Páginas

Quem você ama mais: JESUS ou o seu cônjuge?


Parece absurda a pergunta acima, mas o que muitos repudiados (que buscam a restauração da família) têm feito é demonstrar um amor doentio, neurótico, pelo cônjuge.

Certa vez, JESUS advertiu: “Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim; e quem ama o filho ou a filha mais do que a mim não é digno de mim. E quem não toma a sua cruz e não segue após mim, não é digno de mim” (Mateus 10:37-38). Poderíamos substituir os termos “pai”, “mãe”, “filho”, “filha” por qualquer outra pessoa da relação familiar, por bens materiais ou qualquer outra coisa abaixo dos céus, que o sentido da advertência se manteria. Nosso SENHOR e SALVADOR também não afirmou que não deveríamos amar as pessoas. Ao contrário. No mesmo Evangelho de Mateus, capítulo 5, versículo 44, o Filho de DEUS nos orienta a amarmos até os nossos inimigos, quanto mais aqueles com quem mantemos uma relação estreita...

A questão do exercício do amor passa inicialmente em colocarmos DEUS acima de tudo e de todos e torná-LO SENHOR de nossa vida, para, a partir disso, compreendermos e vivermos o amor por aqueles que se encontram ao nosso redor ou mesmo distante de nós. Traduzindo: é impossível amar o próximo sem o conhecimento e a vivência do Amor de DEUS em nós.

Vejo cônjuges, que foram repudiados, desesperados, completamente perdidos no deserto, desejando até a morte, porque os maridos e as esposas insistem em não voltar para eles. É como se o mundo tivesse acabado e a vida não apresentasse mais nenhum motivo agradável para existir. O marido ou a esposa foi embora; e agora só restam cinzas, sofrimento, dor e amargura. O quadro, onde antes aparecia um lindo arco-íris no céu, agora apresenta nuvens escuras, carregadas de trovões e tempestades. E toda essa atmosfera negativa só mostra o quanto toda essa multidão de repudiados NUNCA AMOU A DEUS acima de quaisquer pessoas (nem antes do repúdio; muito menos depois). Os gritos que ecoam da alma em oração demonstram o quanto DEUS e o Seu Reino não são prioridades absolutas. Não é ELE quem as pessoas desejam; nem aprender mais DELE e terem uma compulsão incontrolável pelo Céu. Mas, os gemidos são para que DEUS traga, de forma impositiva, o cônjuge de volta para casa. “Oh, SENHOR, traz de volta Cicrano ou Fulana, porque eu não aguento mais sofrer”. O EU e os desejos humanos, carnais, são o que prevalecem em qualquer atmosfera de oração. Mas o SENHOR gostaria muito de ouvir: “Habita em mim, SENHOR! Tira-me do chão para que eu possa te amar melhor. Cura-me e me enche do Teu Espírito”. Vejamos a orientação perfeita que o SENHOR JESUS nos dá: “Buscai primeiro o reino de Deus e a Sua justiça, e todas as demais coisas vos serão acrescentadas” (Mateus 6:33). O versículo anterior afirma que o PAI Celestial sabe de todas as coisas das quais necessitamos; e que por isso não deveríamos nos preocupar com as nossas lacunas. Elas existem e o SENHOR as conhece muito bem; e as preencherá todas no Seu devido tempo.

Os solteiros, os viúvos, assim como todos os cônjuges repudiados, devem se envolver apenas com o Reino de DEUS. Eu disse com o REINO DE DEUS e não com um viver em templos religiosos. Envolvimento com o REINO é ser igreja e participar da comunhão com os irmãos. Observe: eu disse SER IGREJA, e não frequentar templos religiosos. É se submeter e obedecer a uma autoridade constituída por DEUS (homem, pastor; nunca mulher pastora, porque isto também é abominável ao PAI). Dentro desse relacionamento irmãos e pastor é que a pessoa vai crescendo e aprendendo o caminho do Reino e se aproximando mais de DEUS. Esse relacionamento precisa ser diário, natural, espontâneo; e não o cumprimento da obrigação de participar de um culto em templo uma ou duas vezes na semana.

Devemos demonstrar a DEUS que O amamos cumprindo o que está na Sua Palavra como conselho e mandamento para a vida da igreja. Esse pontapé inicial, essa entrega absoluta, ocorre da pessoa para DEUS. A serva se entrega de corpo, alma e espírito para o seu SENHOR, porque ELE a amou primeiro e fê-la compreender tudo isso.

O AMOR POR DEUS deve ser a nossa primeira, soberana e absoluta motivação. Desejemos nos encher desse AMOR, conhecê-lo e cuidar de todas as nossas responsabilidades terrenas, colocando-O como Alvo em nossa vida. DEUS, sempre DEUS, e o amor que se tem por um cônjuge nem de perto deve assombrar esse AMOR PELO PAI. É esse Amor que nos cura, nos traz a Paz e, sobretudo, salva-nos. O amor carnal, sentimental, terreno, desenfreado, por um cônjuge opresso é a mais pura expressão da tolice humana, e que só gera dor e sofrimento.

Eu tenho procurado cumprir essa missão como pastor de ovelhas: fazer com que todas sejam curadas e libertas do “amor” opressor e entendam e se preencham do perfeito Amor. É o que chamo de MUDANÇA DE FOCO. Sei que quando um cônjuge repudiado se aproxima mais e mais do SENHOR através de Sua Justiça, desliga-se completamente do “ser problema” e passa a viver bem posicionado, mais rapidamente o que era problema e perturbação passará a receber uma ação sobrenatural do Espírito de DEUS. Veja o exemplo de Jó: enquanto foi atacado pelo diabo com a permissão de DEUS, não deixou de glorificar o SENHOR, ainda que toda a sua família, sua saúde e sua riqueza estivessem destruídas e ainda que tivesse sido incentivado pela própria esposa para amaldiçoar a DEUS. Porque, até esse momento, Jó demonstrava que o centro de sua fé era o SENHOR. Mas quando os amigos terrenos, com os pensamentos carnais, começaram a influenciá-lo e demovê-lo do Alvo, Jó perdeu o foco e até amaldiçoou o dia em que nasceu. O apóstolo Pedro foi outro que, enquanto olhava para CRISTO, andou milagrosamente pelas águas do mar; mas quando decidiu olhar para as ondas revoltas, logo começou a afundar.

Muitos estão naufragando em suas emoções, na questão espiritual e no aspecto psicológico porque estão presos aos cônjuges que estão sendo instrumentos do diabo; o qual, por tabela, também está massacrando os repudiados. Pegue hoje mesmo uma tesoura e corte a linha do seu pensamento que liga você ao cônjuge opresso e determine no Poder de DEUS que, de agora em diante, você não permitirá que satanás o (a) atinja. Posicione-se corretamente. Sofrer apenas por Amor a DEUS e ao Seu Reino. Pedro deixou o conselho: “Que nenhum de vós padeça como homicida, ou ladrão, ou malfeitor, OU COMO O QUE SE ENTREMETE EM NEGÓCIOS ALHEIOS. Mas, se padece como cristão, não se envergonhe, antes glorifique a Deus nesta parte” (1 Pedro 4:15-16) (grifo meu).

E sobre aquela passagem de Mateus, capítulo 10, transcrita no início desse texto, o versículo 39 traz uma promessa do SENHOR JESUS para todo aquele que colocá-LO como foco do viver: “Quem achar a sua vida perdê-la-á; e quem PERDER a sua vida por amor de mim, achá-la-á”. Você entendeu a mensagem que JESUS acabou de transmitir ao seu coração? Não? ELE está afirmando que quem entregar a causa a ELE por amor (perder a causa), encontrará, terá de volta restaurada, transformada. Mas quem tentar resolver o problema por conta própria, perderá a luta.

Demonstre a DEUS o quanto você O ama. Nem o naufrágio do seu casamento nem o repúdio do seu cônjuge podem ruir a sua estrutura humana e espiritual. O apóstolo Paulo, de uma maneira muito preciosa, um dia questionou os irmãos localizados em Roma: “Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? (...) Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor” (Romanos 8:35, 38-39). Entendeu, meu amado irmão ou amada irmã? NADA, NINGUÉM PODERÁ ROUBAR A PAZ DE CRISTO NEM O AMOR DE DEUS QUE HABITA EM VOCÊ.

Que o SENHOR seja o seu Alvo sempre!

FERNANDO CÉSAR – Escritor, autor dos livros “Não Mude de religião: mude de vida!”, “Pódio da Graça”; “Antes que a Luz do Sol escureça” e da coleção “Destrua o divórcio antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua o adultério antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua a insubmissão antes que ela destrua seu casamento”. Também é pastor e líder do Ministério Restaurando Famílias para Cristo.

0 comentários:

Postar um comentário

 

© - 2014. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré