUS”. Que bênção!  Se formos parar para analisar, os nomes Jó e Eliane se entrecruzam nos mistérios celestiais: Jó é se voltar sempre para DEUS; Eliane é o sol que sempre resplandece. Só se volta para DEUS, quem tem a luz do Seu Filho dentro de si. Mesmo tendo esse sol e sempre se voltando para o SENHOR, DEUS permitiu que satanás tocasse nas coisas mais valiosas da vida do seu servo: repentinamente os seus dez filhos morreram, a sua riqueza desapareceu, doenças cercaram o seu corpo e até a esposa incentivou-o a amaldiçoar a DEUS. Jó rapou a cabeça com um caco, glorificou a DEUS na beleza da Sua santidade e na dor que estava atravessada em sua alma. Jó fez o sol da sua fidelidade brilhar mais alto: “Nu saí do ventre de minha mãe e no tornarei para lá; o SENHOR o deu, e o SENHOR o tomou: bendito seja o nome do SENHOR” (Jó 1:21).

Ainda por cima, três dos seus amigos surgiram para incitá-lo injustamente por causa do estado deprimente pelo qual ele atravessava. Tudo conspirava contrário a Jó. As coisas só pioravam, mas DEUS nunca deixou de estar no controle da vida dele. Nem da vida de Eliane. Nem da minha. Nem da sua, querido leitor e irmão, se tão somente fazermos o mesmo que Jó fez diante da dor. Dizem que o melhor louvor é aquele que provém de um coração amargurado, ferido, machucado, contrito. Sai só o sumo do bagaço, o sumo puro e verdadeiro. Foi esse louvor que saiu da boca de Jó. É esse mesmo que tem de sair dos nossos lábios. Nada de seguir um caminho diferente. É tempo de glorificar a DEUS.

Quanto tempo durou a tempestade na vida de Jó? Quanto tempo durou a dor no seu deserto? Decerto, não sabemos. É claro que durante o deserto dele algumas dúvidas suscitaram em seu coração falho e limitado. Jó chegou a pensar que DEUS havia lhe abandonado e que só as desolações lhe cercavam. Conheça mais um pouco da angústia de Jó em seu deserto e veja, se em muitas situações, ela não se assemelha com a sua angústia: “Até quando afligireis a minha alma, e me quebrareis com palavras? Já dez vezes me vituperastes; não tendes vergonha de injuriar-me. Embora haja eu, na verdade, errado, comigo ficará o meu erro. Se deveras vos quereis engrandecer contra mim, e arguir-me pelo meu opróbrio, sabei agora que Deus é o que me transtornou, e com a sua rede me cercou. (...) Da minha honra me despojou; e tirou-me a coroa da minha cabeça. Quebrou-me de todos os lados, e eu me vou; e arrancou a minha esperança, como a uma árvore. (...) Pós longe de mim a meus irmãos, e os que me conhecem, como estranhos se apartaram de mim. Os meus parentes me deixaram, e os meus conhecidos se esqueceram de mim. Os meus domésticos e as minhas servas me reputaram como um estranho, e vim a ser um estrangeiro aos seus olhos. Chamei a meu criado, e ele não me respondeu; cheguei a suplicar-lhe com a minha própria boca. O meu hálito se fez estranho à minha mulher; tanto que supliquei o interesse dos filhos do meu corpo. Até os pequeninos me desprezam, e, levantando-me eu, falam contra mim. Todos os homens da minha confidência me abominam, e até os que eu amava se tornaram contra mim. Os meus ossos se apegaram à minha pele e à minha carne, e escapei só com a pele dos meus dentes. Compadecei-vos de mim, amigos meus, compadecei-vos de mim, porque a mão de Deus me tocou” (Jó 19:2-6; 9-10; 13-21).

Os propósitos de DEUS na vida de Jó quase o levaram a uma falência geral: física, familiar, moral, financeira e social.

Física: chagas malignas se apoderaram do seu corpo.
Familiar: a esposa o repudiou e passou a tratá-lo com estranheza.
Moral: servos não o respeitavam mais.
Financeira: toda a sua riqueza sucumbiu, desapareceu.
Social: os amigos zombavam dele e o repudiaram.

Quase, porque a espiritual se manteve intacta. Jó apenas desejou que todo o seu sofrimento fosse registrado em um livro com pena de ferro e chumbo. E foi. Mesmo diante de tanta dor, a esperança de sua salvação não desapareceu do coração dele.

Espiritual: “Porque eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra. E, depois de consumida a minha pele, contudo ainda em minha carne verei a Deus” (Jó 19:25-26).

Jó só não sabia que DEUS ainda iria restituí-lo de tudo em vida:

“E o SENHOR virou o cativeiro de Jó, quando orava pelos seus amigos; e o SENHOR acrescentou, em dobro, a tudo quanto Jó antes possuía. Então vieram a ele todos os seus irmãos e todas as suas irmãs, e todos quantos dantes o conheceram, e comeram com ele pão em sua casa, e se condoeram dele, e o consolaram acerca de todo o mal que o SENHOR lhe havia enviado; e cada um deles lhe deu uma peça de dinheiro, e um pendente de ouro. E assim abençoou o SENHOR o último estado de Jó, mais do que o primeiro; pois teve catorze mil ovelhas, se seis mil camelos, e mil juntas de bois e mil jumentas. Também teve sete filhos e três filhas” (Jó 42:10-13).

As lutas de Jó não são diferentes das nossas lutas, nem o desânimo da irmã Eliane indiferente à igreja do SENHOR. O apóstolo Paulo escreveu: “Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados. Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos; trazendo sempre, por toda a parte a mortificação do Senhor Jesus no nosso corpo, para que a vida de Jesus se manifeste também nos nossos corpos; e assim nós, que vivemos, estamos sempre entregues à morte por amor de Jesus, para que a vida de Jesus se manifeste também na nossa carne mortal” (2 Coríntios 4:8-11).

O importante, diante de toda a adversidade, é permanecer posicionado na fé, como igreja, sujeito e obediente à autoridade ungida por DEUS; glorificar, compartilhar e nunca se isolar. Quem se isola entra na masmorra de satanás e é atingido especialmente na mente, o que causa o desânimo e o fracasso. Mas quem se sujeita alcança as bênçãos de DEUS.

E assim como o choro pode durar uma noite ou várias delas, a alegria da providência do SENHOR vem logo pela manhã e em todas as manhãs. Porque a alegria do SENHOR e a Sua fidelidade representam o sol resplandecente no nome e na vida da irmã Eliane e o desejo incessante de se voltar sempre para DEUS, como era no nome e na vida do servo Jó.

Que DEUS renove nossas forças neste novo dia!

FERNANDO CÉSAR – Escritor, autor dos livros “Não Mude de religião: mude de vida!”, “Pódio da Graça”; “Antes que a Luz do Sol escureça” e da coleção “Destrua o divórcio antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua o adultério antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua a insubmissão antes que ela destrua seu casamento”. Também é pastor e líder do Ministério Restaurando Famílias para Cristo.
 

© - 2014. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré