Páginas

Como, um dia, alcançaremos o Céu?

Ponho-me a refletir cuidadosamente no versículo a seguir: “E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, alma e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Tessalonicenses 5:23) (grifo meu). Esse texto me alegra e ao mesmo tempo me assusta, quando vejo o nível de prostituição que tomou conta das almas nos dias atuais.

DEUS nos dá a santificação por meio da Sua Graça, ou seja, do Seu único Filho JESUS CRISTO: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus” (Efésios 2:8). No último versículo do livro aos Romanos, capítulo 6, diz que a salvação é gratuita para todos aqueles que buscarem o SENHOR e se entregarem a ELE: “(...) mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor” (versículo 23). A graça é o antídoto de DEUS contra os pecados do homem, quando este decide tornar DEUS Senhor absoluto de sua vida. DEUS nos deu a vida, mas ELE quer ter controle total sobre ela. DEUS fez a Sua parte: enviou o Seu único Filho. Cabe cada um agora fazer a sua: entregar-se a ELE, deixar que ELE seja SENHOR de nossas ações.

Mas não é isso que estamos vendo. Muitas pessoas, com suas atitudes, provam apenas que querem que DEUS seja SENHOR de uma vida regada e aprisionada ao pecado. É um relacionamento unilateral: DEUS faz a parte DELE e a pessoa não faz a dela. Se fosse feita uma pesquisa nos templos religiosos, e todas as pessoas respondessem a verdade (sem terem o nome revelado), o resultado iria chocar a todos. Quase todos são escravos de algum tipo de prostituição. Ou se prostituem na carne ou com o mundo. Santos verdadeiramente são poucos, e estão se tornando raros a cada dia, infelizmente. Qual casal solteiro pratica relação sexual antes do casamento; e vai aos cultos; e participa da Ceia, como se tudo fosse normal? Qual casal casado em primeiro casamento frequenta cama de motel e, ainda por cima, dizima para satanás? E quantos casais estão em segundo, terceiro ou quanto casamento? Quem, nessa geração, verdadeiramente, pode se alegrar por ser santo na alma, no espírito e no corpo? O povo religioso deseja a salvação, mas o seu coração anda bem longe dela.

A salvação espiritual é resultado da busca incessante e diária do homem a DEUS. Ela não se resume a um momento de emoção nem a um instante quando levantamos a nossa mão em um culto. Não basta também ter uma religião ou ter um templo religioso denominacional para congregar. É preciso muito mais que isso: ter um viver santo, irrepreensível, aos olhos de DEUS.

A palavra santidade não retira do homem a sua condição humana, carnal, natural; mas transforma o seu coração de maneira que ele não sinta mais desejo algum de pecar. O coração do homem passa apenas a querer agradar a DEUS com obras, palavras e pensamentos. O padrão de santidade que DEUS deseja para os Seus filhos é altíssimo, mas não impossível de conquistá-lo. No versículo de abertura escrito pelo apóstolo Paulo, observe que a santificação sempre está disponível por DEUS para a pessoa que perseverar na santidade dia e noite. Ser santo significa afastar-se do pecado; ter nojo dele. Se o pecado desperta prazer em nós, certamente é porque ainda não fomos transformados pelo Espírito Santo; ainda não temos a natureza de DEUS em nós. Somos filhos do diabo e escravos daquele a quem fazemos senhor: “Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal para lhe obedecerdes em suas concupiscências; nem tampouco apresenteis os vossos membros ao pecado por instrumentos de iniquidade; mas apresentai-vos a Deus, como vivos dentre mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça. Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estamos debaixo da lei, mas debaixo da graça. Pois que? Pecaremos porque não estamos debaixo da lei, mas debaixo da graça? De modo nenhum. Não sabeis vós que a quem vos apresentardes por servos para lhe obedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, ou do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça?” (Romanos 6:12-16).

Justificar a prática pecaminosa com o fato de sermos humanos e falhos não é um argumento satisfatório. Todos nós somos humanos, ou seja, temos uma natureza propensa ao pecado, mas a Graça de DEUS em nós representa um desejo maior dentro de nós de morarmos um dia no Céu. Esse desejo constante em querer agradar a DEUS é o aperfeiçoamento dos santos. De maneira que a grande diferença entre os santos remidos e os ímpios não está na natureza humana que os reveste, mas nas intenções do coração de cada um. Um ímpio não pode balancear o coração de um crente verdadeiramente convertido, por mais carinhoso, bonito ou atraente que ele seja. Não podemos nos sentir balanceados pelos assédios dos demônios através das vidas aprisionadas por eles. Um templo do SENHOR tem discernimento e, se possível for, será até estúpido com aqueles que insistem em jogá-lo novamente no lamaçal do pecado. Fugir e cortar o mal pela raiz são atitudes fundamentais de quem deseja viver uma vida de santidade diante de DEUS.

Quem quer um dia morar no Céu precisa, antes de qualquer coisa, focar diariamente em sua santificação. Ela é primordial. É ela quem atrai a Graça de DEUS para a nossa vida e nos faz atingir o alvo. DEUS exige que sejamos santos na alma (vida, conduta), espírito e corpo. Essas três áreas precisam se manter irrepreensíveis até a vinda do SENHOR JESUS, segundo escreveu Paulo. Ou seja, o texto está nos alertando de que não adianta ser santo em todos os dias de sua vida, menos no último. Uma queda pode levar uma pessoa a uma prisão espiritual, e essa prisão à morte eterna. Por isso, “aquele, pois, que está de pé, cuide para não cair” (1 Coríntios 10:12). Paulo sabia que muitos que um dia foram os seus companheiros de batalha, de repente, naufragaram na caminhada, porque deram brechas ao diabo em suas vidas. Esse alerta também serve para nós.

Filho de DEUS não aceita manjares do inferno em hipótese alguma, nem sequer dá espaço para conversas e encontros perigosos. A única coisa que ele tem de dizer ao ímpio que chega com lisonjas e palavras suaves para derrubá-lo é: APARTA-TE DE MIM, satanás! O SENHOR TE REPREENDA EM NOME DE JESUS! Se não for com esse rigor, seremos permanentemente tentados e com grande chance de cairmos.

Conheço muitas pessoas que um dia receberam promessas de DEUS da salvação da própria vida e da família também, e, porque não vigiaram, caíram nas armadilhas do diabo e hoje se encontram totalmente mortas espiritualmente, presas ao adultério, àquilo que elas antes combatiam com veemência. Voltar ao mundo da escravidão pecaminosa é muito fácil (basta o seu coração ficar balanceado com o assédio do mal). Sair dela é algo muito difícil. Existem pessoas que, há anos, estão lutando e clamando por uma libertação espiritual e não a encontram.

Quem deseja o Céu e agradar a DEUS não vive em função de ninguém nem de nada nesse mundo. Não é porque o casamento naufragou que o remido no Sangue de JESUS vai perder o foco da salvação, que é individual. Não é porque o marido a trata com rispidez e vive se deleitando nos braços de outra, que uma serva do SENHOR vai aceitar os assédios do diabo. Não é porque uma esposa saiu de casa e se entregou aos braços de um adúltero que o seu marido, que é santo, vai fazer a mesma coisa. DEUS e o Seu Reino têm que estar acima de tudo em nossa vida. Salvação é tudo, mas, para isso, precisamos da santidade diária e contínua. A graça de DEUS não se coaduna com uma vida de pecados, de impiedade, de falta de perdão e de restituição: “Que diremos pois? Permaneceremos no pecado para que a graça abunde? De modo nenhum. Nós, que estamos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele?” (Romanos 6:1-2). Medite também nessas palavras: “Segui a paz com todos e a santificação sem a qual NINGUÉM VERÁ O SENHOR” (Hebreus 12:14). Elas precisam ser verdade na minha e na sua vida. Considere: precisamos ser santos na alma, no espírito e no corpo. Santificação absoluta, plena e irrepreensível é a que DEUS deseja para nós. Isso, se um dia você realmente desejar alcançar o Céu...

DEUS tenha misericórdia de nós!

FERNANDO CÉSAR – Escritor, autor dos livros “Não Mude de religião: mude de vida!”, “Pódio da Graça”; “Antes que a Luz do Sol escureça” e da coleção “Destrua o divórcio antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua o adultério antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua a insubmissão antes que ela destrua seu casamento”. Também é pastor e líder do Ministério Restaurando Famílias para Cristo.

0 comentários:

Postar um comentário

 

© - 2014. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré