Páginas

Restauração familiar, fé e exploração econômica

Há muitos séculos, o apóstolo Pedro alertou a igreja para o perigo da presença de falsos profetas em seu meio. Além das heresias, dissoluções que são peculiares a esses homens, outra característica nos chama a atenção: a avareza, o amor ao dinheiro.

O tempo passou e essa praga, infelizmente, se alastrou no meio do povo de DEUS. Tais religiosos têm o olhar de um comerciante, que busca saber qual o tipo de produto que está mais em moda, o que tem mais saída, aquele que as pessoas mais têm procurado, para investir em seus negócios profissionais.

Desde o surgimento das “igrejas” neopentecostais, final dos anos 70, no Brasil, houve uma explosão de denominações e líderes que começaram a enxergar as necessidades mais emergenciais do povo para explorá-lo em cima disso. Doenças, desempregos, ambição por riqueza, prosperidade material e, agora, em pleno século XXI, pasmem, restauração familiar....

Muitos líderes começaram a enxergar, nessa área, um meio forte para a lucratividade com a da fé alheia. O tópico “Famílias Destruídas” está ali, lado a lado, concorrendo com o desemprego e as enfermidades. Também muitos são os cônjuges que têm recebido a revelação do Espírito Santo em relação à verdade sobre o casamento e o recasamento de pessoa divorciada e têm buscado, na Internet, soluções para a desgraça que abateu sobre sua família. O público, que se diz cristão, que tem atravessado a separação conjugal e o divórcio só tem crescido. Boa parte dele tem sido revelada sobre a verdade do casamento para DEUS; daí recorrer a sites, blogs, vídeos, qualquer coisa que lhes forneça soluções para os seus problemas no casamento. Hoje, é muito fácil encontrar líderes que abordam esse tema, diferentemente de 20 anos atrás, onde o tema era tratado de forma muito tímida e onde quase não se viam líderes pregando sobre restauração familiar.

Enxergando o grande contingente de pessoas e o desespero delas, foi aí que surgiu uma explosão de líderes que passaram a investir nesse assunto. É claro que todos trazem o mesmo discurso pronto de que “DEUS vai restaurar o seu casamento”. Mas que, para isso, o cônjuge, sofrido e abandonado, vai precisar ser fiel. Fiel em quê? Aqui é que reside o perigo. Fiel a todos os conselhos humanos que o líder passará como receita pronta. O principal deles: SEJA FIEL NOS DÍZIMOS E OFERTAS.

O mal encoberto entra exatamente aqui. Porque essa é uma expressão consagrada na história do desenvolvimento das denominações religiosas. Quem nunca a ouviu? Nessa história, observamos que devolver os 10% à denominação foi o principal pilar doutrinário explorado pelas lideranças. Quem não cumpria com esse dever religioso, era mal visto e recebia a culpa por algum eventual fracasso de sua caminhada: “SABE POR QUE ISSO ESTÁ ACONTECENDO COM VOCÊ? PORQUE VOCÊ NÃO É FIEL NOS DÍZIMOS E OFERTAS”. E nunca mais essa pessoa teria um sono tranquilo porque ela passava acreditar nessas palavras como verdade. Nós já sabemos o resultado dessa cultura religiosa alienante: as lideranças religiosas começaram a enriquecer e a estrondosa maioria dos fiéis não alcançou o que tanto desejava.

Hoje, esse discurso, que relaciona fé e dinheiro, está muito presente nos ministérios de restauração familiar, e ganha força quando aparece uma e outra pessoa dando o testemunho de que DEUS restaurou o casamento dela por meio daquele líder ou daquela denominação.

Uma coisa bem que ficar bem clara a todos os cristãos: NADA QUE SE RELACIONA À FÉ, A UMA CONQUISTA ESPIRITUAL, DEVE SER EVOCADA SOB O PRISMA DE UMA OBEDIÊNCIA A DEVOLVER DINHEIRO PARA UM LÍDER OU ALGUMA DENOMINAÇÃO. Nada com DEUS, com o Espírito Santo e com JESUS CRISTO deve se relacionar com dinheiro. O seu dinheiro você usa para socorrer uma pessoa ou família necessitada, que está com fome, com sede, com frio, sem cobertor.

Portanto, saiba: que se alguém disser a você que seu casamento será restaurado, se você for fiel aos dízimos e ofertas, desapareça. Certamente, essa pessoa, que se aproveitar de sua fragilidade, e fazer você de um negócio econômico e lucrativo.

“E, por avareza, farão de vós NEGÓCIO com palavras fingidas; sobre os quais, já de largo tempo, não será tardia a sentença E A SUA PERDIÇÃO NÃO DORMITA” (2 Pedro 2:3).

Se você não tem discernimento, o melhor é orar. Ore a DEUS, clame a ELE e o SENHOR não deixará sua visão escurecida. Não coloque a busca desesperada na Internet no lugar da oração.

No AMOR de DEUS em CRISTO JESUS,


FERNANDO CÉSAR – Escritor, autor dos livros “Não Mude de religião: mude de vida!”, “Pódio da Graça”; “Antes que a Luz do Sol escureça” e da coleção “Destrua o divórcio antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua o adultério antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua a insubmissão antes que ela destrua seu casamento”. Também é pastor e líder do Ministério Restaurando Famílias para Cristo.
 

© - 2014. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré