Páginas

Deus castiga quando nós pecamos?

"Olá, pastor. Sou novo na fé e gostaria de saber se Deus castiga quando cometemos algum pecado."

R: Antes de responder a sua dúvida, precisamos saber a diferença entre castigo (punição) e disciplina. Segundo o dicionário, "punir" significa: castigar, reprimir, infligir castigo etc. Já a palavra "disciplinar" quer dizer: fazer obedecer (pessoas ou coisas), disciplinar as tendências, hábitos; estabelecer determinados princípios etc.

Para aqueles que acreditam em Jesus como único Senhor e Salvador, todos os seus pecados (do passado, presente e futuro) já foram castigados na cruz. Em Isaías 53:5,6 está escrito: "... Ele foi transpassado por causa das nossas transgressões, foi esmagado por causa de nossas iniqüidades; o castigo que nos trouxe paz estava sobre ele, e pelas suas feridas fomos curados. Todos nós, tal qual ovelhas, nos desviamos, cada um de nós se voltou para o seu próprio caminho; e o Senhor fez cair sobre ele a iniqüidade de todos nós".

A humanidade está debaixo de uma condenação, mas, como seguidores de Cristo, nós nunca seremos castigados pelos nossos pecados, pois Jesus já pagou por todos eles com o próprio sangue. A Bíblia diz: "Deus tornou pecado por nós aquele que não tinha pecado, para que nele nos tornássemos justiça de Deus" (2 Coríntios 5:21). Ou seja, por causa desse sacrifício, quando Deus olha para nós, Ele enxerga o que Jesus fez por nós na cruz - Ele nos tornou justos ao olhos Dele. Com isso, devemos acreditar nessa palavra: "Portanto, agora já não há condenação para os que estão em Cristo Jesus" (Romanos 8:1). 

Mas talvez você se pergunte: "O que acontece se eu continuar pecando mesmo depois de ter aceitado Jesus como Salvador?"

A Bíblia diz que você nunca conseguirá ser 100% santo, porque você ainda habita em um corpo contaminado pelo pecado (Rm 7:14-21). Entretanto, se você nasceu de novo, o pecado já não tem domínio sobre você! Ele será apenas um "acidente de percurso", uma falha:

"Todo aquele que é nascido de Deus não pratica o pecado, porque a semente de Deus permanece nele; ele não pode estar no pecado, porque é nascido de Deus" (1 João 3:9)

A semente de Deus dentro de nós é o Espírito Santo, e é Ele quem nos santifica e nos convence do pecado. Porém, nós temos o livre arbítrio e se permitirmos que o pecado permaneça em nossas vidas, o Senhor irá nos disciplinar! Ele nos disciplina quando sabemos que certa prática é pecaminosa, mas ainda assim, não arrependemos e não abrimos mão dela. Isso não quer dizer que Deus seja mau ou vingativo. Assim como um pai disciplina o seu filho para o seu bem estar, o Pai celestial, com muito amor e cuidado, nos corrige e nos faz voltar para os Seus caminhos. Veja:

"Suportem as dificuldades, recebendo-as como disciplina; Deus os trata como filhos. Pois, qual o filho que não é disciplinado por seu pai? Se vocês não são disciplinados, e a disciplina é para todos os filhos, então vocês não são filhos legítimos, mas sim ilegítimos. Além disso, tínhamos pais humanos que nos disciplinavam, e nós os respeitávamos. Quanto mais devemos submeter-nos ao Pai dos espíritos, para assim vivermos! Nossos pais nos disciplinavam por curto período, segundo lhes parecia melhor; mas Deus nos disciplina para o nosso bem, para que participemos da sua santidade. Nenhuma disciplina parece ser motivo de alegria no momento, mas sim de tristeza. Mais tarde, porém, produz fruto de justiça e paz para aqueles que por ela foram exercitados" (Hebreus 12:7-11).

Por isso, a disciplina é usada por Deus para tirar os Seus filhos do pecado e levá-los à obediência. Através dessa disciplina, Deus abre os nossos olhos para que possamos enxergar, de forma mais clara, o que Ele tem para nossas vidas. Como Davi disse no Salmo 32, a disciplina de Deus nos leva a confessar e nos arrepender dos pecados que ainda não foram tratados. Ou seja: a disciplina é como uma “limpeza” em nosso espírito. Ela também nos leva a experimentar “a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus” (Romanos 12:2). Isso quer dizer que a disciplina é algo muito bom!

Temos que nos lembrar que o pecado estará em nossas vidas enquanto estivermos nesta terra (Romanos 3:10,23). Por isso, não basta apenas lidarmos com a disciplina de Deus. Precisamos também, lidar com as consequências do pecado. Por exemplo: se um cristão furta algo, Deus vai perdoá-lo do pecado, restaurando a comunhão com Ele. No entanto, as consequências do furto podem ser graves, levando até a prisão. Nós não podemos fugir dessas consequências, mas, mesmo que elas aconteçam, Deus trata conosco através delas, aumenta a nossa fé e nos faz voltar ao caminho certo. É por isso que costumamos dizer: "É melhor vir para Deus por amor, do que pela dor".

"... Santifiquem Cristo como Senhor no coração. Estejam sempre preparados para responder a qualquer que lhes pedir a razão da esperança que há em vocês... É melhor sofrer por fazer o bem, se for da vontade de Deus, do que por fazer o mal" (1 Pedro 3:15,17).


FONTE - PASTOR  ANTÔNIO JÚNIOR

0 comentários:

Postar um comentário

 

© - 2014. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré