Páginas

O botão de Rosa

Era Dia dos Namorados. Um rapaz muito bem vestido entrou numa floricultura e pediu à florista:

Senhora, por favor, me dê um buquê de flores. Quero o mais caro que você tiver!

A florista, então, perguntou ao moço:

_ E que tipo de flor você deseja?

_ Qualquer uma, dona. Só quero algo caro e que impressione muito uma mulher. Respondeu o rapaz, fazendo pouco caso das flores.

_ Que tal um buquê de rosas? Sugeriu a florista.

Tanto faz, pode ser. Disse ele.

A mulher insistiu:

Você pode vir até aqui para escolher quais rosas vão no seu buquê?

Não precisa, escolhe você mesmo. Você tem mais experiência do que eu! Comentou.

Assim que montou o buquê e o envolveu em uma bela fita vermelha, a florista se dirigiu a ele:

_ Moço, o seu buquê está pronto! Quer levar um cartãozinho para entregar junto com as rosas?

Não, não precisa. Vou entregar as flores pessoalmente. Respondeu o jovem, sem muita paciência.

A atendente comentou:

Você é quem manda. Só estou sugerindo, porque toda mulher gosta de receber um cartãozinho junto com as flores.

Por fim, já com a paciência esgotada, o rapaz pagou pelo buquê e colocou um ponto final na conversa:

Sabe o que é, minha senhora? Tenho muita coisa para fazer e não tenho cabeça para escrever nada! Estou com muita pressa. Ainda tenho que levar o meu carro para lavar. Por favor, me entregue logo esse buquê. Pode ficar com o troco! 

E foi embora.

Logo depois, outro rapaz aparece. Ele deixa sua bicicleta em frente à calçada e entra na floricultura. Ele olha aqui, olha ali, compara os preços... Vendo seu semblante indeciso, a florista se aproxima:
 
Olá, moço! Posso te ajudar a escolher uma flor?

Por favor, quero muito comprar algo bonito e especial para uma moça ainda mais bonita e especial! Só que eu não tenho muito dinheiro. Você tem alguma sugestão? Disse o rapaz.

A florista respondeu:

Claro! Dê a ela um botão de rosa. Eu prometo fazer uma linda embalagem. Tenho certeza que a moça vai adorar o presente!

Ótima ideia!! Posso escolher a rosa? Disse o rapaz.

Claro que pode! Me acompanhe, por favor!

Quer levar um cartãozinho também? Elas adoram! Falou a florista.

O jovem, então, coçou a cabeça, mexeu no bolso, contou algumas moedas e disse:

Não sei se o meu dinheiro dá para tudo isso, dona...

Ela sorriu e, em seguida, o tranquilizou:

Não se preocupe, daremos um jeito nisso. E piscou para ele: 

Essa moça é a sua namorada?

Não, ainda não. Mas eu creio em Deus que um dia ela será! Falou o jovem com um sorriso bem largo no rosto.

A florista entregou o botão de rosa e o cartãozinho ao rapaz, que subiu em sua bicicleta e foi embora. Assim que o jovem se foi, a mulher ficou pensando na diferença entre os dois clientes:

Ah, se eu tivesse uma filha, gostaria que ela encontrasse alguém como esse segundo rapaz. Que sujeito bom!

Dias depois, o primeiro jovem volta à floricultura:

Olá, senhora. Se lembra de mim?

Claro que me lembro! Mais flores para a sua namorada? Perguntou a florista.

Ele respondeu:

Para aquela ingrata? Não, não é! É para uma outra aí...

Desculpe me intrometer, mas o que houve com aquela moça?

Vixi, a senhora nem imagina. Ela deu uma olhada no buquê que comprei aqui com a senhora e me devolveu em seguida. Fiquei tão nervoso na hora que acabei jogando as rosas no lixo da casa dela! Contou ele.

Mas o que houve, rapaz? Insistiu a florista.

Sei lá. A única coisa que ela me falou foi que não poderia aceitar as minhas flores porque estava apaixonada por um botão de rosa e um cartãozinho. Dá para acreditar nessa bobagem? É coisa de mulher mesmo!

A florista, então, se lembrou daquele outro rapaz, suspirou e disse:

Às vezes nós procuramos no mundo tudo que sempre tivemos: amor, carinho, compreensão, amizade e respeito. Até que um dia nos damos conta de que tudo o buscamos a vida toda, sempre tivemos bem ali, do nosso lado. É neste momento que percebemos que não demos o devido valor. Se você está namorando, pretende namorar alguém ou já assumiu a aliança do casamento, valorize cada segundo que Deus te der ao lado dessa pessoa, pois, com certeza, é o que Ele tem de melhor para você! Pense nisso...
"O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta" (1 Coríntios 13:4-7).

FONTE - PASTOR  ANTÔNIO JÚNIOR

0 comentários:

Postar um comentário

 

© - 2014. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré