Páginas

Testemunho de Casamento Restaurado - Elisângela

Amados e queridos irmãos em Cristo Jesus, que as misericórdias do Senhor venham nos acompanhar todos os dias de nossas vidas! Graça e Paz a todos!
É com meu coração cheio de alegria que venho postar aqui meu testemunho, para honra e glória do Senhor Jesus. Depois de 8 meses no deserto, Deus me deu a vitória para honrar e glorificar o nome dele.

Amados irmãos, nada é impossível para o nosso Deus! Nada é demasiadamente fora do alcance dele! Quando pensei que não havia mais como restaurar meu casamento, foi aí que Deus entrou para escrever uma nova história em nossas vidas. ALELUIA!!
Queridos, eu já conhecia a Palavra de Deus, mas não sabia nada sobre casamento e nem como ser a mulher sábia que a Bíblia diz. Foi assim que fui destruindo o meu lar e consequentemente a vida do meu marido.

No mês de janeiro de 2013, meu marido, após ter feito uma viagem, me chamou e disse: “estou te traindo há 5 meses! Quero me separar!”
Foi aí que perdi o chão! Treze anos casados e tentando engravidar, em ainda ouvir isso dele: “não te amo mais!”
Teve mais: “tenho outra pessoa que está me ajudando a superar a separação, e tenho sonhos com ela, inclusive, de ter filhos, algo que não vejo mais em você, a possibilidade de realizar o meu sonho de ser pai. Em cinco meses ela mudou minha vida e tenho vivido com ela coisas que não vivi com você todos esses anos…”.

Amados, como foi dolorido! É difícil até de contar. Como sofri…
Foi aí que começou meu desespero. Eu não sabia o que fazer. Ele ficou totalmente perturbado e se distanciando a cada dia de mim e do nosso lar.
Ele começou o suposto namoro com essa moça, e saía de casa como se fosse um rapaz solteiro. Arrumava-se todo e se perfumava como se eu não estivesse ali.
Foram assim por seis meses. Ele saía, chegava no outro dia ao meio dia, finais de semana a mesma coisa. E eu triste, angustiada e cada vez mais perturbada.

Um belo dia, pesquisando na Internet sobre restauração de famílias, achei este Ministério lindo e maravilhoso, liderado pelo Pastor Fernando César. Eu já orava, mas não via nada acontecer. As coisas só pioravam. Até aliança de compromisso ele colocou no dedo e tudo isso dentro da nossa casa.
Em meio a essa situação, ele terminava com ela e voltava para casa. Eu achava que era Deus, e aceitava que ficássemos juntos, namorando. Passavam-se 3 semanas e ele voltava para ela, pois eles trabalhavam juntos.

Eu estava tão perturbada que até fui dar entrada no divórcio. Chegando lá Deus falou comigo: “eu não quero isso! Lute pelo seu casamento!”. Na mesma hora, sem entender, larguei tudo e saí chorando. Aquilo ficou guardado no meu coração.
Eu me perguntava: “meu Deus, eu já estou lutando e não vejo resultados. O que é que devo fazer?”
Foi então que, de fato e verdade, eu vim estudar melhor este Ministério lindo. Peguei firme. Lia, todos os dias, os estudos que o Pr. Fernando César postava. Lia os e-mails que ele mandava e também comecei a obedecer a todas as orientações dele.

Meu marido ainda não tinha saído de casa. Ele só me humilhava. Antes de conhecer as orientações do Pr. Fernando César, eu rebatia tudo que ele dizia. Mas foi aqui que aprendi a me posicionar e me calar. Simplesmente tirei a minha mão e deixei Deus agir. Antes eu sempre queria ajudar Deus. Orava e pedia para Deus não deixá-lo sair de casa. Deus me falava: “deixe-o ir! Isso me trazia muita angústia, mas obedeci.

Amados, vocês não têm ideia de como fui humilhada…
Meu marido dizia que a outra era linda, que ela era compreensível. Entendia a situação pelo fato de ele ser casado. Ele não comprava mais nada para casa. Eu via tudo que ele gastava com a outra: notinhas dos motéis, restaurantes e vários presentes, enquanto minha geladeira estava vazia e as prestações da nossa casa atrasadas. Fazia 2 anos que compramos uma casa financiada pela Caixa.
Ele passava pelo ponto de ônibus onde eu ia trabalhar, chegando ao meio dia, porque tinha passado a noite com ela. Nem olhava na minha face. Aquilo era a morte para mim… Se ele pudesse passar com aquele carro por cima de mim, ele teria feito.

Meu Deus, como tive forças para passar por tudo isso! A principio, não entendia nada, mas seguia na fé com as orientações do Pastor Fernando, deste Ministério lindo. Deixei de me preocupar. Não me importava mais com nada. Só buscava o meu Deus e me fortalecia nEle.
No dia 21/06/2013, ele definitivamente saiu de casa. Vendeu um terreno que tínhamos e foi morar com a outra. Alugou uma casa e comprou todos os móveis. Gastou todo o dinheiro e fez muitas dívidas. Ele disse que ia ser feliz e que essa mulher mais jovem, que ia dar filhos a ele porque ela tinha 22 anos e eu 37.

Eu que pensava que fosse sofrer muito, mas não sofri. Deus já estava me preparando, me moldando, e trabalhando em mim para que eu também soubesse lidar com a situação. Eu continuava nas minhas orações, jejuns, louvando ao meu Deus e me fortalecendo cada dia mais.
Ele foi embora e ficamos um mês e meio sem nos falar e eu vivendo da graça do meu Deus. Todos me davam notícias dele. Diziam que ele estava bem, feliz, mas só Deus sabe o que se passava.
Amados, Deus foi tão misericordioso comigo que nunca me deixou faltar nada. Ainda me enviou uma pessoa preciosa para me ajudar, me aconselhar, já que na denominação onde eu frequentava, não conseguia ninguém para me orientar.

No começo do mês de agosto sem menos eu esperar, ele me mandou uma mensagem: “Oi. Tudo bem? Como vão meus cachorros?” Eu nem respondia, mas as mensagens só aumentavam, ficando cada vez mais fortes e com sentimentos de arrependimento e saudades de casa. As próximas foram: “estou sentindo sua falta, saudades de você”. Eu disse que não te amava mais. Eu te amo!”
Comecei a responder e a trocar mensagens com ele, até um dia percebi que estava sofrendo bastante, mais ainda não tinha pedido para voltar. Ele começou a ligar e então pediu para vir em casa para nós conversamos.

Quando ele veio em casa, chorou muito, disse que estava arrependido e se eu o perdoava. Eu também chorei muito e dei o perdão para ele,mas ele me disse que iria precisar de um tempo para resolver as coisas. Eu disse aceitei.
Como eu sabia que Deus já estava trabalhando na vida dele, fiquei em paz, e deixei meu Deus cuidar de tudo e fazer a transformação completa na vida do meu marido, pois ele ainda não tinha largado a outra.

Amados, foi muito rápido o agir do Senhor nas nossas vidas. Quando eu menos esperava, ele voltou dia 08/08/13, totalmente liberto e transformado para honra e glória do Senhor Jesus! Chegou em casa todo sujo e com fome. Disse que nunca mais iria embora , pois sofreu muito. Já fazia dias que não dormia e nem comia. Ele mesmo disse que Deus o tirou do cativeiro! Não me pergunte como eu cheguei aqui porque eu não sei!

Amados, Deus trabalha para aqueles que nEle esperam e confiam. Quando decidi obedecer, seguindo as orientações do Pr. Fernando, homem ungido de Deus, deixei Deus realmente trabalhar e entendi o tempo de Deus. Percebi que não posso fazer nada com minhas próprias mãos e nem querer ajudá-Lo.
Deixar Deus ser Deus. Entreguem, confiem somente no Senhor.
Fiquem em Paz e não desistam jamais da luta pela restauração de sua família.
Para honra e glória do Senhor Jesus, nosso casamento foi restaurado! E agradeço imensamente a Deus por este Ministério, que fez toda a diferença em minha caminhada no deserto.
Louvado seja o nome do Senhor para sempre! Amém!!!

Fonte: Pr. Fernando César

Quem você ama mais: JESUS ou o seu cônjuge?


Parece absurda a pergunta acima, mas o que muitos repudiados (que buscam a restauração da família) têm feito é demonstrar um amor doentio, neurótico, pelo cônjuge.

Certa vez, JESUS advertiu: “Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim; e quem ama o filho ou a filha mais do que a mim não é digno de mim. E quem não toma a sua cruz e não segue após mim, não é digno de mim” (Mateus 10:37-38). Poderíamos substituir os termos “pai”, “mãe”, “filho”, “filha” por qualquer outra pessoa da relação familiar, por bens materiais ou qualquer outra coisa abaixo dos céus, que o sentido da advertência se manteria. Nosso SENHOR e SALVADOR também não afirmou que não deveríamos amar as pessoas. Ao contrário. No mesmo Evangelho de Mateus, capítulo 5, versículo 44, o Filho de DEUS nos orienta a amarmos até os nossos inimigos, quanto mais aqueles com quem mantemos uma relação estreita...

A questão do exercício do amor passa inicialmente em colocarmos DEUS acima de tudo e de todos e torná-LO SENHOR de nossa vida, para, a partir disso, compreendermos e vivermos o amor por aqueles que se encontram ao nosso redor ou mesmo distante de nós. Traduzindo: é impossível amar o próximo sem o conhecimento e a vivência do Amor de DEUS em nós.

Vejo cônjuges, que foram repudiados, desesperados, completamente perdidos no deserto, desejando até a morte, porque os maridos e as esposas insistem em não voltar para eles. É como se o mundo tivesse acabado e a vida não apresentasse mais nenhum motivo agradável para existir. O marido ou a esposa foi embora; e agora só restam cinzas, sofrimento, dor e amargura. O quadro, onde antes aparecia um lindo arco-íris no céu, agora apresenta nuvens escuras, carregadas de trovões e tempestades. E toda essa atmosfera negativa só mostra o quanto toda essa multidão de repudiados NUNCA AMOU A DEUS acima de quaisquer pessoas (nem antes do repúdio; muito menos depois). Os gritos que ecoam da alma em oração demonstram o quanto DEUS e o Seu Reino não são prioridades absolutas. Não é ELE quem as pessoas desejam; nem aprender mais DELE e terem uma compulsão incontrolável pelo Céu. Mas, os gemidos são para que DEUS traga, de forma impositiva, o cônjuge de volta para casa. “Oh, SENHOR, traz de volta Cicrano ou Fulana, porque eu não aguento mais sofrer”. O EU e os desejos humanos, carnais, são o que prevalecem em qualquer atmosfera de oração. Mas o SENHOR gostaria muito de ouvir: “Habita em mim, SENHOR! Tira-me do chão para que eu possa te amar melhor. Cura-me e me enche do Teu Espírito”. Vejamos a orientação perfeita que o SENHOR JESUS nos dá: “Buscai primeiro o reino de Deus e a Sua justiça, e todas as demais coisas vos serão acrescentadas” (Mateus 6:33). O versículo anterior afirma que o PAI Celestial sabe de todas as coisas das quais necessitamos; e que por isso não deveríamos nos preocupar com as nossas lacunas. Elas existem e o SENHOR as conhece muito bem; e as preencherá todas no Seu devido tempo.

Os solteiros, os viúvos, assim como todos os cônjuges repudiados, devem se envolver apenas com o Reino de DEUS. Eu disse com o REINO DE DEUS e não com um viver em templos religiosos. Envolvimento com o REINO é ser igreja e participar da comunhão com os irmãos. Observe: eu disse SER IGREJA, e não frequentar templos religiosos. É se submeter e obedecer a uma autoridade constituída por DEUS (homem, pastor; nunca mulher pastora, porque isto também é abominável ao PAI). Dentro desse relacionamento irmãos e pastor é que a pessoa vai crescendo e aprendendo o caminho do Reino e se aproximando mais de DEUS. Esse relacionamento precisa ser diário, natural, espontâneo; e não o cumprimento da obrigação de participar de um culto em templo uma ou duas vezes na semana.

Devemos demonstrar a DEUS que O amamos cumprindo o que está na Sua Palavra como conselho e mandamento para a vida da igreja. Esse pontapé inicial, essa entrega absoluta, ocorre da pessoa para DEUS. A serva se entrega de corpo, alma e espírito para o seu SENHOR, porque ELE a amou primeiro e fê-la compreender tudo isso.

O AMOR POR DEUS deve ser a nossa primeira, soberana e absoluta motivação. Desejemos nos encher desse AMOR, conhecê-lo e cuidar de todas as nossas responsabilidades terrenas, colocando-O como Alvo em nossa vida. DEUS, sempre DEUS, e o amor que se tem por um cônjuge nem de perto deve assombrar esse AMOR PELO PAI. É esse Amor que nos cura, nos traz a Paz e, sobretudo, salva-nos. O amor carnal, sentimental, terreno, desenfreado, por um cônjuge opresso é a mais pura expressão da tolice humana, e que só gera dor e sofrimento.

Eu tenho procurado cumprir essa missão como pastor de ovelhas: fazer com que todas sejam curadas e libertas do “amor” opressor e entendam e se preencham do perfeito Amor. É o que chamo de MUDANÇA DE FOCO. Sei que quando um cônjuge repudiado se aproxima mais e mais do SENHOR através de Sua Justiça, desliga-se completamente do “ser problema” e passa a viver bem posicionado, mais rapidamente o que era problema e perturbação passará a receber uma ação sobrenatural do Espírito de DEUS. Veja o exemplo de Jó: enquanto foi atacado pelo diabo com a permissão de DEUS, não deixou de glorificar o SENHOR, ainda que toda a sua família, sua saúde e sua riqueza estivessem destruídas e ainda que tivesse sido incentivado pela própria esposa para amaldiçoar a DEUS. Porque, até esse momento, Jó demonstrava que o centro de sua fé era o SENHOR. Mas quando os amigos terrenos, com os pensamentos carnais, começaram a influenciá-lo e demovê-lo do Alvo, Jó perdeu o foco e até amaldiçoou o dia em que nasceu. O apóstolo Pedro foi outro que, enquanto olhava para CRISTO, andou milagrosamente pelas águas do mar; mas quando decidiu olhar para as ondas revoltas, logo começou a afundar.

Muitos estão naufragando em suas emoções, na questão espiritual e no aspecto psicológico porque estão presos aos cônjuges que estão sendo instrumentos do diabo; o qual, por tabela, também está massacrando os repudiados. Pegue hoje mesmo uma tesoura e corte a linha do seu pensamento que liga você ao cônjuge opresso e determine no Poder de DEUS que, de agora em diante, você não permitirá que satanás o (a) atinja. Posicione-se corretamente. Sofrer apenas por Amor a DEUS e ao Seu Reino. Pedro deixou o conselho: “Que nenhum de vós padeça como homicida, ou ladrão, ou malfeitor, OU COMO O QUE SE ENTREMETE EM NEGÓCIOS ALHEIOS. Mas, se padece como cristão, não se envergonhe, antes glorifique a Deus nesta parte” (1 Pedro 4:15-16) (grifo meu).

E sobre aquela passagem de Mateus, capítulo 10, transcrita no início desse texto, o versículo 39 traz uma promessa do SENHOR JESUS para todo aquele que colocá-LO como foco do viver: “Quem achar a sua vida perdê-la-á; e quem PERDER a sua vida por amor de mim, achá-la-á”. Você entendeu a mensagem que JESUS acabou de transmitir ao seu coração? Não? ELE está afirmando que quem entregar a causa a ELE por amor (perder a causa), encontrará, terá de volta restaurada, transformada. Mas quem tentar resolver o problema por conta própria, perderá a luta.

Demonstre a DEUS o quanto você O ama. Nem o naufrágio do seu casamento nem o repúdio do seu cônjuge podem ruir a sua estrutura humana e espiritual. O apóstolo Paulo, de uma maneira muito preciosa, um dia questionou os irmãos localizados em Roma: “Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? (...) Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor” (Romanos 8:35, 38-39). Entendeu, meu amado irmão ou amada irmã? NADA, NINGUÉM PODERÁ ROUBAR A PAZ DE CRISTO NEM O AMOR DE DEUS QUE HABITA EM VOCÊ.

Que o SENHOR seja o seu Alvo sempre!

FERNANDO CÉSAR – Escritor, autor dos livros “Não Mude de religião: mude de vida!”, “Pódio da Graça”; “Antes que a Luz do Sol escureça” e da coleção “Destrua o divórcio antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua o adultério antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua a insubmissão antes que ela destrua seu casamento”. Também é pastor e líder do Ministério Restaurando Famílias para Cristo.
 

© - 2014. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré