Páginas

A escolha passageira

A beleza física é uma capa com prazo certo para acabar. Bastam alguns invernos e alguns verões para, logo, ela apresentar os primeiros indícios de desgaste.

Quem se guia apenas naquilo que vê corre o sério risco de ser trocada (o) ao longo do tempo.

Um conjunto físico bonito, impecável de se ver: um olhar encantador, um rosto de príncipe (ou de princesa), um corpo de atleta, podem esconder um caráter destruidor. As fases de namoro e de noivado podem ser até inesquecivelmente belas. Assim como a festa do casamento. Os primeiros anos, como narram os livros de contos de fada. Mas se não houver um caráter cristão, todo esse sonho desaba.

Escolhas passageiras nos levam à frustração.

DEUS, a todo instante, quer que nos preocupemos com o que está dentro: coração e caráter. Esse deve ser o nosso maior investimento, que não nos fará gastar um centavo sequer em academias nem em clínicas de estéticas.

Não estou afirmando que as pessoas declaradamente belas em sua aparência física pela sociedade sejam, necessariamente, terríveis em termos de caráter. Nem que as menos vistas e cobiçadas tenham um coração irrepreensível. Muito menos afirmo que ninguém deva deixar de cuidar também da aparência física.

Quero chamar atenção de duas passagens da Bíblia que tratam desse assunto. A primeira está em Provérbios, capítulo 31, versículo 30: “Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao SENHOR, essa, sim, será louvada”. Os filhos de DEUS são lindos porque se parecem com o caráter DELE. A beleza física e a formosura são enganosas e passageiras porque nos levam a ficar presos em algo muito momentâneo. DEUS nos chama atenção para a “mulher que O teme”. O temor é fruto de um caráter voltado à obediência à Palavra e à autoridade terrena que ELE constituiu. Você já experimentou viver uma vida de total obediência a DEUS em Sua Palavra? A honra e o louvor provêm daí.

Lembro-me de certa vez em que cuidei de uma mulher aparentemente muito bonita, de chamar atenção da sociedade. Dizia-se “mulher de DEUS”, mas era rixosa, independente demais, nariz empinado, arrogante, autoritária. A começar do marido, as demais pessoas também começaram a se afastar dela. E tudo começou a ruir em sua vida. Até que nos conhecemos e ela concordou em viver uma vida de plena obediência. No início deu um trabalho enorme. Aos poucos, ela foi se encaixando. O temperamento mudou, a forma de tratar as pessoas, a maneira de conversar com o marido. A mansidão passou a fazer do seu caráter e aquela extrema independência desapareceu. Logo, ela fez retratar na alma aquilo que DEUS quer que sejamos. Essa mulher passou a colecionar uma bênção atrás da outra. Não que ela tenha se tornado “feia” aparentemente, mas que a beleza dela passou a ser algo despercebido pelas pessoas face ao perfume que ela exalava de dentro.

Devemos atrair as pessoas por aquilo que cultivamos interiormente. Que bom seria se a beleza física passasse despercebida todas às vezes que fizéssemos presentes.

A outra passagem nos reporta para a história do sucessor de Saul. O profeta Samuel havia recebido a missão de escolher o novo rei do povo de Israel. E ele viria da casa de Jessé. Ao ser lhe apresentado os filhos, eis que Samuel fixou os olhos para a beleza de Eliabe e afirmou entusiasmado: “Certamente está perante o SENHOR o seu ungido” (1 Samuel 16:6). Mas o SENHOR, na hora H, refreou as intenções do profeta: “Não atentes para a sua aparência, nem para a grandeza da sua estatura, porque o tenho rejeitado; porque o SENHOR não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o SENHOR olha para o coração” (versículo 7).

Quantas mulheres e homens solteiros estão a escolher o (a) namorado (a) por conta de critérios tão mesquinhos? Porque ele (ou ela) é bonito de se ver, chama atenção da sociedade; ou mesmo porque tem um padrão de vida elevado. E a todos, DEUS tem rejeitado. São estes mesmos que, depois de casados, passam a criticar a esposa ou o marido, que não possui a aparência de antes, que não está tão novo (a) mais; e vão em busca de outras pessoas no mundo.

Pessoas com esse perfil escolhem muito, vivem com muitos; e terminam sozinhas, porque um dia até a beleza delas irá desaparecer e elas também serão abandonadas. Pior: abandonadas e doentes, sem uma família para cuidar.

Ensine a seu filho e a sua filha, desde cedo, a aprenderem a escolher corretamente. Mostre a eles onde estão escondidos os verdadeiros valores: no caráter. DEUS OLHA PARA O CORAÇÃO!!

Dessa forma, quem sabe, teremos menos famílias destruídas; menos casamentos frustrados; menos pessoas infelizes e amarguradas. Teremos mais idosos e idosas amando-se no amor puro, naquele que vem de dentro, depois de uma longa história de muitas lutas e privações. Aprendamos a olhar com os olhos de DEUS para fazermos as escolhas corretas e sermos abençoados.

No Amor de DEUS,


FERNANDO CÉSAR – Escritor, autor dos livros “Não Mude de religião: mude de vida!”, “Pódio da Graça”; “Antes que a Luz do Sol escureça” e da coleção “Destrua o divórcio antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua o adultério antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua a insubmissão antes que ela destrua seu casamento”. Também é pastor e líder do Ministério Restaurando Famílias para Cristo.

0 comentários:

Postar um comentário

 

© - 2014. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré